A ciência brasileira precisa mesmo de mais celebridades?

logo-novo_SBPC

Imagem retirada do perfil do Twitter da SBPC.

Eu to decepcionado com o que aconteceu há umas semanas atrás, mas esqueci de escrever algo sobre. Vou contar resumidamente para quem não viu nada sobre isso (tem esse link aqui também que conta em mais detalhes). Na última reunião anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), foram divulgados os dados de uma pesquisa que visou avaliar a percepção que as pessoas possuem da ciência no Brasil. Parece que a percepção é boa (ufa!), as pessoas geralmente veem os cientistas de maneira positiva.

A partir da divulgação desses dados, tanto o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação (Aldo Rebelo) quanto a presidente da SBPC (Helena Nader) e o presidente da Academia Brasileira de Ciência (Jacob Palis) parecem concordar com um ponto: precisamos de mais cientistas “celebridades”, mais “heróis” na ciência, assim como existem no futebol, para incentivar mais as pessoas a serem cientistas. É sério isso gente? Essa é a melhor ideia que conseguimos ter para incentivar o progresso da ciência?

Vou dar a minha opinião: heróis na ciência podem ser um incentivo? Talvez, acho provável que, em algum nível, possa incentivar mesmo. Mas quer saber um incentivo que com certeza aumentaria demais o número de pessoas interessadas pela ciência e em ser cientistas? Simples, melhorar a profissão. A profissão de cientista (ou, mais corretamente  falando, de professor universitário, já que não existe no nosso país formalmente a profissão de cientista para a minha tristeza) não é boa e eu super entendo quem não tem interesse em se  envolver profissionalmente com a ciência (difícil mesmo é entender quem quer se envolver!). Se ser um cientista fosse realmente algo “melhor”, no sentido profissional, garanto que o impacto disso seria muito maior do que o impacto provocado por um Neymar acadêmico. Mais celebridades na ciência seria algo totalmente paliativo e, na minha opinião, serviria mais para mudar a aparência das coisas do que mudar as coisas de fato.

Outra coisa, vamos fazer uma comparação com o direito. Existem “celebridades” no direito? Como o Neymar? Talvez exista, eu não conheço nenhuma, mas chuto que, se existir, é em uma quantidade não muito maior do que existe na ciência. E se você já ouviu falar nos “concurseiros” ou já viu a lista de cursos mais concorridos nos vestibulares dos últimos anos, sabe que as pessoas já estão bastante interessadas em fazer cursos de direito e passar em concursos relacionados com a área no país inteiro.

Vamos fazer um quiz agora! Será que isso tem a ver com: 1) as celebridades do direito que estão levando as massas para, entusiasmadamente, lerem a constituição dentro de bibliotecas; 2) o fato de que os empregos na área estão entre os mais bem remunerados, estáveis e valorizados; 3) o monstro do espaguete voador? Se você escolheu a opção 2, parabéns, você é só uma pessoa normal com bom senso para mim. Se você escolheu a opção 1, marca uma reunião com o ministro de CTI, a presidente da SBPC e o presidente da ABC para discutirem qual seria o melhor visual dos nossos futuros heróis da ciência (será que é melhor eles pousarem pras fotos com jaleco ou com terno e gravata? Tem que pensar bem nisso!). Se você escolheu a opção 3, é porque você conhece o que está por detrás de tudo o que ocorre no nosso mundo e já foi tocado pelos tentáculos macarrônicos do nosso único e verdadeiro all mighty.

Nós também já temos celebridades bem famosas na ciência brasileira (ou que de alguma maneira divulgam a ciência)! Posso dar uns exemplos? Vamos nessa então! Nos últimos anos, o professor Miguel Nicolelis volta e meia está estampado em várias matérias jornalísticas no Brasil e no mundo inteiro! O mundo inteiro está de olho no que ele esta fazendo em seu laboratório, já que existe a possibilidade do seu trabalho trazer a capacidade de movimentação para pessoas! O cara simplesmente estava cotado há um tempo atrás para concorrer ao prêmio nobel, só isso! E ele ainda teve espaço na abertura da copa do mundo para mostrar um menino paraplégico dar um chute em uma bola usando um exoesqueleto que reagia aos seus pensamentos (quem tava indo pegar o controle remoto pra aumentar o volume perdeu, mas houve o espaço para mostrar o trabalho dele!).

Quer mais? Que tal falar do Drauzio Varella, que por muitos anos teve um quadro no programa Fantástico para falar sobre questões de saúde na maior emissora de televisão do país (não sei se o quadro ainda existe porque não assisto muito televisão)? Além de ter escrito livros e tudo o mais. Falando em Fantástico, vamos citar também a professora Suzana Herculano-Houzel, que também teve a sua participação no Fantástico para falar de neurociências, além de ter escrito vários livros de divulgação científica e nos últimos tempos também estar sempre sendo comentada em matérias jornalísticas do mundo todo por ter publicado trabalhos de destaque em revistas científicas super importantes. E o Marcelo Gleiser? Sidarta Ribeiro? Você estão me entendendo? As nossas celebridades são tão celebridades que são famosas fora do Brasil! OK, não temos um time de futebol de celebridades na ciência, mas estou falando tudo isso pra embasar um ponto: será que esse deveria ser o foco? Era sobre a importância das celebridades na ciência que devíamos estar comentando em matérias de jornal como um caminho para a ciência progredir no país? Ummm, péra, deixa eu pensar, talvez se……. NÃO!

Vou dar uma dica bacana e de graça: que tal discutir sobre como melhorar a profissão de fato? Como os cientistas podem ser melhor pagos, podem ter suas atividades de pesquisa facilitadas nas instituições em que trabalham (e não dificultadas, como costuma ser o caso), podem usufruir das condições mínimas de trabalho, podem ter menos burocracias cerceando o seu trabalho, podem ser incentivados a inovar, publicar seus artigos em revistas científicas importantes… será que não é assim que a gente vai conseguir produzir novas celebridades espontaneamente, como uma consequência de pessoas mais satisfeitas e entusiasmadas com suas profissões? Que tal deixarmos as celebridades surgirem DEPOIS e falarmos agora do que realmente interessa? Só uma ideia.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Discussão - 7 comentários

  1. Jaime Marinho Pinho disse:

    Herois?!!! Nao, na verdade o Brasil precisa e de Suepr-Herois para poder fazer algo serio e util num pais tao corrupto, desestruturado e viciado em falcatruas. Qualquer pesquisador honesto e decente acaba deprimido no Brasil. E vou explicar um pouquinho porque. Primeiro, a grande maioria dos pesquisadores (professors ou cientistas) no Brasil sao tao honestos e direitos quanto os politicos do pais. Segundo, boa parte dos pesquisadores de universidades publicas foram contratados por concursos forjados e nao e dificil encontrar pai, mae, e filho na mesma universidade dando aulas e fingindo fazer pesquisas. O sistema ‘e tao cooperativista que nem quendo o pesquisador ‘e pego roubando verbas do laboratorio ele perde seu emprego. Terceiro, por causa do Segundo, grande parte dos pesquisadores brasileiros jamais seriam contratados nem como tecnicos em paises desenvolvidos dado a complete falta de capacidade tecnica. Quarto, a minoria honesta e produtiva ‘e com frequencia vitima de discriminacao dos seus companheiros inuteis de departamento e vivem isolados como criminosos. Estes nao conseguem verba e nao podem comprar equipamentos que seus companheiros inuteis ja compraram, por regras institucionais, mas ao mesmo tempo sao impedidos de usarem pelos seus companheiros imprestaveis. Quinto, a importancia social e cientifica dos trabalhos publicados pelo Brasil sao uma afronta a ciencia e nao significam nada mais que o desperdicio do dinheiro publico. Para finalizar, a opiniao do povo sobre a ciencia no Brasil so e positiva gracas ao fato do povo nao ter a menor ideia do que esta sendo feito com seu dinheiro. Se eles tivessem ideia de quanto dinheiro ‘e disperdicado sem o menor criterio cientifico ou tecnico, com certeza mudariam de opiniao. Logo, o Brasil precisa ‘e de gente seria em todos os niveis sociais para fazer algo de evrdade e util. No momento o brasileiro vai ter que se contentar com falsos herois para continuar lubridiando o povo.

  2. Jaime Marinho disse:

    Herois?!!! Nao, na verdade o Brasil precisa e de Suepr-Herois para poder fazer algo serio e util num pais tao corrupto, desestruturado e viciado em falcatruas. Qualquer pesquisador honesto e decente acaba deprimido no Brasil. E vou explicar um pouquinho porque.
    Primeiro, a grande maioria dos pesquisadores (professors ou cientistas) no Brasil sao tao honestos e direitos quanto os politicos do pais.
    Segundo, boa parte dos pesquisadores de universidades publicas foram contratados por concursos forjados e nao e dificil encontrar pai, mae, e filho na mesma universidade dando aulas e fingindo fazer pesquisas. O sistema ‘e tao cooperativista que nem quendo o pesquisador ‘e pego roubando verbas do laboratorio ele perde seu emprego.
    Terceiro, por causa do Segundo, grande parte dos pesquisadores brasileiros jamais seriam contratados nem como tecnicos em paises desenvolvidos dado a complete falta de capacidade tecnica.
    Quarto, a minoria honesta e produtiva ‘e com frequencia vitima de discriminacao dos seus companheiros inuteis de departamento e vivem isolados como criminosos. Estes nao conseguem verba e nao podem comprar equipamentos que seus companheiros inuteis ja compraram, por regras institucionais, mas ao mesmo tempo sao impedidos de usarem pelos seus companheiros imprestaveis.
    Quinto, a importancia social e cientifica dos trabalhos publicados pelo Brasil sao uma afronta a ciencia e nao significam nada mais que o desperdicio do dinheiro publico. Para finalizar, a opiniao do povo sobre a ciencia no Brasil so e positiva gracas ao fato do povo nao ter a menor ideia do que esta sendo feito com seu dinheiro.
    Se eles tivessem ideia de quanto dinheiro ‘e disperdicado sem o menor criterio cientifico ou tecnico, com certeza mudariam de opiniao. Logo, o Brasil precisa ‘e de gente seria em todos os niveis sociais para fazer algo de evrdade e util. No momento o brasileiro vai ter que se contentar com falsos herois para continuar lubridiando o povo.

  3. André Souza disse:

    Sinceramente, o mundo ideal é NÃO ter heróis, pelo simples fato de são desnecessários…
    Se pensarmos no q faz um garoto da favela em sonhar em ser o Neymar, não é apenas ganhar a vida jogando futebol, é ser beeeeeemm valorizado por isto, coisa q não ocorre na ciência aqui no Brasil.

    Talvez uma saída seria q passasse a existir formalmente a profissão de cientista ( e não “só prof universitário”)…Incentivos fiscais para pesquisas de base, parcerias entre indústrias e universidades, facilidade para a importação de equipamentos, facilidade no uso pela iniciativa privada dos resultados…
    Se quer jogar pra plateia, pq em vez de investir em “criar heróis”, não se investe em “objetivos heroicos”, do tipo, 1ª colônia venusiana em 20 anos (cada micro objetivo, de veículo lançador a sementes usadas na colônia, com concursos abertos…), ou ainda um tetraplégico jogar 90 minutos de uma partida de futebol, ou disputar um triatlo (disputar, e não apenas participar)…E, por amor de Mike, facilitando o trabalho dos cientistas

  4. JoLima disse:

    Fazer ciência no Brasil!… Infelizmente é o sonho realizado de poucos felizardos. Concordo com o Jaime Marinho ao referir-se às mazelas e corporativismos existentes nas Universidades. Acredito que a ciência deva ter, prioritariamente, uma função social e ambiental, e, portanto à serviço da população e da preservação/conservação da natureza. Entretanto, infelizmente, vemos pesquisadores/cientistas à serviço de indústrias que privilegiam o bem-estar e enriquecimento de uma minoria. É preciso estar atento a esse tipo de investimento, para seja feito apenas via iniciativa privada. Já o investimento público, deve visar o alcance de objetivos sociais e ambientais. Sobre a criação de cientistas heróis, é uma falácia! Quando se tem uma sociedade humanizada, com o mínimo possível de diferenças socioeconômicas, a ação heróica é extemporânea. Portanto, quando o Brasil for um país sério, que priorize uma educação em todos os níveis (ensino básico e superior) que valoriza o ser humano enquanto sujeito, com suas limitações (problematizando a sua superação) e potencialidades (promovendo o seu pleno desenvolvimento), estou certa de que teremos os cientistas que toda nação precisa.

  5. Minha opinião não solicitada sobre o tema:

    http://genereporter.blogspot.com/2015/07/celebridades-cientificas-sao.html

    []s,

    Roberto Takata

  6. Humberto Kaufmann disse:

    Porque não divulgam uma foto do próprio Neymar com um jaleco e um badge no peito escrito “Neurociência”. Marketing fácil e ele nem precisará chutar uma bola.

  7. André Rabelo disse:

    Obrigado a todos pelos comentários! Foram complementos muito interessantes à reflexão que quis trazer no texto. Também tenho mais um complemento que só pensei depois: a conclusão das autoridades citadas no texto é que “precisamos de mais celebridades”. Isso provavelmente é reflexo de um dos resultados dessa pesquisa: que uma porcentagem baixa da amostra da pesquisa conhece algum cientista famoso ou instituto de pesquisa. Então que tal pensarmos em como melhorar a DIVULGAÇÃO científica, como ela poderia ser melhor incentivada e reconhecida, para que, por exemplo, as celebridades que já existem se tornem mais populares? Sério, acho que quase qualquer outra conclusão a partir dessa pesquisa teria sido mais feliz do que a que eles tiveram.

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. (*) Campos obrigatórios.

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM