Gravidez, lordose e evolução… curvinhas que fazem a diferença.

Conselho para os homens: da próxima vez que virem uma mulher grávida se inclinando para aliviar o peso de sua barriga agradeçam, nós teríamos problemas BEM maiores para dar conta de uma gestação.

84010133.jpg

Ahh, se a vida fosse fácil assim…

Você está no RNAm, e hoje falaremos sobre Física. Ou melhor, sobre o Prêmio IgNobel de Física!

ResearchBlogging.orgEm um artigo na revista Nature pesquisadores relataram que a coluna vertebral das mulheres evoluiu de modo a fornecer mais suporte do que a coluna vertebral masculina, provavelmente devido ao esforço-extra durante a gravidez.

Essa observação vale tanto para vocês, mocinhas faceiras, como para as fêmeas de Australopithecus que viviam há mais de 2 milhões de anos, como foi observado em dois fósseis nesse mesmo estudo.

Australopithecus.jpg

Australopithecus “normal” em a e grávida em b

Sem esse suporte adicional os músculos das costas precisariam fazer muito mais força para manter a postura ereta. Ao longo dos 9 meses de gestação, todo esse esforço poderia levar a fadiga muscular e eventuais lesões.

Mulher.jpg

Diferenças entre a mulher “normal” em c e grávida em d e e

Quando nossos ancestrais passaram a andar em duas pernas vários ajustes no esqueleto foram necessários. Nossas vértebras aumentaram em número e largura dando maior suporte a parte superior do corpo e a coluna tornou-se curva na porção inferior das costas de modo a manter os ombros para trás, movendo o centro de massa do corpo acima dos quadris.

Sabem aquela curvinha na base da coluna das mulheres que chama tanto a atenção masculina? Ela tem seus méritos na seleção da melhor postura para garantir uma gestação saudável.

90094449.jpgO peso extra da gravidez muda novamente o centro de massa do corpo para a frente (como acontece quando se anda em quatro pernas) fazendo com que uma mulher seja, em teoria, mais propensa a “cair” para a frente. Assim, os cientistas demonstraram que as mulheres grávidas trazem seu centro de massa de volta aos seus quadris inclinando-se para trás, aumentando a curvatura na base de sua espinha.

Ao medirem o centro de massa de 19 mulheres grávidas, eles descobriram que elas se inclinavam para trás até 28 graus além da curvatura normal da coluna, diminuindo o esforço de torção (ou torque) que o peso do bebê cria em volta do quadril em até oito vezes!

No entanto, essa maior inclinação pode produzir maior stress na espinha: as vértebras são mais propensas a atritar umas às outras, levando a dores nas costas ou mesmo fraturas.

HomemXMulher.jpgOs autores também observaram que a coluna vertebral feminina possui várias características que ajudam a prevenir esse tipo de dano. Enquanto a curvatura inferior da coluna vertebral masculina é formada por 2 vértebras (L4 e L5 no desenho da esquerda), no caso das mulheres temos 3 vértebras (L3, L4 e L5 no desenho da direita), o que ajuda a distribuir a tensão em uma área maior.

Ainda, ocorrem articulações especializadas atrás do cordão espinhal 14% maiores em relação às vértebras masculinas, sugerindo adaptações para resistir a forças superiores. Essas articulações também estão orientadas num ângulo diferente, permitindo maior proteção para as vértebras.

Todos esses fatores fazem com que as mulheres sejam, sem dúvida, mais adaptadas para carregar um bebê. Essas mesmas diferenças encontradas entre machos e fêmeas de Australopithecus certamente foram muito importantes quando o modo de vida era baseado em rotinas de coleta, caça, e, eventualmente, fugindo para não virar comida de predadores maiores ou mais perigosos.

Imagine correr de um lobo, por exemplo, carregando um peso de até sete quilos que ainda te deixa desequilibrado?

É… a vida das mulheres nunca foi fácil. Faz você repensar todas as vezes em que sua mãe te disse “te carreguei por nove meses, seu ingrato!”…

Whitcome, K., Shapiro, L., & Lieberman, D. (2007). Fetal load and the evolution of lumbar lordosis in bipedal hominins Nature, 450 (7172), 1075-1078 DOI: 10.1038/nature06342

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Discussão - 10 comentários

  1. Joey Salgado disse:

    Dores nas costas clinicamente comprovadas. Agora que elas vão reclamar mesmo, durante a gravidez… rá!
    Inté!

  2. Rafaela disse:

    Dos males o menor!

  3. Chloe disse:

    Adorei o post!
    Sabia disso não.
    ; )
    C.

  4. Sibele disse:

    Pois é, Gabriel… mas os ajustes evolutivos valem para os homens, também!!! E a pança de cerveja??? :D
    http://bit.ly/2oj1Xz

  5. Gabriel Cunha disse:

    Hahahaha… Sibele, até ver a imagem do link achei que você estava falando comigo ou com o Rafael…
    (carapuça serviu feio agora… me entreguei!)
    Muito boa a ilustração!

  6. Paula disse:

    Que “sorte” a nossa, hein? 28 graus a mais de inclinação não é pra qualquer um não!

  7. maria disse:

    nooooooooooooooooooossssssssssssssssssssssssaaaaaaaaaaaaaaa

  8. chocobo disse:

    por essa eu não esperava =O
    só não entendi pq mereceu o ignobel….

  9. é tão lindo ver uma mulher gravida……ai que………lindoooooooooo…

  10. amanda@ disse:

    axo q os maridos deveriam fazer mais massagens em nos gravidas. Nas costas e nos pes para aliviar as tensoes nao é facil nao Mais é recompensante depois ver o rostinho do bebe!! ^^

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. (*) Campos obrigatórios.

.

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM