Chau. Vou passear no lado negro e não sei se volto.

Eis que estava eu a pensar se ainda valia a pena permanecer por aqui quando tive uma burrifania que me fez resolver descer do púlpito erigido sobre a plataforma elevada acima da passagem de nível onde repousa o pódio sobre o qual se encontra a base do meu pedestal de marfim e ouro e pensar mais a respeito dos motivos alheios para coisas além da minha compreensão.

Foi então que senti o gostinho do lado negro.

Percebam:

Gêmeos univitelinos são geneticamente idênticos; dois organismos derivados de um mesmo encontro gamético fruto do amor entre duas pessoas. Ou estupro.

Por que então cada uma dessas pessoas tem uma personalidade diferente? Do par, um é geralmente mais calmo e passivo enquanto o outro é mais agitado e controlador.

Desde a concepção, tudo no desenvolvimento dessas duas pessoas é exatamente igual.

Exceto duas coisas: posicionamento intrauterino e o momento do nascimento.

Considerando que nosso primeiro lar é o ventre de nossas mães (cada um na sua, senão dá confusão) e que este, do nosso ponto de vista fetal, é imóvel, podemos estender a metáfora e tratar o berço primário da nossa criação como uma casa, pois apesar desta também estar em constante movimento relativo a milhões de outras coisas no Universo, está absolutamente impávida em relação ao que realmente nos importa: nosso CEP.

Uma das inúmeras “tradições milenares” (há controvérsias aqui quanto à longevidade da técnica adiante nominada) que conseguiu sobreviver às pressões seletivas socio-temporais foi o Feng Shui, que nos ensina que devemos tratar nossa habitação como a caverna de um dragão, e que para finalmente conseguirmos viver confortavelmente devemos pensar em como o supracitado mítico réptil alado se sentiria ao passear distraidamente por nossos quartos e banheiros.

A organização estética dos aposentos agradaria, segundo tal filosofia, não só aos olhos como também à alma, nos fazendo viver melhor.

Um irmão que tenha passado a maior parte do seu citomerismo embrionário num nódulo indetectável de energias domiciliarmente negativas gerado pela proximidade maior do fígado (o órgão filtrador de tudo que há de ruim no corpo da progenitora, quem sabe até incluindo as tais “energias” de efeito cumulativo e não-metabolizável) vai crescer psiquicamente mais retraído e tímido, com medo do mundo onde foi gerado.

A não ser que seja mais descontraído e relaxado, num corajoso gesto de desafio contra seu desenvolvimento oprimido.

Bom, de toda forma essa disposição relativa não é algo testável ou previsível. Mas existe, não existe?
E essa existência não é tautológica e ontologicamente prova de sua própria existência? Eu me pergunto…

Agora, deixando as coordenadas histéricas de lado, vamos ao parto:

Por mais que o intervalo de tempo entre o nascimento de um e de outro dos gêmeos seja pequeno, jamais será igual a zero. O exponencial avanço tecnológico dos nossos aparelhos de mensuração temporal prova isso com mais e mais precisão a cada dia (ou attossegundo).

Logo, isso abre caminho para uma hipótese (ou teoria, como queiram, pois a prostituição do vocabulário pelos cafetões ideológicos não conhece limites) que responsabilize o horário do acontecimento natalício como definidor do caráter pessoal.

E qual melhor marcador de tempo que o homem pré-medieval conhecia senão os astros?

Daí, um pequeno salto intelectual torna perfeitamente cromulente e aceitável a suposição da criação de uma relação causal entre a posição de pontos de luz na abóboda celeste e os maneirismos de um indivíduo qualquer em situações sociais. A Astrologia deve estar certa, eu concluo.

Isto é, desde que a facção escolhida seja a adequada.

Por que não? É tão bom quanto qualquer outro sistema, haja visto que não sabemos ainda o que define “personalidade”.

Por que não, então, usar o momento em que nascemos como padrão?

Para aceitar esse ato de fé nem precisamos definir “nascimento” também, especialmente considerando o quão complicado isso seria. Qual parte da criança precisa transpor o umbral materno para que ela possa ser considerada nascida de fato?

Vamos manter a impossibilidade de atos simultâneos para corpos diferentes enquanto consideramos dogmaticamente um recém-nascido como um ponto adimensional. Acreditar é bem mais fácil.

E já que estamos nessa, vamos abraçar também tudo que eu venho combatendo há tanto tempo.
(Tempo esse que foi completamente estruído, deixo aqui registrado.)

Como explicar inteligentemente o efeito placebo que ocorre não só em humanos adultos como também em bebês e cavalos sem poder cognitivo de enganarem a si mesmos? Por que não chamar isso de “homeopatia”?

Talvez os praticantes de Reiki não gostem muito, contudo poderíamos usar também “alinhamento de energias”, “manipulação de meridianos”, “efeitos quânticos macroscópicos” dentre várias outras denominações, pois foi justamente para isso que Deus inventou a classe gramatical dos sinônimos. Vamos todos dar as mãos e usá-los.

Quem sabe esse toque não seja também terapêutico e milagroso?

É tão mais fácil assim. Aceitar. Simplesmente aceitar.

Explicações são tão demoradas e complexas. Fé é sempre o melhor caminho.

Ou pelo menos o de menor resistência para nossos elétrons mentais. Uma espécie de “aterramento intelectual”.

Qual razão teríamos para complicar o mundo quando ele tem dado certo até agora?

Por mais argumentum a posteriori que tenham sido os últimos dez mil anos, o fato irrefutável de nós estarmos aqui, eu escrevendo e você lendo, prova que o mundo funciona.

Método científico? Pensamento crítico? Racionalidade? Ceticismo? Às favas com todos eles.

Se Ugh, nosso ancestral testudo, tivesse parado para raciocinar, medir e tentar entender o comportamento do felino dentuço que o perseguia à toda velocidade, não estaríamos aqui, repassando à frente, para a próxima geração, nossos medos originais de fábrica e já pré-instalados nem forçando as pobrezinhas das nossas crianças a tomar decisões que afetarão suas vidas enquanto eles não têm capacidade sequer de entender o que significa “futuro”.

É impossível ensinar alguém a pensar.

Aliás, até agora tem sido impossível entender como alguém pensa, já que ainda não inventaram um medidor de ideias.

Então, se pode existir um pensamento inexplicável em mentes separadas, como provar que telepatia também não existe e que é apenas um pensamento compartilhado pelo Sub-Etha através de um processo sensormático?

Quem me garante com 100% de certeza que Medicina e Farmacologia funcionam e que Biologia, Física e Química estão 100% corretas o tempo todo?

Homeopatas, padres, acupunturistas, rabdomantes, hippies, vendedores de cristais e água ozonizada, terapeutas do esparadrapo, cartomantes, videntes, usuários de Mac, veganos, cromoterapeutas e demais crentes têm absoluta confiança em seus tratamentos/estilos de vida e me garantem sem qualquer margem de erro que estão completa e irremediavelmente corretos em suas asserções e escolhas de seus objetos de adoração venerável.

Qual dos dois parece mais tentador? A incerteza hesitante ou a certeza categórica?

Devo admitir; depois que os olhos se adaptam ao obscurantismo e o nariz se acostuma com o cheiro da decadência, o lado negro não parece tão ruim.

Até a volta.

Se houver uma.

P.S. Todavia, como ainda não tenho um tumor intratável no meu lobo parietal nem sofri lobotomia frontal total, sei que Autohemoterapia não funciona.

Nem no Mundo Mágico da Loucura Absoluta a AHT funcionaria.

Limites existem até para os delírios mais insanos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Discussão - 26 comentários

  1. Karl disse:

    A questão de decidir entre a incerteza hesitante ou a certeza categórica é uma falsa questão, moço.
    Achei bonitinho seu ataque afetado. Mas, substitua a verdade por verossimilhança e investigue os mecanismos geradores de certezas. Os seus. No mais, preciso entender o que vc entende por “lado negro”. Tô achando que ele é bem mais “branco” do que eu suspeitava…
    Leia Manoel de Barros. Saiu uma “Obra Completa” que é incompleta (só no Brasil, um troço desse acontece!). A ciência dele (tem tratados no livro) ainda me emociona.
    Ah, Usuário de Mac rulez, hehe
    Abraço

  2. Igor Santos disse:

    Karl, no momento eu acho que ou é preto ou é branco. Cansei de ser Gandhi, é mais fácil ser Quisling.
    Examinar meus mecanismos geradores de certeza? Isso soa como muito trabalho. O outro lado não pede isso.
    Não sei se meu sentido conseguiu transpor a barreira criada pela minha afetação, mas eu “sei” do que tenho “certeza”, convictamente. Mas nadar rio acima cansa.
    Eu me considero um bom nadador, mas se precisar parar para recuperar o fôlego ou simplesmente para erguer minha cabeça para ver onde estou sou arrastado vários metros de volta.
    E, estendendo a analogia até seu limite, ou eu nado ou a correnteza me leva. Não tenho âncora.
    Pelo menos não agora.
    A obra de Barros já tem em áudio? Eu não sei mais ler…

  3. Igor Santos disse:

    Ah, e não tenho nada preferencialmente contra usuários de Mac, só contra a pseudociência gerada por alguns deles.

  4. Giqqs disse:

    Às vezes, a gente perde a paciência, né? Eu já decidí, na próxima encarnação, eu volto burra! A vida fica tão mais fácil…
    Mas será que valeria à pena?

  5. Karl disse:

    Então o “lado negro” é uma passividade? Um “deixe a vida me levar” pagodinhanamente?
    Hehe. Jamais foste Gandhi. Não serás Quisling. Tudo por pura falta de aptidão. Aptidão que não te falta ao nado. E sim, eu vou te trollar porque estou afim.
    E sim 2, eu faço um podcast com o Manuel de Barros. E ainda, chamo o Amigo de Montaigne.
    E não. Não me venha com convicções.

  6. Vicente disse:

    Maluco, tu quer puxar briga com a corja de defensores dos auto-hemoterapistas de novo?!
    Eles vão querer te esfolar vivo e substituir teu sangue por placebo pra ver cura com maior eficiência…

  7. enjolras disse:

    Cara, parei de ler o seu texto quando começou a parte do Feng Shui, logo vi que o resto seria pura besteira. Se vc acha que o mundo funciona sem os esforços de gente como nós, foda-se. Boa sorte, vá cuidar da sua vida e deixe o espaço do blog para outro que não se deixou iludir pela sua histeria.

  8. Igor Santos disse:

    Falando em certezas…
    @enjolras mostra exatamente um dos aspectos do que estou falando. Esse “nós” a que ele se refere me incluia?
    Se sim, é melhor eu aceitar a sugestão dada por ele, pois não estava sendo um divulgador científico muito eficiente. Especialmente do tipo que não lê textos completos.
    Isso é triste mesmo.
    @Giqqs, você não saberia se estaria valendo a pena. Pessoas burras não têm esse problema de auto-avaliação.
    @Karl será mesmo necessária a intervenção de um psiquiatra?

  9. arthur disse:

    Pois é… muito comum compartimentar tudo na cabeça do que desapegar de tudo o que demorou anos para construir e que agora descobriu já não servir mais… sempre se quer pegar toda a bagagem e reorganizar frente à novas descobertas, lutando até o último momento com o senso, antes de deixar pra trás cada pé de meia furado… quando já se foram todos os trapos, à descoberta da mudança constante, em vez de continuar a eterna reforma do ser, é mais comum ainda se resignar a uma posição reduzida e cética da consciência do já é conhecido.

  10. Cícero Lourenço disse:

    os seres geralmente chamados de humanos possuem muita reluta em se livrar de informações ao perceberem que são inuteis. Isso explica a manifestação do Sr. Enjolras. Mas a ótima construção do texto também explica porque o Sr. Enjolras nao compreendeu de fato.
    Um texto tão bem feito é demais pra o provável publico alvo. Aqueles que o compreendem já compartilham de suas opiniôes.

  11. arthur disse:

    Desculpe a ig, mas o que é AHT?

  12. Igor Santos disse:

    scienceblogs.com.br/uoleo/2009/08/auto-hemoterapia_e_a_medicina.php
    scienceblogs.com.br/uoleo/2009/09/o_que_faria_voce_mudar_sua_opi.php
    scienceblogs.com.br/uoleo/2009/09/auto-hemoterapia_e_a_ignoranci.php
    É meio grande. Eu evitaria ler os comentários se pudesse, mas…

  13. arthur disse:

    Interessante isso… Eu li o parecer médico do link que vc indicou (http://www.portalmedico.org.br/pareceres/cfm/2007/12_2007.htm), e nele diz que “não existem estudos […] relativos à auto-hemoterapia desde a sua proposição como recurso terapêutico na primeira metade do século XX até os dias atuais” e que “não existem evidências confiáveis em revistas científicas de elevado padrão de que a auto-hemoterapia seja efetiva para qualquer doença em seres humanos”. Mas não fala que não funciona, como vc afirma. O que falta é um estudo para determinar a eficácia ou inéficácia, visto que nenhum dos dois foi corroborado ainda. Agora fiquei curioso para saber mais.

  14. Igor Santos disse:

    Você está familiarizado com o termo “inversão do ônus da prova”?
    Eu não tenho que provar coisa alguma. Que prove quem defenda sua eficácia.
    Provaram que funciona? Não. E por que não provaram? Porque não funciona.
    Agora prove que eu estou errado. Eu desafio você a provar isso.
    Se você provar que eu estou errado, eu lhe dou minha casa e uma das minhas pernas a sua escolha.
    E já que você acha que vacina segue o mesmo princípio que homeopatia, eu estou totalmente confiante de que vou continuar andando naturalmente, visto que você sequer entende conceitos básicos do mundo.

  15. arthur disse:

    Na verdade não estou familiarizado não, mas agora que vc citou, procurei na wikipédia (bendita seja a Internet!): “Quando o argumentador transfere ao seu opositor a responsabilidade de comprovar o argumento contrário, eximindo-se de provar a base do seu argumento”.
    Me corrija se estiver errado, mas acho que esse é um bom exemplo: “Provaram que funciona? Não. E por que não provaram? Porque não funciona. Agora prove que eu estou errado.” – O seu argumento é: não funciona, baseado em: porque não provaram que funciona. Onde vc deveria comprovar a base do seu argumento (não funciona), vc passa para mim a responsabilidade de provar o contrário (funciona) e conclui que vc está certo porque o contrário não foi comprovado. Isso é uma falácia do tipo “inversão do ônus da prova”, logo vc está errado.
    Cheguei à essa conclusão só na lógica, guiado pelo que vc mesmo escreveu, embora eu não saiba pra que funcionaria ou não.
    Eu não acho que a vacina segue o mesmo princípio da homeopatia, ambas foram criadas com base no mesmo princípio (estimular a produção de anticorpos para patologia específica) e isso é fato, não sou eu que acho isso. A diferença é nos meios de se obter esse resultado. A vacina tem um método comprovadamente funcional, enquanto a homeopatia tem a eficácia não comprovada e métodos não aceitos e, até onde se sabe, só possui efeito placebo.
    Pode ficar com as pernas, a casa eu aceito.

  16. Olivares Rocha disse:

    minha bunda dói

  17. Aconsil disse:

    caraca em fake na área …kkk
    esse igor é uma comédia… sei lá.. parece mais o amiginho dele, o namur…o post do Olivares, o último, é falso como a lógica do vaidoso do dono deste site/blog/cartaz de exibicionaismo ufano-fanático…kkk

  18. Olivares Rocha disse:

    Igor, vc é cômico…
    Se não se digna a responder com lógica, ao menos seja respeitoso… Mostrei que estão tentando patentear uma vacina fruto da proteinoterapia que é a base da AH… mas esta sua xiênxia de tapetão não tá nem ai pra fatos né? apaga depois.. e ai fica com se isso também não existisse… tapa o sol com peneira…
    e por favor, apaga essa babaquice que um idiota escreveu ai em meu nome. Tenho certeza que esta infantilidade não é de sua autoria…
    diz um dos pais da vacina, lá da UFRJ:
    Gostaria que o Zimduck já estivesse á disposição nos postos de Saúde Pública.Fomos aprovados em fase I de pesquisa clinica mas ainda não conseguimos que o Governo federal tivesse tempo para reavaliar as negativas anteriores quando tentamos,após aprovados por unânimidade nos CEPs de Pesquisa,seguidamente fomos impedidos de ir em frente.Nunca houve qualquer negativa técnica ou científica.Apenas fomos negados e…NÂO CABE RECURSO!!!
    por isto peço aos interessados no Zimduck que permaneçam atentos porque continuamos com nossa determinação em implantar uma maneira diferente de pensar a saúde e os tratamentos.
    O Produto não pode nem está à venda porque ainda não foi avaliado nem aprovado pela ANVISA.Há que se anotar que a ANVISA AUTORIZOU a fase clinica I.Estamos há 15 anos nesta jornada de alegria e muito suor.Chegará o dia que o Zimduck estará ao alcance dos que precisam.
    grande abraço á todos
    dr luiz fernando mesquita
    [email protected]
    Leia mais: ZIMDUCK, REMÉDIO QUE PROTEGE O ORGANISMO CONTRA INFECÇÕES DO GLOBO REPÓRTER | Mulher Feliz http://www.mulherfeliz.com.br/2010/05/29/zimduck-remdio-que-protege-o-organismo-contra-infeces-do-globo-reprter/#comment-10200#ixzz0qJVEkD1v

  19. Olivares Rocha disse:

    será que o médico Moura não conheceu os meandros da política e da administração pública (foi o que hoje seria Ministro da Saúde, e diretor de vários hospitais públicos…) o suficiente pra saber o que conseguiria??
    Para vc ter uma idéia:
    enquanto a Ah vai proscrita, a Medi$ina Ofi$ial trabalha….
    sobre o ZUMDICK fala um de seus pais:
    Gostaria que o Zimduck já estivesse á disposição nos postos de Saúde Pública.Fomos aprovados em fase I de pesquisa clinica mas ainda não conseguimos que o Governo federal tivesse tempo para reavaliar as negativas anteriores quando tentamos,após aprovados por unânimidade nos CEPs de Pesquisa,seguidamente fomos impedidos de ir em frente.Nunca houve qualquer negativa técnica ou científica.Apenas fomos negados e…NÂO CABE RECURSO!!!
    por isto peço aos interessados no Zimduck que permaneçam atentos porque continuamos com nossa determinação em implantar uma maneira diferente de pensar a saúde e os tratamentos.
    O Produto não pode nem está à venda porque ainda não foi avaliado nem aprovado pela ANVISA.Há que se anotar que a ANVISA AUTORIZOU a fase clinica I.Estamos há 15 anos nesta jornada de alegria e muito suor.Chegará o dia que o Zimduck estará ao alcance dos que precisam.
    grande abraço á todos
    dr luiz fernando mesquita
    [email protected]
    Leia mais: ZIMDUCK, REMÉDIO QUE PROTEGE O ORGANISMO CONTRA INFECÇÕES DO GLOBO REPÓRTER | Mulher Feliz http://www.mulherfeliz.com.br/2010/05/29/zimduck-remdio-que-protege-o-organismo-contra-infeces-do-globo-reprter/#comment-10200#ixzz0qJVEkD1v
    repetindo:
    Fomos aprovados em fase I de pesquisa clinica mas ainda não conseguimos que o Governo federal tivesse tempo para reavaliar as negativas anteriores quando tentamos,após aprovados por unânimidade nos CEPs de Pesquisa,seguidamente fomos impedidos de ir em frente.Nunca houve qualquer negativa técnica ou científica.Apenas fomos negados e…NÂO CABE RECURSO!!!
    Então se pesquisadores da FIOCRUZ, UFRJ, entre outras instituições tiveram de bancar pesquisas do próprio bolso (cadê a iniciativa privada?) e estão enfrentando barreiras ainda a nível governamental, imagina um médico sozinho… eles ainda tem alguma esperança de retorno financeiro desta vacina, enquanto a AH…
    deixa de raciocínio infantil… cai na real…

  20. Igor Santos disse:

    Olivares, eu reservo minha lógica para ideias coerentes.
    Os devaneios de um deficiente mental devem ser respondidos com tratamento psiquiátrico.

  21. Olivares Rocha disse:

    Da leitura do exposto, onde cada qual apresentou seus preceitos, conceitos e preconceitos, que tirem a melhor conclusão… mas…
    esta sua estratégia de usar argumento ad hominem ( Viva o Dr. Google. gostei dessa… kkk) é típica de seu ídolo, o médico parecerista, o da proibição dogmática da AH, vc sabe de quem estou falando…
    Seja, ao menos, original… mas sem baixarias como a anterior, por favor…
    e sobre o Zimduck e suas origens metodológicas, nada?
    ou tudo não passa de mais devaneios? kkk

  22. Igor Santos disse:

    Só é ad hominen quando se tenta invalidar o argumento dando características negativas ao argumentador.
    Mas obviamente você não tem como entender isso por ser tão burro.

  23. Olivares Rocha disse:

    Ops, perai!!!!
    Sem ofensas. Que coisa feia Igor, um cara tão inteligente perdendo rebolado prum cara burro como eu? Me sinto até lisonjeado…
    Mas… vc me destrata porque me considera burro …e desconsidera meus argumentos porque… são os de um …burro.?.. e ..isso.. não … seria argumento ad hominem?!?!
    Vc tá imitando demais seu mestre… menos…menos…
    kkkk

  24. arthur disse:

    vc pode mudar o nome para argumento add hominem, pq cada vez tem mais gente pra vc tentar desacreditar.

  25. Olivares Rocha disse:

    e cada vez mais gente (e instituições) prejudicada com a perda economica, ao deixar de vender remédios, consultar doentes com doenças que a Ah ameniza ou controla o mesmo cria remissão.. e cada vez mais gente fazendo e cada vez mais gente se tornando um difosor pois se vê claramente os resultados da AH.
    e onde estariam as denúncias de complicações mesmo?
    Já sei: na imaginação de quem quer porque quer que a Ah seja falsa…
    vamos fazer uma campanha? todo infeliz prejudicado com a Ah deve denunciar!!! Denuncia já!!! Criemos um fundo pra pagar a passagem deonibus e se for pouco, um táxia pro cara ir aos conselhos de medicina , Anvisa e denunciar.. quem sabe se anima a provar que foi prejudicado???
    Se não der certo, vamos pagar tratamento psicológico pra enfrentar a vergonha..
    Até agora só na cabeça de quem é contra..
    e…
    eu não mudei o nome de nada não. vc já provou que prefere me destratar a provar o que afirma… suas provas são só teóricas…achologia…

  26. Bruno disse:

    Cara, faz um canal no Youtube e fala esses textos ai que você escreveu ou anima sei lá… Do caralho aqui!

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. (*) Campos obrigatórios.

Categorias

tempo

maio 2010
D S T Q Q S S
« abr   jul »
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

espaço

Locations of visitors to this page

desfrute e compartilhe

Creative Commons License
Esta obra de Igor Santos é licenciada sob Creative Commons by-nc-sa.

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM