Eyjafjallajökull, relaxe. (5, eu acho)

Já sabem ?

Continue lendo…

Ainda tenso, Eyjafjallajökull? Episódio 4

Blá blá blá blá blá blá blá.

Blá blá read on blá demora blá.

Continue lendo…

Por que tão tenso, Eyjafjallajökull? Episódio 3

Comecei segunda-feira, continuei ontem e já tem um novo hoje!

Uau, mais regular que bastidores de propaganda de iogurte.

Cliquem em “read on” para ver a foto.

Continue lendo…

Por que tão tenso, Eyjafjallajökull? Episódio 2

Como eu disse ontem, estou explicando “pareidolia” usando o Método Tenso.

Cliquem em “read on” para acompanhar a saga.

Novamente, a imagem pode demorar um pouco, mas acaba abrindo eventualmente.

Continue lendo…

Por que tão tenso, Eyjafjallajökull?

Vou comemorar a explosão do vulcão com o nome mais difícil de pronunciar de todos os tempos com uma série diária que explica, sem palavras, o significa de “pareidolia

Farei isso usando um processo conhecido pelos jovens de hoje em dia como “tenso”.

Clique neste link para tentar entender do que se trata, porque é muito constrangedor tentar explicar.

Vou usar sempre a mesma foto (retirada da página do Telegraph):
vulcão islândia Eyjafjallajokull.jpg

E, para não destruir a navegabilidade da página inicial, as fotos estarão sempre depois do pulo, onde vocês chegam clicando aqui embaixo onde está escrito “read on” (se não aparecer é porque você não está vendo a página inicial e a imagem já está carregada).

Continue lendo…

Ouça o nosso podcast direto da página (gambiarra em fase de testes)

O que se segue é um teste.

Um tocador incrustado direto na página para aqueles que querem realmente passar quarenta e tantos minutos perto do computador.

É uma gambiarra.

Me digam se funciona.

Dispersando – o primeiro podcast do mundo sobre Ciência produzido pelo ScienceBlogs Brasil e editado por mim

Vou tentar ser sucinto porque tem muito trabalho acumulado na minha mesa, mas, sinceramente, acho difícil.

Seguinte, duas semanas atrás eu, Fafá e Fernanda gravamos um podcast que, por vários motivos alheio à minha vontade, só está sendo publicado hoje.

Os assuntos tratados são atemporais (como o deserto do Atacama), portanto uma semana a mais não faz tanta diferença, mas a nossa ideia é lançar um quinzenalmente ou até semanalmente, dependendo dos nosso compromissos.

Pois bem, aqui está o link para vocês, caros leitores, tornarem-se também caros ouvintes: Podcast Dispersando vol. 1

Sugiro clicar com o botão secundário (geralmente o direito, para aproximadamente 75% da pessoas) e escolher a variação adequada de “salvar arquivo”, pois seu navegador pode querer tocar a MP3 direto.

O que pode ser a escolha de alguns, mas são quarenta e oito minutos que vocês precisariam ficar perto do computador sem usá-lo, para poder prestar a devida atenção às fabulosas discussões que seguem.

Dúvidas, comentários, sugestões, reclamações e críticas devem ser encaminhadas para o email divulgado no final do programa.

Obrigado.

Mais dicas!

Eu sei que muitos de vocês estão em vias de morar só e sei por experiência minha que isso é um negócio que pode se tornar difícil, por isso criei, da bondade do meu coração (e do fosso sem fundo do meu ego), um blogue para aliviar a transição de alguns e melhorar a condição de outros.

Muitos já sabem, mas muitos outros ainda talvez estejam por fora da novidade, portanto apresento aqui alguns textos publicados recentemente no Dicas caseiras para quem mora só:

Algumas dicas de materiais especialmente úteis em economizar dinheiro – Ferramentas

Um truque excelente para manter sua cama mais limpa por mais tempo (funciona também com travesseiros!) – Mantenha sua cama sempre limpa

Lembra aquela vez em que você perdeu a chave? O que fazer para evitar que isso aconteça novamente – Cópia da chave

Visitem. É de graça!

E praticamente semanal!

Rapidinha – Fundação Cacique Cobra Coral: assassinos ou mentirosos?

Segundo o noticiário da Globo News, o número de mortes causadas diretamente pela ação da chuva dos últimos dias (afogamentos, soterramentos, etc) já chegou em cento e cinquenta e quatro e pode chegar a duzentos.

Se os benzedores e pais-de-santo da Fundação Cacique Cobra Coral tinham o poder de impedir essa chuva e não o fizeram, eles são culpados dessas mortes por omissão.

Se eles não têm esse poder, são mentirosos.

E aí, qual dos dois vai ser?

E dizer “mas impedimos um número maior de mortos” é, além de desonestidade intelectual, zero ajuda para as centenas de pessoas afetadas não só pelas mortes como também pelas perdas materiais.

FCCC, vocês são uma vergonha para qualquer um que se denomine Espírita ou similar.

Trolololo, o enigma

Felipe acertou em cheio na mosca.

Acho que minha “obsessão” com o número 42 está deixando os enigmas tão fáceis que poucas pessoas estão se dando ao trabalho de comentar.

Que tal então um enigma não-numérico?

Deve ser interessante. Vamos lá:
(Eu escrevi uma estória tão comprida envolvendo super-heróis e supervilões como introdução para o enigma que acho que vou publicá-la separadamente, senão vocês cansariam de ler e não teriam mais forças para pensar na solução. Vou tentar uma introdução mais simples.)

Devido a circunstâncias que pareciam lógicas na hora mas nem tanto depois que a ressaca passou, um sujeito resolveu trancafiar oito pessoas em oito celas separadas e sem comunicação inter-, extra- ou intracelas.

Bastante arrependido mas sem querer parecer um idiota por ter feito isso sem motivo aparente, o captor reúne os oito capturados em uma sala comum (absolutamente vazia a não ser por duas caixas de sapato, uma azul e outra amarela) e lhes diz, por meio de um interfone (por medo de não conseguir impedir o octeto de surrá-lo ali mesmo), que os libertará (transportado-os desacordados depois de devidamente drogados até uma área remota e sem ligação com o cativeiro) caso eles achem a resposta correta para o problema que segue os seguintes critérios:

1 – O pseudossequestrador vai deixar cada pessoa entrar sozinha na sala comum e, enquanto lá dentro, ela deve necessariamente tampar ou destampar uma, e apenas uma, das caixas;

2 – Nenhum dos raptados poderá retirar ou adicionar objetos à sala comum. Também não será permitido escrever (a la Marquês de Sade, pois não há lápis por perto) nem deixar “pistas olfativas” (não sei como ele vai controlar esse aspecto, mas ele deve ter um ventilador por perto). Apenas seguir as orientações da condição 1;

3 – Ele vai liberar o acesso a uma pessoa por vez que, depois das condições 1 e 2 satisfeitas, deve voltar à sua cela específica que será trancada, bloqueando qualquer possibilidade de comunicação com os outros “participantes”;

4 – Não há regularidade no tempo de entrada nem ordem na escolha do participante (ou seja, o prisioneiro 8 poderá ser chamado à sala comum vinte vezes seguidas em quatro minutos ou ser chamado apenas uma vez, depois de cinco horas), mas em um instante indeterminado, todos terão participado do “joguinho”, de acordo com as condições 1, 2 e 3, pelo menos uma vez.

Em algum momento após a observação do critério 4, um deles deve anunciar que todos os oito já estiveram na sala comum (sem contar a reunião, seus espertinhos).

Caso acerte, serão todos libertados. Caso erre, o próximo enigma envolverá apenas as sete pessoas restantes…

Os aprisionados, enquanto ainda reunidos, têm dez minutos para bolar um plano antes de serem mandados de volta às suas celas para que o “jogo” comece.

Qual estratégia eles devem adotar?

Categorias

tempo

abril 2010
D S T Q Q S S
« mar   maio »
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930  

espaço

Locations of visitors to this page

desfrute e compartilhe

Creative Commons License
Esta obra de Igor Santos é licenciada sob Creative Commons by-nc-sa.

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM