Se uma árvore cai na floresta mas não há ninguém por perto, ela faz barulho?

Lógico que faz.
Durante o meu curso (Engenharia de Áudio e Acústica) eu me envolvi numa discussão acalorada com um professor meu sobre isso.
O ponto de vista dele era “filosófico” (novamente, essa palavra é boa para tentar validar qualquer estupidez e disfarçar sua irrelevância), ou seja, antropocêntrico.
Um som só seria um som se ele o ouvisse.
Ou alguém humano como ele.
A definição técnica (e a que deveria ser sempre usada dentro de uma sala de aula com Acústica Avançada escrito na porta) de som é: Fenômeno acústico que consiste na propagação de ondas sonoras produzidas por um corpo que vibra em meio material elástico.
Ou seja, Som é “transmissão de ondas físicas (sonoras) através de um meio”.
Dizer que a árvore não faz barulho quando cai porque não há alguém para ouvir é como um cego dizer que não existe mundo.
Outro espertíssimo professor (de Trilha Sonora para Filmes e TV) do mesmo curso levou a patética tentativa de fazer algo totalmente ridículo soar plausível para pessoas sem conhecimento específico de Física o filme What the #$*! Do We Know!? para a sala e tentou, sem muito êxito, construir uma ponte entre aquela idiotice e nosso trabalho com som (algo como nos fazer usar física quântica ao mixar um disco, mas não lembro bem, pois estava com a cabeça ocupada tentando desmentir todas as cenas do vídeo).
Quando o DVD acabou e ele terminou seu discurso, eu tentei explicar (o pouco que sabia na época) o que era Física Quântica, como as coisas do mundo funcionavam e porquê aquilo tudo era uma enganação que tinha como alvo pessoas razoavelmente inteligentes mas com um ponto-cego para explicações pseudocientíficas com nomes semicientíficos e que aparentam fazer sentido.
Em vão.
Ele já havia sido capturado pela armadilha do “você pode se dar bem, basta desejar forte o suficiente”.
O ponto do filme em que mais me concentrei e a que mais me ative foi uma cena onde uma “Ph.D” (em Sacanagem Avançada e Aplicada, creio) afirma, com uma convicção que deixaria P.T. Barnum se achando inepto na arte de Enganar Otários Com A Cara Limpa, que quando os Astecas avistaram o primeiro navio espanhol que surgiu no horizonte americano, eles, na verdade, não o viram.
Apenas notaram um distúrbio nas águas e no ar ao redor da nave, mas por se tratar de algo tão inusitado, inesperado e irreconhecível, nenhum deles conseguiu formar, em suas retinas, a imagem de um navio, até chegar o chefe da tribo, um homem muito sábio que disse “o que está causando esse fenômeno é um navio” aí passou a descrever o veículo, o que causou, imediatamente e em todos ao mesmo tempo, que vissem o barco se aproximando.
Primeira coisa que eu disse: Como é que essa mulher sabe disso? Teria ela discutido com o espírito do velho Pajé?
Segunda coisa: se nenhum deles viu o barco por se tratar de algo diferente e bizarro, será que matutos do sítio teriam cegueira direcionada a aviões e prédios altos?
Nessa imbecilidade obra pude conhecer também um sujeito que acredita que água, quando xingada, acha ruim e cria “cristais” que guardam uma memória do abuso.
Para provar sua teoria, ele mostrava copos de água pura que foram bem tratadas e elogiadas e copos, contendo o que ele dizia ser a mesma água (mas que claramente continham água suja e CONGELADA), que estariam impuras por terem sido maltratadas.
Conclusão do gênio: nós que, segundo ele, somos compostos de mais de 90% de água (está mais para 60 a 75%, mas isso é um dado difícil de obter e de pouca importância para um Doutor em Filosofia do calibre do cientista experimentador que cria uma hipótese dessas sobre ÁGUA e o CORPO) devemos procurar quem nos trate bem para que não fiquemos sípidos, nodoros e colores como seus copos mágicos.
Pessoas realmente gostam de acreditar em besteiras.
Meu curso foi muito bom, me ensinou muito sobre Gravação, Mixagem, Edição (minha especialidade) e Masterização, como também sobre Física (aplicada a som), História (da música e da produção e gravação sonora), um pouco de Arquitetura básica (design interior de estúdios) e, por essas e outras, Pensamento Crítico.
Passei semanas e semanas enfiado em uma das melhores bibliotecas do mundo com acesso fácil e rápido a virtualmente qualquer livro que quisesse e li até sangrar os olhos (figurativamente), mas infelizmente, nem o volume monstruoso de informação que obtive em três anos de estudos foram suficientes para convencer um professor de Acústica que som não é necessariamente “aquilo que se escuta” e um outro, de História Fonográfica, que Probabilidade Quântica não é um fenômeno macroscópico.
Outra coisa que aprendi no meu curso: não sou bom em desconverter os outros.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Discussão - 43 comentários

  1. Atila disse:

    Dá uma olhada no Dragão da garagem, lá tem isso e uma ótima resenha sobre esse filme!!! http://dragaodagaragem.blogspot.com/2008/01/que-eles-esto-falando.html

  2. Igor Santos disse:

    Já havia visto, mas infelizmente só depois do final do curso…

  3. Rafael disse:

    Cara, você é um imbecil, mesmo. É o típico construtor de pontes, ignorante e sem capacidade de crítica e reflexão.

  4. Igor Santos disse:

    Hum…
    Realmente, sempre tem quem acredite em merda e ache que os outros são tapados.

  5. Daniel Contage disse:

    Cara, acho que você deveria pesquisar um pouco antes de sair escrevendo qualquer coisa. Concordo que o filme pode parecer patético aos olhos vidrados dos cientistas, mas você nem sequer entendeu a pergunta que fez no título do seu texto.
    Sua resposta também está de cara errada. Não é Lógico que faz barulho. Se com lógica você quiser dizer a lógica formal, dedutiva, A=A, A!=B, você está errado!
    É óbvio talvez na lógica indutiva científica, que simplesmente afirma que as coisas que aconteceram sempre sempre vão acontecer. Não é de modo algum necessário logicamente que o sol nasça amanhã, por exemplo, ou que se eu soltar meu lápis no ar, que ele caia. É lógico porque a ciência diz que é lógico. Então, pra começar: não venha falar de lógica.
    Segundo, você não pode olhar cientificamente para um problema filosófico. Quando Berkeley propôs esse problema, estava questionando sobre o que é realidade, a partir da ideia de que tudo o que é real pra você é o que você apreende pelos seus sentidos. Você de fato nunca teve acesso à árvore nem ao som, nem se estivesse lá a tocá-la. Só teve acesso às vibrações no seu cérebro que lhe deram a sensação de som, imagem, textura, etc.
    Se eu abrisse sua cabeça e induzisse seu cérebro a sentir gosto de limão, esse gosto seria real (no mundo fora da sua mente)?
    O fato é que, se a árvore cai sozinha na floresta, você não tem nem sequer a experiência desse som. Se você estivesse lá, talvez pudesse questionar isso, mas se você não está, e digamos, só por um momento, que você não pode ter certeza de que exista realmente algo fora da sua mente, há som???? Ou melhor: não parece ser uma questão NO MÍNIMO complicada???
    Lógico que sim uma ova.
    PS: “O ponto de vista dele era “filosófico” (novamente, essa palavra é boa para tentar validar qualquer estupidez e disfarçar sua irrelevância), ou seja, antropocêntrico.”
    Você nem sequer sabe o que quer dizer filosofia. Seu artigo não faz sentido algum; se propõe científico mas não tem base alguma: é simples senso comum. É, também, e ainda mais, irrelevante.

  6. Igor Santos disse:

    Engraçado como você conseguiu se contradizer e consequentemente anular o seu próprio argumento logo no começo, com “É lógico porque a ciência diz que é lógico.”

  7. Daniel disse:

    Não, Igor, acho que você entendeu mal. Mas foi culpa minha, admito. Não me expressei bem.
    O que quis dizer foi que “é lógico” (ENTRE ASPAS) que o sol nasça amanhã, mas você só acha isso porque alguém (um cientista) te garantiu. Só que se você for pensar direitinho (e ai entra a filosofia) isso não pode ser deduzido logicamente de modo algum.
    A ciência é composta de crenças (baseadas em repetição), não de lógica.
    Engraçado sim é como você reteve sua crítica justamente na parte menos importante do meu texto. Você leu o resto ou parou por ai?
    Faça o seguinte: em vez de ler tentando achar falhas argumentativas, tente entender o que eu estou dizendo e pensar se tudo o que você escreveu acima confere.
    Dica: Você peca na sua crítica à filosofia. Relaciona o filme a essa disciplina e taxa o discurso filosófico de “antropocêntrico”.
    Pense bem. A física é muito mais antropocêntrica do que a filosofia, já que explica a natureza de um ponto de vista do ser humano.

  8. Igor Santos disse:

    Daniel, eu continuo sem entender o que você quer dizer, mas afirmar que a física explica a natureza do ponto de vista humano é meio forçado…

  9. Marcelo telles disse:

    O cara ai confunde de forma quase-patológica, fenômeno geral com percepção corporal. Fenômeno acústico não é som, passa a ser quando por meio de aquisições aprioristicas, capturamos aquele fenômeno mais geral e então por meio de impulsos nervosos, conduzidos até o cérebro e organizados em estruturas químicas-orgânicas. Finalmente se transformam em “experiência auditiva”, fora do corpo o fenômeno acústico é desprovido de “sonoridade”, sendo apenas um evento físico, desprovido de sensação, ridículo é quem afirma que nossas experiências antecedem a existência.
    O mundo tal como experimentamos é só correlativo de nossa própria existência, uma representação, quadro infiel da realidade. Porém determinada pelo mundo-em-si, não que esse inexista, mais não possui esse formato tal como o experimentamos.
    Que haja mais discernimento em ti pequeno gafanhoto!!

  10. Igor Santos disse:

    Mas é muito burro…
    A definição de “som” é a mesma de fenômeno acústico.
    Sua visão de mundo 100% antropocêntrica é muito limitada, sujeito.
    Se desamarre dessa imbecilidade e procure estudar outras coisas além de filosofia inútil.

  11. Filipe disse:

    Entendo que você pense desse jeito, mas, fala sério, quem te ensinou sobre acústica e talz sabe disso como? pesquisou certo? ou resolveu, um dia, conversar com as ondas sonoras? acho improvável, todas as civilizações deixaram registros, porque esa história do navio não pode ter sido escrita…. você se mostrou uma pessoa de mente totalmente fechada, isso não é ser crítico, é, sem sombra de dúvida, ser um tolo! As pessoas deviam ter mais respeito e saber discernir teorias de fatos concretos, toda a ciência se cria em cima de teorias que, com o tempo, são comprovadas. Não se pode criticar alguém por ter uma ou outra teoria, por mais absurda que seja, a não ser que ela já tenha sido totalmente desiludida, destruída e abandonada! As pessoas também deviam dar devido valor paras as ciências chamadas de Humanas, já que, para uma grande parte, se não tiver números envolvidos, não é ciência. Ciência é conhecimento, logo, qualquer coisa que por ventura se descubra, é ciência. E tenho dito!

  12. Igor Santos disse:

    Eu tenho a mente fechada mesmo, mas só para esse tipo de idiotice que você está cuspindo.
    Você sabe se meu professor pesquisou em algum lugar, seu imbecil?
    Na sua cabeça vazia, a não ser que toda pessoa que já existiu tenha deixado registros por escrito detalhando todas as horas do dia, qualquer coisa pode acontecer, né?
    Quando tiver vontade de fazer papel de idiota vomitando essa conversa de maconheiro, por favor evite aparecer aqui.

  13. Maury Duarte Correia disse:

    childrens

  14. Neto disse:

    Você não é bom em “desconverter” os outros porque seus argumentos são, no mínimo, difíceis de engolir.

    Quando, já no começo do texto, você tenta desqualificar o ponto de vista filosófico de seu professor, dizendo que “palavra é boa para tentar validar qualquer estupidez e disfarçar sua irrelevância”, eu já sabia que tipo de texto você iria escrever.

    Saiba você, que a filosofia é a “mãe” de todas, TODAS as ciências. Tudo surgiu com a filofia. O amor ao pensamento em si.

    A comparação da árvore no bosque não provocar som seria igual ao mundo não existir para um homem cego é uma aberração. Você mistura conceitos. O homem cego ainda escuta, e mesmo que não escutasse, teria o tato, portanto, o mundo ainda existe para ele.

    Entre tantos outros argumentos seus que são falhos….mas estou levemente grogue para continuar escrevendo.

    Abra sua mente.

    • Igor Santos disse:

      Não estou tentando desconverter. A religiosidade em volta desse assunto (como você demonstra mandando eu “abrir minha mente” por discordar do seu ponto de vista) é grande demais para os crentes a deixarem de lado.

      Quando você discorda da realidade, o errado é você.

  15. Psicodélico disse:

    Para mim essa é uma questão bem simples e não precisa de grandes explicações! O som, o ruído, existe independentemente da nossa consciência! Aqui também verificamos que Descartes estava equivocado com a frase “penso logo existe”. Essencialmente, essa frase nos remete que algo apenas existe se há alguém para racionalizá-lá! A questão muda de contexto se questionarmos a existência de invenções do pensamento, ou de uma realidade dependente do pensamento! Agora, a natureza é sem sombras de dúvidas independente do pensamento. Por outro lado, as palavras das quais utilizamos para nomear a natureza, essas sim são invenções do pensamento e somente existem por causa dele!

  16. Striker disse:

    É por essas e outras que eu considero a humildade como uma das principais virtudes do homem.
    Eu até ia dizer o porquê, mas alguns comentários já esclareceram.

    • Igor Santos disse:

      O melhor comentário é uma frase atribuída a Schopenhauer (acho que é dele mesmo) que lê algo como: quem é o humilde senão um hipócrita que pede perdão por seus méritos àqueles que não têm nenhum.

  17. João disse:

    Complicado, complicado..
    Desmerece a filosofia e venera a ciencia sem se dar conta de que a primeira é origem da segunda. Agradeça os filosofos que se preocuparam com o conhecimento e em como atingi-lo para a ciencia ser o que é hoje, teoria do conhecimento é um conceito filosofico.
    Desmerece estudiosos, mestres e doutores apenas porque não compreende seu raciocinio.
    Resume raciocinios complexos e questionamentos seculares a questões simplorias respondidas de duas linhas de um blog, e acha realmente que está certo e que os estudiosos são incapacitados.
    Teima que a ciencia pode descrever toda a realidade e afirma que quem se colocar contra é reiligoso e não aceita a realidade. Gostaria de saber de onde vem a certeza de que a ciencia é absoluta? A ciencia é refem da nossa percepção, dos nossos sentidos que muito provavelmente são limitados. Dizer que ela é sinonimo de realidade é uma atitude pouco cética e antropocentrica.
    Tem um comportamento típico de ateuzinho revoltado, que ve religiosidade em tudo. A discussão a respeito de sensações e fenomenos físicos nada tem a ver com religiosidade e é debatida por cientistas e filosfos no mundo inteiro.
    E som é a sensação. Se uma arvore cair na floresta, ela não será percebida e portando não gerará som. Poderá gerar movimento de particulas em ondas, mas essas ondas não serão captadas e portando não serão convertidas em som. Da mesma forma que luz não gera necessariamente imagem se não for captada por olhos. Não temos acesso a essas coisas em essencia, temos acesso apenas a o que eles nos geram de sensação, e isso não é antropocentrismo, é uma constatação. O vermelho que vemos não existe fora de nós, é apenas uma sensação. Pesquise a respeito de qualia e perceba a ignorancia que foi esse post.
    Não desmereça a filosofia, todo o conhecimento que você tem hoje é fruto dela, a sua lógica é fruto dela, a ciencia também. E pare de ser arrogante, tem muita gente que sabe mais que você, inclusive os pesquisadoress do filme. Tenha em mente que nem todo mundo que pensa diferente é religioso ou perdido, apenas tem uma maneira diferente de perceber as coisas.
    E justificar sua arrogancia em schoppenhauer é dose, agora você liga para o que os filosofos dizem? haahaha atitude pouco honesta a sua.
    Concordo que exista hipocrisia em muito humilde por aí, mas tambem acho que tem muito arrogante que deveria pensar no que contribuiu pro mundo, no que realmente é ou fez para se achar tanto e desmerecer os outros.

    • Igor Santos disse:

      João, meu mundo não é tão preto e branco quanto o seu. No meu não existe FILOSOFIA como algo único que engloba não só frases perdidas como até a cor das cuecas dos filósofos. Eu sei distinguir o valor entre afirmações, onde quer que você escolha encaixá-las.
      Você diz que minha atitude é pouco honesta mas eu vejo que a sua é pouco inteligente. Você precisa crescer ainda (14 anos, acertei?) e aprender a diferenciar as coisas.

  18. João disse:

    E só para complementar, a questão do som é uma discussão mais de linguagem do que qualquer outra coisa. Realmente, no dicionário há uma descrição materialista e objetiva do som, justamente como você afirmou. A questão intrinseca aí é que a noção objetiva de som se difere da subjetiva. Se você quer chamar a propagação de ondas detectadas pelos ouvidos de som, terá de chamar a sensação de som que temos de outra coisa. São coisas totalmente distintas e acho que você não entendeu que esse é o ponto. Explicar objetivamente para um surdo o que vem a ser som poderá fazer com que ele entenda por a+b as causas do fenomeno, mas nunca fará com que ele saiba como é a sensação, da mesma forma que eu não sei como a mariposa percebe estimulos de alguns comprimentos de onda que eu não tenho acesso pelos meus sentidos, aquilo faz parte da realidade dela e não faz parte da minha, mesmo que eu saiba que a origem dos estimulos são fenomenos físicos. Por isso surge a questão da arvore: uma arvore que cai na floresta deserta produzirá um fenomeno físico que chamamos de som(propagação de ondas), a questão é que esse fenomeno na ausencia de detectores(ouvidos) em nada se relaciona com o que temos em mente como som, poderiamos então chamar os dois de som? acho que não. Assim como a luz, quando não detectada por olhos, tem uma forma/essencia/caracterista totalmente distinta da que presenciamos pela nossa visão. Isso, como citei anteriormente é um problema dificil: como fenomenos eletricos em meu cerebro, originados de estimulos externos materiais geram essa sensação subjetiva de som/olfato/visão/paladar? há um salto de caracteristicas claro nessa mudança, fenomenos físicos geram o azul/vermelho/dor não te parece algo complexo de se explicar (dizer que é um mecanismo do cerebro, seleção natural e bla bla bla não é explicar)? Ou ainda melhor, o que é o universo quando não é presenciado por nenhum tipo de vida? monocromático, silencioso (?) (ha quem diga que é impossivel de se conceber visto que o preto e o silencio são sensações subjetivas também,)?
    Se você insistir que a solução é simples como uma formula matematica eu desisto. É um tipo de problema sem solução amigo, nenhum cientista responde, justamente porque nenhum cientista consegue explicar objetivamente o que é o vermelho, o preto, o ruido, o gosto de maçã, são sensações totalmente subjetivas, pode pesquisar na internet o termo fenomenologia. E não, não sou solipsista, acredito num universo externo a nós, apenas não acredito que seja possivel de explica-lo ou concebe-lo, senão atraves de parametros limitados como numeros/imagens/palavras e de nossos 5 sentidos.
    Espero que você entenda o ponto e pare com essa ignorancia de achar que a ciencia explica tudo. A ciencia é sim a forma mais eficiente de se conseguir conhecimentos e de aplicá-los, mas ainda é refem das experiencias. Não, não existe outro jeito de adiquirir conhecimento testavel, com capacidade de previsão razoavel se não pela ciencia, a questão é que a filosofia que você tanto recrimina é responsavel pelas perguntas que a ciencia tenta responder, responsavel pelas teorias válidas dentro das leis que a ciencia demonstrou empiricamente. Você acha que a teoria do big bang seria possivel sem filosofia? Nenhuma teoria existiria rapaz, só constatações empiricas. Filosofia e ciencia estão agregados, queira você ou não. Não fossem as perguntas, as deduções logicas a partir de experimentos, a interpretação correta dos dados e a ciencia seria mais crua do que você imagina. Ainda acho que essa sua mentalidade se deve a uma visão esteriotipada do que seja filosofia. Abra sua mente, filosofia não é ficar sentado viajando e fumando maconha, embora alguns que se dizem filosofos só façam isso mesmo, criando problemas inexistentes geralmente baseados em erros de linguagem para eles mesmos resolverem.
    Desculpa o tamanho do texto.

    • Igor Santos disse:

      “Nenhuma teoria existiria rapaz, só constatações empiricas.”

      E, rapidamente, vê-se o quão pouco você entende de ciência e filosofia.

  19. João disse:

    Essa ironia toda é pra tentar ofender ou pra parecer superior? Essa sua arrogancia não esconde sua incapacidade de entendimento. Não entendeu o que comentaram lá em cima e provavelmente não entendeu o que eu escrevi. Mas lógico que isso é complicado de assumir né, melhor debochar do que dizer que não entendeu. Fiz um texto de 100 linhas pra ver se você ao menos considerava uma opinião diferente, mas pela sua ignorancia acho que nem tentou, preferiu achar “falhas” e dizer que eu tenho 14 anos (tem certeza de que sou eu quem está agindo como uma criança) ou que sou burro. Continua com essa metralhadora de ironias, isso deve te dar mais prazer do que crescer intelecutalmente, pelo menos é o que parece lendo seus comentários.
    abraços, pseudo cientista, ateu revoltado, arrogante ironico que odeia filosofia (não sei porque mas ja vi muita gente com as mesmas caracteristicas, geralmente são os que mais sofriam bullying na adolescencia)

    • Igor Santos disse:

      Você cita esse “texto de 100 linhas” como forma de teste e eu que sou arrogante e me acho superior? Sua lógica é brilhante (sempre lembrando que você veio espalhar seus dogmas no meu blog por livre e espontânea vontade).
      Principalmente na hora que lhe faltam argumentos e você devolve quase com as mesmas palavras o que eu disse sobre você. Sua inteligência é realmente superior. Sua mãe deve estar orgulhosa dessa sua mentezinha fechada!

  20. Juan Gonzalez disse:

    Cara, acho que você foi um pouco arrogante quando desmereceu a filosofia. Fora isso, achei bem interessante o que você escreveu. Mas confesso que não concordei. Encontrei esse outro posicionamento e me convenceu mais.

  21. Juan Gonzalez disse:

    Ok. Não podemos colocar links aqui. O posicionamento a que me refiro é o do blogspot castroesilva (Fiat Lux).

  22. Psicodelico Azul disse:

    Ué… Existem ondas que não são visíveis pelo olho humano, mas existem e são utilizadas por nós, como o microondas, por exemplo. Da mesma forma, se o homem fosse surdo, ele não seria capaz de ouvir o som, mas nem por isso ele deixaria de existir. Acho que quando a filosofia começa a se distanciar dos fatos, ela vira uma crença como outra qualquer.

    • Igor Santos disse:

      Exato. Um hobby dos ditos “filósofos” é inventar situações hipotéticas sem qualquer preocupação com a realidade.
      A filosofia já foi a base do conhecimento, hoje é a base daqueles que não têm o que fazer e não gostam de encarar o mundo como ele é.

  23. rodrigo disse:

    é.. tem gente que gosta de ser troll mesmo

  24. Juanito disse:

    Quanta arrogancia. Quanta babaquice.
    Uma pessoa assim só pode ser alguém infeliz.

    • Igor Santos disse:

      É difícil olhar para os lados e ver tanta gente burra que glorifica as virtudes da mediocridade e ser 100% feliz. Mas você não saberia disso, não é?

  25. Rayna disse:

    Achei interessante o post, mas não concordo. E talvez pelo fato de ter sido falacioso na maioria de seus comentários, acabei tendo ignorar boa parte deles. Rechaçar a filosofia dessa forma ao afirmar que é hobby de quem não tem o que fazer, é realmente ignorar todo o histórico da origem da matéria que você admira e venera, além de provar que tem a mente bastante fechada. Usa campos semânticos diferentes para se referir a uma mesma coisa, como seu exemplo do cego, acho meio ridículo… Mas pelo histórico da sua arrogância por achar que apenas a sua opinião é plausível, não discutirei sobre isso. Afinal, quem é soberbo nunca aceita qualquer outra opinião que não seja a sua.

  26. Fabiano disse:

    Sempre muito bom ler textos assim. Melhor ainda ler os comentários e argumentações. Não concordo com muita coisa dita pelo autor, mas opiniões diferentes geram estranhamento, que por sua vez geram crescimento. O que seria da ciência sem isso? E da própria filosofia?

  27. Herbert disse:

    Compadre, me diverti com o texto. Tem algumas falácias mas em geral é muito interessante.

    O que eu fiquei perplexo foi com os comentários, eu simplesmente não pude acreditar…..

    Filosofia é correta (ou aceitável) por que é a mãe da ciência??? Ciência não é lógica??? Ciência é baseada nos sentidos humanos que são limitados então ela é limitada??? ….. Existem muitos outros, mas eu tenho limite do que eu posso suportar.

    Filosofia é correta? Filosofia não deu nenhuma aplicação a humanidade nos últimos 200 anos. Nenhuma pesquisa, nenhum conhecimento sobre o funcionamento cerebral, identificação com animais, biologia, física, etc. É basicamente uma máquina de retroalimentação, lixo entra, lixo sai e esse lixo entra novamente. Ela apenas diz coisas sobre o universo que são generalizadas, não testáveis, pouco úteis e estas conclusões são utilizadas para mais trabalhos similares, GIGO.

    Ela é a mãe de todas as ciências! … e daí? Alquimia é a mãe da química, não vejo nenhum químico respeitável e que produz resultados procurando uma pedra filosofal.

    Ciência não é baseada nos nossos sentidos. Certamente começou assim mas isso é passado. Nossos sentidos são evoluídos apenas para observar objetos de tamanho médio a velocidade média, para reparar um leão que está correndo para cima de você. Quando as coisas ficam muito pequenas ou muito grandes nossos sentidos não servem para nada. Em física quântica um objeto pode “cair” para “cima e para baixo” ao “mesmo tempo” (sem se dividir), isso obviamente não faz sentido, mas é lógico, pesquisando isto se descobrir que é lógico, e com essa lógica pudemos explicar coisas sobre o universo do muito pequeno, não apenas isso, mas fizemos predições sobre como coisas deveriam se comportar e quando testadas elas se confirmaram, este é o sinal de uma boa teoria.

    Filosofia apenas questiona e vem com explicações não úteis … “Cai ou não cai, faz som ou não faz, eu existo ou não” (desculpe o argumento do espantalho, mas entenderam o problema). Não tem como provar que todos não somos cérebros em frascos que recebem toda a informação virtual, ou que fadas criadoras de universo não criaram o universo a 5 minutos atrás com todas as memórias de como sempre existimos.

    O melhor meio que encontramos para descrever o universo a nosso redor é ciência, que funciona com evidência, resultados testáveis e repetíveis, refinamento, melhoria de teorias e refutamento das quais não tem fundamentos. E se mostrou a melhor ferramenta que temos para explicar o universo.

    Pode estar errada? Pode ser limitada? Talvez. Mas só podemos descobrir isso provando, não apenas fazendo afirmações. O que ela descobre pode não ser a verdade sobre o universo, mas é o mais próximo que conseguimos, ao longo do caminho mais evidencias são encontradas e descobrimos novas coisas.

    Enquanto filosofia discute se uma coisa é moral ou não, ciência substitui seus preconceitos privados por informação publicamente verificável. Ciência coloca o homem em outros planetas. Ela funciona!

    • Lucas disse:

      A ciência é essencial para nosso desenvolvimento, mas ela sozinha é burra: antigamente tinha-se como absoluta a teoria de que a terra era plana, por exemplo. Da mesma maneira, verdades científicas incontestáveis de hoje se tornarão ingênuas com o passar dos anos.
      Ou seja, a própria ciência se desmente, e tem por meio desse princípio seus avanços.
      E o ponto é que essa mudança de paradigma é proporcionado, em sua essência, pelo pensamento filosófico – já que esse expande questionamentos e parâmetros…

      Pelo amor, se informem direito sobre o real significado de filosofia: assim ficará claro que os processos são indissociáveis para ocorrer evolução científica.

      • Igor Santos disse:

        A filosofia foi essencial. A ciência não se desmente, ela se refina, é bem diferente. E a ferramenta do método científico é bem melhor e infinitamente mais sofisticada do que a filosofia corrente, que se tornou opiniões baseadas em achismo. Ela foi importante, no passado, porque não existia algo melhor. Hoje existe e a filosofia (e seus defensores) não tem coragem de assumir seu lado histórico e sua irrelevância presente.

  28. Esta frase é um mondô zen clássico.

    O som sempre existirá, quer exista alguém a observar ou não, porém, o barulho é um “conceito”, um significado dado ao som ouvido. É neste sentido que o barulho não existirá.

    Se formos para o Ocidente encontraremos Berkeley, que fala sobre o Big Ben, que só existiria para ele se fosse observado. E ele é um dos pais da observação científica que conhecemos hoje.

    O Descartes? Outro influenciador do pensamento científico contemporâneo, que valoriza a observação, que diz “Penso, logo existo” e caiu numa armadilha lógica, pois não haveria meio de provar a existência do mundo fora do sujeito então teve que apelar para Deus… ou Kant, que criou um ser Transcendental para o mesmo fim?

    Saia um pouco da física e conheça um pouco de Filosofia, ou talvez se você quiser ser “científico”, estude a linguística, ou matemática, em especial o Teorema de Gödel, que diz que é impossível provar que “os postulados da aritmética não contém contradição”. Segundo Fernando
    Furquim de Almeida um já falecido professor de matemática, que foi colaborador de Einstein:

    “A matemática existe porque você acredita nela”.

    E por fim a fisica Quântica, que nos diz que impossível separar o fenômeno observado do observador, pelo menos a nível atômico.

    E historicamente falando, toda ciência é antropocêntrica e presa as circunstâncias históricas que a cercam, um dos pontos de concordância entre Popper e Kuhn, os dois maiores filósofos da Ciência do século XX, cujo pensamente repercute até hoje.

    E voltando ao mondô zen: estas perguntas zen não visavam uma resposta “certa”, mas um tema para meditação. Portanto qualquer das duas respostas colocadas em termos absolutos é simplória.

    • Igor Santos disse:

      Filosofia é igual time de futebol. Prefere citar estatísticas históricas de glórias passadas a admitir que há anos não vence uma só partida.
      Ninguém aqui jamais citou um filósofo moderno ou um contribuição filosófica para a melhoria social nos últimos cem anos.

  29. hugo s. disse:

    Se no espaço as ondas sonoras não se propagam isso quer dizer que não há completamente som algum no espaço? ;)

    • Igor Santos disse:

      Não há som em lugar algum em que não exista um meio suficientemente denso para a propagação física das ondas sonoras.
      A Terra está no espaço e aqui existe som. Se existir uma nuvem de gás densa o suficiente, pode haver som. Quando uma supernova explode, existe som por algum tempo se propagando pelo espaço nos detritos.

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. (*) Campos obrigatórios.

Categorias

tempo

julho 2008
D S T Q Q S S
« jun   ago »
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  

espaço

Locations of visitors to this page

desfrute e compartilhe

Creative Commons License
Esta obra de Igor Santos é licenciada sob Creative Commons by-nc-sa.

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM