Escolha uma Página

[Datena mode on] Isso é um absurdo! Cadê as autoridades? O cara engravida e mata as crias pra engravidar da outra?! E ainda por cima COMEU os filhotes pra sustentar a nova ninhada! Isso não é um ser humano! PÕE NA TELA! [Datena mode off]
datena.jpg
ResearchBlogging.orgFamílias ‘normais’ já são problemáticas e difíceis de entender. Acontece de tudo (para ter uma leve noção é só assistir os noticiários policiais-sanguinolentos do Datena onde a mãe corta o pênis do pai por ter espancado o filho, estuprado a filha, chutado o cachorro e fugido com a irmã do cunhado do primo-irmão).
Agora imaginem a confusão quando o pai é a mãe, e a mãe é o pai, e quem engravida é o pai e a mãe é que tem que escolher o pai… Nossa, complexo.
Ainda bem que isso de papai grávido só acontece muito raramente e não em gente, mas em peixes (esqueçam aquele filme Júnior do Arnold Schwarzenegger em que ele fica grávido. Até hoje sou traumatizado com a cena que aparece o bebê com a cara do ‘Governator’, blargh).
Nesses peixinhos descobriram que as relações familiares são problemáticas. PÕE NA TELA!
Qual seria a vantagem do pai de incubar os filhotes? Sim, porque geralmente (muitos exemplos em todo mundo animal) o homem não quer muito compromisso, afinal ele pode engravidar várias mulheres gastando muitas vezes só um xaveco barato, e é a mulher que tem que arcar com todo o gasto do óvulo, enjôos da gravidez, etc. Por isso elas costumam ser mais seletivas, e acabam sendo elas que realmente escolhem o parceiro mais interessante (ícone disso é a Luciana Gimenez).
Mas o que acontece quando o macho é quem tem um gasto maior ficando grávido? Primeiro que é ele quem escolhe a fêmea, e pros peixes do estudo tamanho é documento, e eles preferem as fêmeas maiores. Outra coisa é que isso divide a responsabilidade.
Que fofo, então a mamãe entra com um óvulo cheio de nutrientes e os machos cuidam deles até a eclosão, dividindo assim as despesas.
Seria fofo se não fosse a dura realidade: os pais acabam tomando o poder da relação e eles passam a controlar quais crias vão ou não vão vingar. Se cruzar com uma fêmea grande, ele investe na cria e ela vai bem. Se a fêmea não é assim uma Angelina Jolie, ele investe menos ou até mesmo come (ou melhor, absorve) os óvulos pra gastar essa energia com uma fêmea melhor. Chama o Datena!!!!
Assim, o que parece um ato de caridade e igualdade entre machos e fêmeas é na verdade um conflito sexual viceral.
Mas no fim isso é bom para a espécie, que acaba selecionando e investindo numa característica que é importante para ela.
Paczolt, K., & Jones, A. (2010). Post-copulatory sexual selection and sexual conflict in the evolution of male pregnancy Nature, 464 (7287), 401-404 DOI: 10.1038/nature08861

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...