Como emagrecer com ajuda da psicologia?

241_thumb_emagrecer

Muita gente sofre para manter um peso saudável, mas sem se atentar para os processos psicológicos que facilitam ou dificultam o controle do peso, pode ser muito mais difícil. Hoje daremos algumas dicas de como a psicologia pode te ajudara a emagrecer. Você pode ver o vídeo de hoje abaixo ou clicando aqui.

Aqui vai um trecho do incío do vídeo: A maioria das pessoas falha miservavelmente na tentativa de emagrecer e manter o seu emagrecimento. Eu sou o André, doutor em psicologia e hoje vou dar algumas dicas de como você pode melhorar a sua saúde física com a ajuda da psicologia. A obesidade tem se tornado cada vez mais comum em diferentes lugares ao redor do mundo por 2 principais motivos: maior ingestão de calorias e sedentarismo. Existem muitos outros fatores envolvidos na obesidade e podemos falar melhor disso em outro vídeo. Comenta aqui embaixo se quiser que a gente fale disso e aproveita para se inscrever aqui no canal também! Pessoas obesas possuem maior risco de desenvolver diferentes doenças, tais como doenças cardiovasculares, que podem predispô-las a incapacitações graves e mortes prematuras. Por isso, identificar tratamentos efetivos pode salvar muitas vidas. Alguns dos tratamentos mais conhecidos são dietas e cirurgias. Ambos tendem a facilitar a perda de peso a curto prazo para algumas pessoas, mas vários estudos já evidenciaram que a perda de peso a longo prazo é difícil para maioria das pessoas.

Referências recomendadas

Aqui vão algumas ótimas referências sobre obesidade, saúde, dietas e emagrecimento. Certifique-se também de conferir os vídeos que inserimos nos cards do vídeo de hoje, todos eles tem muito a ver com os assuntos que abordamos no vídeo: link, link, link, linklink, link, link, linklink, link, link, linklink, link, link, link, link, link, link, linklink, link, link, link.

O que são antidepressivos? (vídeos)

240_thumb_antidepressivos

Você já ouviu falar de antidepressivos, tais como a Fluoxetina ou a Sertralina? Muita gente tem usado esse tipo de medicamento e hoje veremos um pouco sobre o que eles são e como podem te afetar. Você pode ver o vídeo de hoje abaixo ou clicando aqui.

Aqui vai uma prévia do começo do vídeo: antidepressivos são medicamentos muito utilizados no tratamento da depressão, mas, sob certas condições, também podem auxiliar no tratamento de outras condições envolvendo dificuldades com ansiedade, insônia e dor crônica, por exemplo. Existem diferentes grupos de antidepressivos, tais como os tricíclios, tetracíclicos, inibidores da monoaminoxidase, inibidores seletivos da recaptação de norepinefrina, dopamina ou serotonina. As pesquisas existentes indicam que todos tendem a possuir uma eficácia semelhante. As principais diferenças são a maneira como cada um afeta o cérebro e os efeitos colaterais que cada um pode causar. Os inibidores seletivos de recaptação da serotonina são os mais usados atualmente, tais como a Fluoxetina, a Sertralina e o Citalopram. A grande vantagem deles é que tendem a causar menos efeitos colaterais em muitas pessoas.

Referências recomendadas

Vou incluir aqui várias referências sobre medicamentos psiquiátricos e antidepressivos que são bem recomendáveis para quem se interessa mais por esse assuntos: link, link, link, linklink, link, link, link, link, link, link, linklink, link, link, linklink, link, link, linklink, link, link, linklink, link, link, linklink, link, link, link, link, link, link, link, link, link, link, link, link, link, link, link, link.

Medicações psiquiátricas fazem bem ou mal? (vídeo)

238_thumb_medicações

Medicações são usadas por psiquiatras para ajudar pessoas que vivem diferentes problemas, mas será que elas ajudam mesmo ou nem fazem tanta diferença assim? A resposta para isso não é tão simples e hoje vamos falar sobre alguns dos fatores que influenciam no efeito das medicações e o que se sabe sobre a eficácia de antidepressivos para dar um exemplo.

Você pode ver o vídeo de hoje abaixo ou clicando aqui.

Aqui vai um trecho do começo do vídeo: As medicações psiquiátricas são feitas de substâncias capazes de alterar a mente, as emoções ou os comportamentos das pessoas e chamamos esse tipo de substância de psicoativa. Alguns dos principais tipos de medicações são os antidepressivos, antipsicóticos, estabilizadores de humor, ansiolóticos e hipnóticos. Se você gostaria que falássemos de algum deles em vídeos futuros, se inscreva no canal e comente aqui embaixo para a gente saber! O efeito de uma medicação psiquiátrica depende muito de cada organismo, então é comum que um psiquiatra precise testar diferentes medicações e diferentes dosagens até encontrar um que traga os efeitos desejados com o mínimo de efeitos colaterais. A maior parte das medicações não possui um efeito imediato e é necessário que a pessoa tome a medicação por algumas semanas até observar uma melhora. Muita gente não tem paciência com isso e interrompe o tratamento bem antes do que devia.

Referências recomendadas

Hoje tem muita referência sobre o assunto! Como eu disse no vídeo, é um assunto com muita controvérsia em torno dele e muitas pesquisas já foram feitas para testar a eficácia de tratamentos baseados em medicações psiquiátricas. Tudo o que a gente menciona no vídeo e muito mais pode ser acessado nos links a seguir: link, link, link, linklink, link, link, linklink, link, link, link, link, link, link, linklink, link, link, linklink, link, link, linklink, link, link, linklink, link, link, linklink, link, link.

Neuroplasticidade cerebral: O que é e o que não é (vídeo)

234_thumb_neuroplasticidade

O seu cérebro se modifica várias vezes ao longo da sua vida. Hoje falaremos um pouco sobre como essas mudanças podem ocorrer. Você pode ver o vídeo abaixo ou clicando aqui.

Aqui vai uma prévia do comecinho do vídeo A neuroplasticidade se refere à capacidade do cérebro de mudar em decorrência da maturação do organismo, de aprendizagem ou de ajustes para compensar prejuízos no funcionamento do cérebro resultantes do envelhecimento ou de dano cerebral. Seu cérebro se modificou muito desde quando você morava no útero da sua mãe e continuará mudando durante a fase adulta, embora a tendência seja que a neuroplasticidade vá diminuindo conforme você envelheça. Por essas e outras, é mais fácil aprender uma nova língua na infância do que na fase adulta. As mudanças no cérebro podem ser na sua estrutura ou na reorganização funcional dele. Quando a estrutura se modifica, isso pode resultar da formação de novas conexões entre neurônios, do fortalecimento de conexões já existentes ou do surgimento de novos neurônios, por exemplo.

Referências recomendadas

Existe muita coisa na internet sobre neuroplasticidade. Infelizmente, existe muita bobagem nesse meio. Aqui vão algumas referências científicas sobre o assunto discutindo vários dos pontos mais importantes quando o assunto é neuroplasticidade: link, link, link, linklink, link, link, linklink, link, link, linklink, link, link, linklink, link, link, linklink, link, link, linklink, link, link, link, link, link, link, link.

 

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM