Hipóteses, teorias e leis

Quando eu digo (ou ouço, pois evito dizer isso para evitar confusões que terei que esclarecer depois) “minha teoria é de que todo almoço tem que conter alho”, eu estou usando a palavra “teoria” coloquialmente, mas deveria usar “hipótese” no lugar.
Em Ciência, o termo “teoria” é usado como referência para algo muito específico: um apanhado de idéias, alegações e modelos explicativos que agrupam múltiplas linhas de evidência entrelaçadas em um explicação totalmente abrangente.
Se difere de “hipótese” pois essa é essencialmente um palpite; um noção sobre uma alegação específica, ou o que se acha que o resultado de uma série observações ou experimentos vai ser.
Múltiplas hipóteses, após serem validadas, modificadas e alteradas para encaixar com as evidências, eventualmente evolui para um teoria científica coesa.
Muitas vezes algumas pessoas que defendem crenças que são contraditas pela ciência (como homeopatas ou defensores do desígnio inteligente) atacam os fatos dizendo que eles são “apenas teorias”.
Algumas dessas “apenas teorias”:
Teoria da Relatividade – prevê com exatidão a distensão temporal causada pela velocidade e força gravitacional em satélites e nos permite ter sistemas operantes de posicionamento global (GPS) com exatidão de centímetros. Bom para os negócios;
Teoria das Placas Tectônicas – descrevem com antecedência como as placas globais que constituem o planeta se movimentam e como isso afetaria alguns sistemas importantes (comunicação, por exemplo) ao longo dos anos e permite, indo para trás, mostrar como era o mundo e ainda prevê como animais e plantas se espalhariam pelo mundo (sendo estabelecido que um fóssil vegetal X tem uma certa idade, e tendo sido encontrado num local Y, então num local Z, numa mesma profundidade, representando a mesma regressão no tempo, fóssil semelhante deve ser encontrado). Bom para a Arqueologia;
Teoria do Sistema Heliocêntrico – o Sol é o centro de rotação de todos os planetas que formam seu sistema isso permite saber com antecedência a localização exata de qualquer planeta solar em qualquer data. Bom para a Astronomia;
Teoria dos Germes – explica como agentes infecciosos causam doenças e ajuda a criar soluções para combater tais mazelas. Bom para a Medicina e a Saúde Pública;
Teoria da Herança Genética – mostra como determinados traços (bons e maus) podem ser passados de pais para filhos, incluindo resistências ou pré-disposições a certos problemas de saúde. Bom para Genética e Medicina.
Teoria da Evolução – dados dois fósseis onde um evoluiu de outro, é possível conceber detalhadamente como um terceiro se encaixaria entre os primeiros (fóssil de transição) e saber a época em que essa mudança ocorreu. Bom para Biologia.
Teorias tão bem estabelecidas a ponto de poderem ser tratadas como Fatos, apresentando inúmeras linhas de evidência independentes, inúmeros fenômenos.
Uma teoria fará, obrigatoriamente, muitas previsões, não apenas uma previsão específica.
Mas, mesmo assim, nunca são imutáveis ou dogmáticas e podem (devem) sempre mudar para enquadrar observações e dados melhores, mais confiáveis, mais precisos.
Se apenas um evento não seguir conforme previsões de uma teoria, esta deve ser abandonada ou reformulada para se adequar à nova situação, podendo dizer com antecedência que aquilo ocorrerá novamente.
Não vale “isso aí que aconteceu diferente também vale, é porque tem que pensar da esquerda pra direita”. Post hoc não conta.
Desta maneira, teorias não podem ser provadas e nunca viram Leis.
Leis descrevem as coisas enquanto teorias as explicam.
A Lei da Gravidade diz que se eu jogar uma bola para cima num corpo com um campo gravitacional positivo, ela vai cair no chão. Sem explicação. Isso é o trabalho da Teoria Gravitacional.
Outro exemplo: a Teoria da Evolução por Seleção Natural é a melhor explicação para o Fato da evolução.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Discussão - 5 comentários

  1. Fernando disse:

    Igor gostei muito de sua abordagem por ser objetiva e didática.
    Parabéns, adorei seu texto e continue a nos brindar com suas aulas.

  2. Rosemary Furlani disse:

    Olá Igor, amei sua forma de abranger as teorias em relação as teorias!
    Você aborda os assuntos com dinamismo, passando para seus leitores e comentaristas, uma forma mais ampla de entendimento.
    Parabéns!

  3. Igor Santos disse:

    Rosemary, obrigado pelos elogios. Fico feliz que esteja gostando e comentando no meu blogue.

  4. isso e chato
    isso e chato
    isso e chato
    lezado

  5. […] são bem mais consistentes, pois exigem provas ou um escopo mais abrangente ). Ou seja, a hipótese é essencialmente um “palpite”, enquanto uma teoria é uma explicação mais abrangente que junta várias linhas de evidência, […]

Deixe uma resposta para Fernando Cancelar resposta

Seu e-mail não será divulgado. (*) Campos obrigatórios.

Categorias

tempo

abril 2009
D S T Q Q S S
« mar   maio »
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  

espaço

Locations of visitors to this page

desfrute e compartilhe

Creative Commons License
Esta obra de Igor Santos é licenciada sob Creative Commons by-nc-sa.

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM