Pai come filho para engravidar de outra. Chama o Datena!

[Datena mode on] Isso é um absurdo! Cadê as autoridades? O cara engravida e mata as crias pra engravidar da outra?! E ainda por cima COMEU os filhotes pra sustentar a nova ninhada! Isso não é um ser humano! PÕE NA TELA! [Datena mode off]
datena.jpg
ResearchBlogging.orgFamílias ‘normais’ já são problemáticas e difíceis de entender. Acontece de tudo (para ter uma leve noção é só assistir os noticiários policiais-sanguinolentos do Datena onde a mãe corta o pênis do pai por ter espancado o filho, estuprado a filha, chutado o cachorro e fugido com a irmã do cunhado do primo-irmão).
Agora imaginem a confusão quando o pai é a mãe, e a mãe é o pai, e quem engravida é o pai e a mãe é que tem que escolher o pai… Nossa, complexo.
Ainda bem que isso de papai grávido só acontece muito raramente e não em gente, mas em peixes (esqueçam aquele filme Júnior do Arnold Schwarzenegger em que ele fica grávido. Até hoje sou traumatizado com a cena que aparece o bebê com a cara do ‘Governator’, blargh).
Nesses peixinhos descobriram que as relações familiares são problemáticas. PÕE NA TELA!
Qual seria a vantagem do pai de incubar os filhotes? Sim, porque geralmente (muitos exemplos em todo mundo animal) o homem não quer muito compromisso, afinal ele pode engravidar várias mulheres gastando muitas vezes só um xaveco barato, e é a mulher que tem que arcar com todo o gasto do óvulo, enjôos da gravidez, etc. Por isso elas costumam ser mais seletivas, e acabam sendo elas que realmente escolhem o parceiro mais interessante (ícone disso é a Luciana Gimenez).
Mas o que acontece quando o macho é quem tem um gasto maior ficando grávido? Primeiro que é ele quem escolhe a fêmea, e pros peixes do estudo tamanho é documento, e eles preferem as fêmeas maiores. Outra coisa é que isso divide a responsabilidade.
Que fofo, então a mamãe entra com um óvulo cheio de nutrientes e os machos cuidam deles até a eclosão, dividindo assim as despesas.
Seria fofo se não fosse a dura realidade: os pais acabam tomando o poder da relação e eles passam a controlar quais crias vão ou não vão vingar. Se cruzar com uma fêmea grande, ele investe na cria e ela vai bem. Se a fêmea não é assim uma Angelina Jolie, ele investe menos ou até mesmo come (ou melhor, absorve) os óvulos pra gastar essa energia com uma fêmea melhor. Chama o Datena!!!!
Assim, o que parece um ato de caridade e igualdade entre machos e fêmeas é na verdade um conflito sexual viceral.
Mas no fim isso é bom para a espécie, que acaba selecionando e investindo numa característica que é importante para ela.
Paczolt, K., & Jones, A. (2010). Post-copulatory sexual selection and sexual conflict in the evolution of male pregnancy Nature, 464 (7287), 401-404 DOI: 10.1038/nature08861

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Discussão - 8 comentários

  1. Sergio disse:

    Eu tenho uma dúvida aqui: o que define o sexo nesses peixes? Quero dizer, não foi um erro dos biólogs apontar o peixe que incuba as crias do peixe macho? Se “ele” é que recebe a gônada e cuida do feto e é “ela” que fornece a outra gônada, então “ele” é “ela” e “ela” é “ele”.
    Bom ficou uma confusão mas a minha pergunta nem é assim tão dificil: só quero saber o critério usado pela biologia para apontar numa espécie sexuada quem é o macho e quem é a fêmea.

  2. Bessa disse:

    Nossa, esse ocuparia o divã da minha psicóloga animal por meses. Ele, Ana Carolina e Alexandre.

  3. Rafael [RNAm] disse:

    Sérgio,
    Pois é uma boa pergunta.
    A mãe (eu imagino) é a que gera o óvulo, uma grande célula imóvel e cheia de nutrientes.
    Mas não sei se é uma definição fixa assim. Vou perguntar a alguem mais abalizado.

  4. Bessa disse:

    É isso mesmo, Rafael. Por definição fêmea é aquela coisa que produz gametas raros e menos móveis e machos são os troços que fazem gametas abundantes e em geral mais móveis. A definição do sexo envolve o investimento gamético na prole.

  5. Claudia Chow disse:

    Interessante, e pensar q com a raça humana não é tão mais simples…

  6. Sergio disse:

    Obrigado pela atenção, Rafael.
    Agora, sobre o post do Bessa, eu só posso dizer que ele tentou ser engraçado, mas só conseguiu mostrar sua verve preconceituosa. Too bad para alguém tão inteligente e que eu admirava!

  7. Yuri Marins disse:

    Opa Rafael, primeiramente, de que sp. de peixes estamos falando? É realmente muito interessante essa “adaptação” de comer os próprios óvulos fecundados pra recuperar a energia e usar com outra parceira. Mas o esquema inteiro do comportamento reprodutivo é bem parecido com o dos cavalos-marinho. Onde as fêmeas depositam os ovos fertilizados nas bolsas localizadas acima das caudas do machos e cerca de 2 meses depois de incubamento nascem os filhotes. No caso dos cavalos-marinho, o seu ambiente de vida em geral fornece quantidades e variedades de alimento bem disponíveis. Mas será que o mesmo acontecesse com o peixe em questão? Nem tudo que é natural é bom(assim diz meu prof. de genevo), é provável que o comportamento alimentar tenha se fixado por escassez de alimento relacionado ao nicho que o peixe ocupa.
    Bom, se souber de alguma coisa coloca ae pra gente XD.

  8. Wilson Luiz disse:

    “Nossa, esse ocuparia o divã da minha psicóloga animal por meses. Ele, Ana Carolina e Alexandre.”
    cara eu ateh sei ke naum kabe discutir homofobia aki mas o cara naum teve noção qdo escreveu isso aih em cima. Nada a ver ateh pq como o dono do blog mesmo falow ke a pergunta faz muito sentido.
    Abraço pra galera.

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. (*) Campos obrigatórios.

.

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM