666, o mais besta dos números

Aqui há sabedoria. Aquele que tem entendimento calcule o número da besta, pois é número de homem. Seu número é seiscentos e sessenta e seis.

Por algum motivo que totalmente escapa ao meu conhecimento, o famoso “meia, meia, meia” causa desde calafrios em alguns até constipação em algumas (sendo o bloqueio ventral mais comum nas de inclinação feminina) pelo simples fato de aparecer na passagem citada acima. Na minha “sabedoria”, tendo eu “entendimento”, calculo que o “número da besta” é o mesmo que o “número de homem”. Eliminando “número” dos dois lados da equação, concluo matematicamente que besta = homem, i.e., homem é bicho besta.

Por que então a hexacosioihexecontahexafobia? Se o seiscentos e sessenta e seis representa o homem, a boa e velha misantropia resolveria para os religiosos. Oh, wait…

Contudo não é só de maldições pueris e delírios místicos da idade do ferro que vive o número 666.

O número que tanto assombra os bestas[1] tem várias propriedades matemáticas bem interessantes.

Ou, no mínimo, mais interessantes que a conspiração capenga do código de barras.
pi barcode

Por exemplo; seiscentos e sessenta e seis é o resultado da soma dos quadrados dos sete primeiros números primos: 2² + 3² + 5² + 7² + 11² + 13² + 17² = 666.

Outra boa; somando cada 6 tanto individualmente quanto elevado ao cubo, temos novamente o número citado: 6 + 6 + 6 + 6³ + 6³ + 6³ = 666.

Já sentiu calafrios? Ainda não? E se eu disser que existe uma soma dos algarismos de 1 a 9, em seqüência, que dá 666?

1 + 2 + 3 + 4 + 567 + 89 = 666!

E se eu disser que existe ainda outra soma serial?

123 + 456 + 78 + 9 = 666!!

Do 9 ao 1 também funciona: 9 + 87 + 6 + 543 + 21 = 666!!!

A soma dos trinta e seis primeiros números naturais também: 1 + 2 + 3 + 4 + 5 + 6 + 7 + 8 + 9 + 10 + 11 + 12 + 13 + 14 + 15 + 16 + 17 + 18 + 19 + 20 + 21 + 22 + 23 + 24 + 25 + 26 + 27 + 28 + 29 + 30 + 31 + 32 + 33 + 34 + 35 + 36 = 666!!!!

Oooooooh! /o\

Falando em seqüência, o número besta em algarismos romanos é DCLXVI, uma sucessão perfeita de todos os números romanos (exceto o M, de “mágica”) do maior para o menor!
dados 666

E não é só isso!

Adivinhe quanto dá a soma das 144 (que pode também ser expresso como (6+6)·(6+6)) primeiras casas decimais de pi.

ISSO MESMO, VOCÊ ADIVINHOU! 1 + 4 + 1 + 5 + 9 + 2 + 6 + 5 + 3 + 5 + 8 + 9 + 7 + 9 + 3 + 2 + 3 + 8 + 4 + 6 + 2 + 6 + 4 + 3 + 3 + 8 + 3 + 2 + 7 + 9 + 5 + 0 + 2 + 8 + 8 + 4 + 1 + 9 + 7 + 1 + 6 + 9 + 3 + 9 + 9 + 3 + 7 + 5 + 1 + 0 + 5 + 8 + 2 + 0 + 9 + 7 + 4 + 9 + 4 + 4 + 5 + 9 + 2 + 3 + 0 + 7 + 8 + 1 + 6 + 4 + 0 + 6 + 2 + 8 + 6 + 2 + 0 + 8 + 9 + 9 + 8 + 6 + 2 + 8 + 0 + 3 + 4 + 8 + 2 + 5 + 3 + 4 + 2 + 1 + 1 + 7 + 0 + 6 + 7 + 9 + 8 + 2 + 1 + 4 + 8 + 0 + 8 + 6 + 5 + 1 + 3 + 2 + 8 + 2 + 3 + 0 + 6 + 6 + 4 + 7 + 0 + 9 + 3 + 8 + 4 + 4 + 6 + 0 + 9 + 5 + 5 + 0 + 5 + 8 + 2 + 2 + 3 + 1 + 7 + 2 + 5 + 3 + 5 + 9 = 666.

E 144 é 12²!

Não que isso tenha relevância alguma neste contexto, mas é sempre bom saber o quadrado de alguns números de cor.

355 dividido por 113 é 3,141592 e mais uns quebrados. Pi também é igual a 3,141592 e uns quebrados. Agora, usando a propriedade esculhambativa da soma de números de três algarismos, temos:

553 (o inverso do dividendo) + 113 = 666, e;

311 (o inverso do divisor) + 355 = 666.

Tênue, eu sei. Mas volta a melhorar, prometo.
polidactilia hardcore

A soma de todos os dígitos da quadragésima sétima potência de seiscentos e sessenta e seis dá, acredite ou não, seiscentos e sessenta e seis!

666^47 = 5049969684420796753173148798405564772941516295265408188
117632668936540446616033068653028889892718859670297563286219594
665904733945856
.

5 + 0 + 4 + 9 + 9 + 6 + 9 + 6 + 8 + 4 + 4 + 2 + 0 + 7 + 9 + 6 + 7 + 5 + 3 + 1 + 7 + 3 + 1 + 4 + 8 + 7 + 9 + 8 + 4 + 0 + 5 + 5 + 6 + 4 + 7 + 7 + 2 + 9 + 4 + 1 + 5 + 1 + 6 + 2 + 9 + 5 + 2 + 6 + 5 + 4 + 0 + 8 + 1 + 8 + 8 + 1 + 1 + 7 + 6 + 3 + 2 + 6 + 6 + 8 + 9 + 3 + 6 + 5 + 4 + 0 + 4 + 4 + 6 + 6 + 1 + 6 + 0 + 3 + 3 + 0 + 6 + 8 + 6 + 5 + 3 + 0 + 2 + 8 + 8 + 8 + 9 + 8 + 9 + 2 + 7 + 1 + 8 + 8 + 5 + 9 + 6 + 7 + 0 + 2 + 9 + 7 + 5 + 6 + 3 + 2 + 8 + 6 + 2 + 1 + 9 + 5 + 9 + 4 + 6 + 6 + 5 + 9 + 0 + 4 + 7 + 3 + 3 + 9 + 4 + 5 + 8 + 5 + 6 = 666.

E por quê 47? Porque é um número primo!

Exatamente a mesma coisa ocorre com 666 elevado a 51: 666^51 = 9935407575913859403342635113412959807238586374694310089
971206913134607132829675825302345582149184809607489728389006376
34215694097683599029436416
.

9 + 9 + 3 + 5 + 4 + 0 + 7 + 5 + 7 + 5 + 9 + 1 + 3 + 8 + 5 + 9 + 4 + 0 + 3 + 3 + 4 + 2 + 6 + 3 + 5 + 1 + 1 + 3 + 4 + 1 + 2 + 9 + 5 + 9 + 8 + 0 + 7 + 2 + 3 + 8 + 5 + 8 + 6 + 3 + 7 + 4 + 6 + 9 + 4 + 3 + 1 + 0 + 0 + 8 + 9 + 9 + 7 + 1 + 2 + 0 + 6 + 9 + 1 + 3 + 1 + 3 + 4 + 6 + 0 + 7 + 1 + 3 + 2 + 8 + 2 + 9 + 6 + 7 + 5 + 8 + 2 + 5 + 3 + 0 + 2 + 3 + 4 + 5 + 5 + 8 + 2 + 1 + 4 + 9 + 1 + 8 + 4 + 8 + 0 + 9 + 6 + 0 + 7 + 4 + 8 + 9 + 7 + 2 + 8 + 3 + 8 + 9 + 0 + 0 + 6 + 3 + 7 + 6 + 3 + 4 + 2 + 1 + 5 + 6 + 9 + 4 + 0 + 9 + 7 + 6 + 8 + 3 + 5 + 9 + 9 + 0 + 2 + 9 + 4 + 3 + 6 + 4 + 1 + 6 = 666.

E por quê 51? Porque não é um número primo! Viu como o 666 está pouco se importando com as suas regras? \,,/

Eu poderia dizer que 4+7 multiplicado por 5+1 dá 66, no entanto, apesar de matematicamente correto e visualmente agradável, não faria muito sentido.

Alternativamente, direi que a soma do cubo dos dígitos em seu quadrado mais os do seu cubo dá 666.

666² = 443556; 4³ + 4³ + 3³ + 5³ + 5³ + 6³ = 621.

666³ = 295408296; 2 + 9 + 5 + 4 + 0 + 8 + 2 + 9 + 6 = 45.

621 + 45 = 666

Confuso, porém correto.

A fatoração de 666 em números primos é expressa como 2 · 3 · 3 · 37, e 6 + 6 + 6 = 2 + 3 + 3 + 3 + 7.

A sexta potência de seiscentos e sessenta e seis tem seis números seis.

666 em base 10 é 666.

O primo mais próximo de 666 é 661 que, subtraído daquele, dá 5, outro número primo.

666 + 666 + 666 = 1998, um ano doze anos atrás, contando do ano passado.

666 é número par.

Tá, eu paro. É melhor eu admitir que não sei mais nenhuma curiosidade interessante.

Finalizando esta aventura numérica de proporções bíblicas (desculpem, mas alguns clichês precisam ser explorados vez por outra), sabe outro número também associado ao Anticristo e a tudo-que-num-presta?

(Prepare-se para a explosão mental.)

À besta foi dada uma boca para falar palavras arrogantes e blasfemas, e lhe foi dada autoridade para agir durante quarenta e dois meses.

No capítulo 11 do nosso mais amado texto pré-científico movido a chá de cogumelo, uma rapaziada esperta composta por duas oliveiras e dois candelabros (versículo 4) que fazem bico de porteiro com poder para fechar o céu (versículo 6) mostram o quão descolados são ao vestir somente pano de saco (versículo 3) enquanto profetizam durante mil duzentos e sessenta dias (o número de dias em 42 meses).

Se considerarmos 1260 como capítulo 12, versículo 6, temos outra menção do número: “A mulher fugiu para o deserto, para um lugar que lhe havia sido preparado por Deus, para que ali a sustentassem durante mil duzentos e sessenta dias.

Ainda, usando magia influenciada pela delirante mitologia hebraica forjada sob o calor excessivo de um deserto inclemente que não perdoa os cérebros mais moles, temos: 1260 => 12; 6; 0 => 6+6; 6. (Zero não conta. É como Jesus quereria.)

42 · 30 (3 sendo metade de 6 e tomando emprestado o zero da conta acima) = 1260.

Ou seja, 42 = 666. CQD

Manipular números é legal, né não?

Bônus!

[D]iziam “Então diga: ‘Chibolete’ “. Se ele dissesse: “Sibolete”, sem conseguir pronunciar corretamente a palavra, prendiam-no e matavam-no no lugar de passagem do Jordão. Quarenta e dois mil efraimitas foram mortos naquela ocasião.

A moral aqui é: pelo amor de deus, aprenda a enunciar!
YHWH

[1] Certa vez, uma conta numa lanchonete deu R$15,15 que, depois dos 10% do serviço totalizou R$16,66. Quando apontei para a “aparição” do 666 (que, caso contrário, passaria despercebido), a pessoa (supostamente esclarecida) que estava comigo fez questão de pagar vinte reais e deixar o troco, justificando com um “ai, eu não gosto dessas coisas”. Nem meus protestos de “mas três reais e trinta e cinco compram outro suco!” foram suficientes para dissipar aquela inane superstição. Para vocês verem; falta de pensamento crítico também faz perder dinheiro. Tsc, tsc, tsc…

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Discussão - 30 comentários

  1. Andre Souza disse:

    Aproveitando que vc já está com as mãos sujas de números e ainda sobre alguns argumentos usados na discussão do “inadequado e adequado” daquele livro de gramática…
    2+2 pode ser igual a 5?
    2+2=10 é fácil

  2. Igor Santos disse:

    2 + 2 = 5 tem uma falácia de eliminação de termo no meio, né? Acho que envolve quadrados, não lembro.
    E, fácil mesmo é 2 + 2 = 100.

  3. André Souza disse:

    Esta de quadrados não sei…A que eu pensei era com anel algébrico…a princípio, pensei em (0,1,2,3,5) …mas vi q não é um anel por não existir simétrico para 1 (1+x=0) e por não haver comutatividade (5+1>1+5)…droga

  4. Igor Santos disse:

    Considerando que 2+2 = 2+2+0;
    x = y
    x² = xy
    x²-y² = xy-y²
    (x+y)(x-y) = y(x-y)
    x+y = y
    2y = y
    2 = 1
    1 = 0
    Substituindo: 1 = 0; 2+2 = 2+2+1;
    2+2 = 5
    Ou algo assim.

  5. Livio disse:

    Igor,
    Esse viés vem da mania esquisita que as pessoas tem de interpretar a bíblia de maneira literal.
    No caso, tal número vem de simbologismo místico, das tais kameas (antecessoras longínquas do Sudoku):
    http://www.daemon.com.br/wiki/index.php?title=666,_the_Number_of_the_Beast
    Veja, não estou assinando embaixo do camarada do link, mas simplesmente apontando uma iconografia adicional, para se contextualizar o significado “misteriooooso” do número 666.

  6. Wolfram disse:

    O erro está no passo 5, onde é feita uma divisão por zero (x-y=0), que é algebricamente impossível.

  7. Igor Santos disse:

    Lívio, ainda bem que você não está assinando embaixo, porque aquele cara está usando misticismo para tentar justificar outro misticismo.
    Fora erros bizarros, como dizer que “a ciência precisou inventar um termo para descrever “o medo irracional relacionado ao número 666″”. Não. Quem inventou o termo foi a etimologia grega.

  8. Igor Santos disse:

    Sr. Wolfram, aconselho que demita seu assessor da sucursal natalense (vide IP) pois este não sabe achar um erro básico de soma e subtração numa equação com oito etapas.
    Grato.

  9. Kim disse:

    Gostei do post, especialmente o “E por quê 51? Porque não é um número primo!”. Malabarismos aritméticos não revelam muita matemática, mas eu me pergunto o quanto as coincidências apresentadas estão conectadas por algo mais profundo. A conjectura de Goldbach diz que qualquer número pode ser expresso como a soma de dois primos (666 = 661+5), e talvez revelemos algo sobre ele se estudarmos a conjectura de Uôleo sobre os números que, subtraídos do primo mais próximo, resultam num primo.

  10. Vanessa Leite disse:

    Olá, posso copiar sua postagem para meu blog? Aguardo retorno! Obrigada.

  11. Igor Santos disse:

    Sêo Google não gosta muito de repetições, então você pode colocar um trecho com o devido link apontando para cá. Pode ser?

  12. Vanessa Leite disse:

    Claro que pode! Muito obrigada!

  13. Igor, este é um post muito legal e informativo! Desculpe se os comentários a seguir sejam meio “Sheldonianos”, eles tão somente visam complementar as informações do post.
    Fiquei curioso sobre as referencias nas quais você se baseou o texto? Poderia comentar sobre as fontes? Tem a ver com as pesquisas numerológicas e bíblicas de Isaac Newton e editadas por John Maynard Keynes?
    Cuidado com o mito, inventado pelos Iluministas um século depois da morte de Newton, de que o mesmo era um iluminista e que só fez pesquisa bíblica por ter se intoxicado com mercúrio na velhice. Na verdade, como determinado pelo economista John Maynard Keynes (que comprou os manuscritos biblico-alquimicos de Newton da Universidade de Cambridge) e por historiadores recentes, a maior parte de escritos bíblicos e alquímicos de Newton é do período de maior produção em física, quando era jovem.
    Aparentemente, Newton pertencia a uma seita de neo-Pitagoricos, que incluia Boyle e outros cientistas da época (isso explicaria porque ele hesitava tanto em publicar seus achados, para os Pitagoricos o conhecimento cientifico deve ser reservado aos iniciados e não ser dado ao publico em geral). Newton publica o Principia, vinte anos mais tarde, apenas por que Hooke estava quase publicando sua teoria da gravitação, que tinha a lei do 1/R^2 como postulado. Curiosamente, Newton tem seu anno mirabilis em 1666, mas certamente isso é uma coincidencia e Newton não era besta…
    O volume das pesquisas magico-renacentista de Newton é cerca de dez vezes superior (em manuscritos) do que sua pesquisa em física, segundo Keynes, o que o levou a considerar Newton como o “Ultimo Mago Renascentista” (assim como Giodano Bruno o era) e não como o “primeiro cientista”. Se houve um primeiro cientista a fazer “ciencia experimental”, este seria o biólogo Aristóteles, cujos experimentos são bem documentados historicamente… Já os primeiros físico teóricos seriam os filósofos pré-socraticos, cujo Atomismo da época era tão Popperianamente não testável quanto a Teoria de SuperCordas hoje em dia… Quanto a Pitágoras, o Pitágoras histórico, se realmente existiu, era apenas o fundador de uma seita de vegetarianos, reencarnacionaistas e adeptos da Numerologia. Segundo os “evangelhos” que contam a vida de Pitagoras (o primeiro deles escrito cerca de 300 anos após a morte do filósofo!), Pitágoras era Filho de Apolo com uma mãe humana, tinha poderes de cura e de estar presente em vários lugares ao mesmo tempo, e acreditava que seu melhor amigo tinha se reencarnado em um cachorrinho que estava apanhando no meio da rua… Realmente eu ainda não entendi porque contamos o mito de Pitágoras em nossos blogs e nossas escolas… Ele foi desmascarado faz tempo pelos historiadores!
    Quanto ao número 666 do Apocalipse de João (existem outros livros do século II chamados de Apocalipse = “Revelação”, cuidado), dado que os judeo-cristãos não usavam o zero nem números arábicos (e os pagãos também não!), a maior parte das coincidências do post, que usam base 10 ou base binaria não seriam relevantes para identificar quem seria a “Besta” que o autor do livro se referia.
    Os historiadores dizem que o numero 666 do Apocalipse de João se refere à soma do valor numérico do nome do Imperador Cláudio Nero (37-68 E.C. = Era Comum).Em latim, cada letra também tem um valor numérico, mas talvez o autor tenha usado o grego – língua do Apocalipse, ou os valores numéricos da Cabala Judaica) por causa do relato de Tacito:
    Da Wikipedia: Persecution under Nero, 64–68 AD
    Main article: Great Fire of Rome
    The first documented case of imperially supervised persecution of the Christians in the Roman Empire begins with Nero (37–68). In 64 AD, a great fire broke out in Rome, destroying portions of the city and economically devastating the Roman population. Nero himself was suspected as the arsonist by Suetonius,[10] claiming he played the lyre and sang the ‘Sack of Ilium’ during the fires. In his Annals, Tacitus (who claimed Nero was in Antium at the time of the fire’s outbreak), stated that “to get rid of the report, Nero fastened the guilt and inflicted the most exquisite tortures on a class hated for their abominations, called Christians [or Chrestians[11]] by the populace” (Tacit. Annals XV, see Tacitus on Jesus). Suetonius, later to the period, does not mention any persecution after the fire, but in a previous paragraph unrelated to the fire, mentions punishments inflicted on Christians, defined as men following a new and malefic superstition. Suetonius however does not specify the reasons for the punishment, he just listed the fact together with other abuses put down by Nero.[12]
    Ou seja, seria uma referência direta ao imperador romano, como simbolo de todos os imperadores e do próprio Império (a “Nova Babilônia” é Roma) que perseguiram os cristãos porque eles eram considerados os “ateus” da época (eles não faziam sacrifícios nem reconheciam os imperadores romanos como Filhos de Deus, e não respeitavam os deuses patronos das cidades. Assim, se uma epidemia, terremoto, inundação etc atingia alguma cidade greco-romana, a culpa era jogada naqueles que ofendiam o deus/deusa patrono da cidade. No caso, eram os a-teus = cristãos, que eram na sua maioria da ralé. Os ateus filósofos, de classe alta, estoicos etc, não revelavam em publico seu ateísmo e, mesmo se o fizesse, por serem de classe alta e famílias patronas, não eram atingidos pela histeria popular.
    Para os cristãos, em vez do Imperador, o “Filho de Deus” era um “biscateiro” de Nazaré (tradução correta do termos “carpinteiro” no grego original), possivelmente um mestiço judeu-gentio (segundo a lenda, de Maria e Pantera, que seria um soldado romano). Talvez isso explique porque o Cristianismo acabou se abrindo para os gentios. O tal “apostolo dos gentios”, Paulo de Tarso, foi decapitado em 64 E.C., segundo a tradição oral, e talvez Pedro tenha sido crucificado na mesma época, ou seja, justamente na perseguição de Nero, de 64-68 E.C. Como Pedro e Paulo eram caras influentes no Cristianismo Primitivo, o Imperador responsável por sua morte certamente seria considerado “A BESTA”, ou “O ANTICRISTO”.
    Além disso, Tiago, judeo-cristão chefe da igreja em Jerusalem, irmão (primo não, era irmao mesmo!) de Jesus de Nazaré, e que foi o cara responsável pela briga entre Pedro e Paulo por tentar exigir que os novos cristaos se circuncidassem, morreu decapitado em 70 E.C. durante a primeira guerra judaico-romana, que, de novo, foi iniciada por Nero:
    Da wiki: Revolta judaica
    Ver artigo principal: Primeira Guerra Judaico-Romana
    Em 66 estourou uma revolta na Judeia (província romana)Judeia derivada da crescente tensão religiosa entre gregos e judeus.[94] Em 67, Nero enviou Tito Flávio Vespasiano a sufocar a rebelião,[95] coisa que fez satisfatoriamente em 70, dois anos depois da morte do próprio Nero.[96] Durante o conflito, os romanos destruíram a cidade de Jerusalém e destroçaram o seu Templo.[97]
    Lembremos tambem que, segundo teólogos e historiadores, o Apocalipse se refere à situação dos cristaos no final do século I e inicio do II, e não se refere a nenhum acontecimento que aconteceria no final da historia humana.
    É uma espécie de história para consolar ou fortalecer os grupos cristaos que estavam desanimados com seu status inferior e perseguição no Imperio. Por exemplo, um cristão nunca seria eleito para o Senado Romano (embora muitos filosofos ateus e gays o fossem! rs Como a situação mudou, não?).
    Interessante que tais perseguições duraram até o ano de 313 E.C. Antes disso, cristãos e outros “ateus” eram os bodes espiatorios de tudo o que acontecia de ruim no Imperio.
    Outra curiosidade ligando “ateus” a “cristãos primitivos”. Da Wiki:
    Luciano de Samósata fala-nos de um elaborado e bem-sucedido embuste perpetrado por um “profeta” de Asclepius, no Ponto, fazendo uso de uma cobra domesticada. Quando os rumores estavam por desmascarar sua fraude, o espirituoso ensaísta nos informa, sarcasticamente:
    “ …ele promulgou um edito com o objetivo de assusta-los, dizendo que o Ponto estava cheio de ateus e cristãos que tinham a audácia de pronunciar os mais vis perjúrios sobre ele; a estes, ele os expulsaria com pedras, se quisessem ter seu deus gracioso. ”
    — Luciano de Samósata[7],
    Curiosidade: o número 42 do Blog vem do Mochileiro das Galáxias ou se refere aos 42 meses do Apocalipse de João?

  14. Igor Santos disse:

    Osame, fiquei curioso. Como você partiu de asserções matemáticas para conspirações e interpretações literais bíblicas.
    Fiquei curioso sobre as referencias nas quais você se baseou o texto? Poderia comentar sobre as fontes?
    http://www.calculator.com/calcs/calc_sci.html
    Tem a ver com as pesquisas numerológicas e bíblicas de Isaac Newton e editadas por John Maynard Keynes?
    Não. Tem a ver com as propriedades matemáticas do número 666. Numerologia está para matemática assim como homeopatia está para medicina.
    Cuidado com o mito, inventado pelos Iluministas um século depois da morte de Newton, de que o mesmo era um iluminista e que só fez pesquisa bíblica por ter se intoxicado com mercúrio na velhice.
    Você poderia explicitar o motivo de eu ter cuidado com fofocas centenárias que não me dizem respeito? Devo também tomar cuidado com o mito de que uma maçã caiu na cabeça de Newton, ou basta estar geralmente atento para isso? O que algo que você diz ser um mito poderia fazer comigo?
    Curiosamente, Newton tem seu anno mirabilis em 1666, mas certamente isso é uma
    coincidencia e Newton não era besta

    Mas certamente isso é uma coincidência? “Mas” certamente “isso” é uma coincidência?
    Você realmente acredita que pode existir uma besta que é representada por um algarismo repetido? Seu uso da conjunção “mas” me leva a entender que existe um outro lado que deve ser contrastado com a sua afirmação.
    E mesmo que você acredite nisso, eu digo a você que 666 não é igual a 1666. A diferença é uma ordem de grandeza completa.
    Se houve um primeiro cientista a fazer “ciencia experimental”, este seria o biólogo Aristóteles, cujos experimentos são bem documentados historicamente
    E o fato dele ter experimentos documentados invalida a possibilidade de existir outro antes dele? Porque, obviamente (ao contrário do que sua frase “se houve” leva a crer) existiu um primeiro cientista. Que não necessariamente precisa coincidir com o mais antigo a ter suas experiências ainda conservadas. Você deveria saber disso.
    cujo Atomismo da época era tão Popperianamente não testável quanto a Teoria de SuperCordas hoje em dia
    O que diabos isso ter a ver com o resto?
    Realmente eu ainda não entendi porque contamos o mito de Pitágoras em nossos blogs e nossas escolas… Ele foi desmascarado faz tempo pelos historiadores!
    Eu não tinha conhecimento desse mito até você escrever aqui. Nunca me ensinaram isso na escola e nunca escrevi nada parecido em meu blogue. Uma coisa que eu aprendi sim na escola e que sei que não é verdade é o fato do Brasil ter sido “descoberto” por “acidente”.
    E estudei em escola católica, então mitos há muito desmacarados era o que não faltava. Um a mais, outro a menos, não faria diferença.
    Quanto ao número 666 do Apocalipse de João (existem outros livros do século II chamados de Apocalipse = “Revelação”, cuidado)
    Cuidado com o quê, exatamente? Ache aí na Bíblia, minha fonte principal de citações devidamente linkadas, outro livro chamado “Apocalipse”.
    a maior parte das coincidências do post, que usam base 10 ou base binaria
    Aponte aí por favor qual coincidência no meu texto usa base binária. Porque eu estou achando que você está comentando no artigo errado.
    Os historiadores dizem que o numero 666 do Apocalipse de João se refere à soma do valor numérico do nome do Imperador Cláudio Nero
    Gematria? Sério que você vai invocar a gematria para justificar um relato fantástico?
    “biscateiro” de Nazaré (tradução correta do termos “carpinteiro” no grego original)
    Engraçado, não sabia que você era fluente em grego clássico. Porque vários estudiosos discordam dessa sua afirmação e dizem que o termo τεκτων pode significar desde “engenheiro” até “acadêmico”. Aguardo a fonte da sua tradução.
    No entanto, tudo isso que você escreveu é completamente irrelevante como complemento do meu texto, que é sobre o número 666 e não sobre teorias conspiratórias sobre a Bíblia.
    E não, seus comentários não foram “Sheldonianos”, por mais que você goste de se comparar a personagens da série (me recorda o evento da Penny fluminense). Sheldon de fato lê o que está tentando criticar e usa argumentos relevantes. Os seus foram apenas impertinentes e desconexos.

  15. Calíope disse:

    HAHAHAHAHAHA
    Muito bom o post!
    Se fosse eu na lanchonete eu tinha pego o troco sem pensar duas vezes!
    E ainda agradeceria o ‘coisa-ruim’ na hora de pagar o ônibus com o troco de seu 16,66 hehehe

  16. Livio disse:

    O que eu estive procurando, linkando o artigo, era o de apontar fontes adicionais de referência ao numeral – sem incluir aí, as mistificações dos séculos XIX e XX.
    No caso:
    Reis 10:1-14
    O esplendor de Salomão
    14 Ora, o peso do ouro que se trazia a Salomão cada ano era de seiscentos e sessenta e seis talentos de ouro,
    Portanto, citação direta do número “mágico”, muito tempo antes do Novo Testamento.
    E também apontar, que tal número não era usualmente atribuido à Nero, ou a qualquer outro déspota, tirano ou “anticristo”, até o começo do século passado.

  17. Igor Santos disse:

    Pois é. A Bíblia é uma fonte sem fim de diversão.
    Aliás, nem tanto a Bíblia quanto seus apologistas.

  18. Del Coelho disse:

    Uhm… Vejo que o pessoal é muito bom de matemática, mas um pouco fraco em literatura.
    A mensagem do André Sousa é uma referência ao livro 1984 de George Orwell.
    P.S. Pelo jeito, quando Orwell criou essa expressão “2+2=5” como um símbolo de que nenhum governo totalitário pode mudar a verdade, ele não levou em consideração a criatividade dos matemáticos. 😀

  19. Igor Santos disse:

    Pois é, Del. Só lembrei do duplipensar depois.

  20. Caro Igor,
    Pelo que entendi do post, o objetivo não era puramente divulgar as propriedades do numero 666, dado que as propriedades do numero 666 ao quadrado devem ser ainda mais interessantes… Ou seja, o post não é um post sobre um tópico de matemática, mas sim um post com um viés de propagação de idéias e opiniões iluministas, por exemplo.
    O gancho para o leitor é justamente a citação bíblica, que daria origem ao fenômeno de “hexacosioihexecontahexafobia”, superstição que o post quer combater de maneira bem humorada. Será que entendi errado o objetivo do post?
    Então, em vez de querer ver o número 666 pela ótica das teorias de conspiração modernas dos evangélicos de extrema direita, onde o 666 seria a ONU, Obama, ou a Ciência, ou o que quer que seja NO FUTURO, eu observei que os historiadores já chegaram a um consenso de que o número 666 no Apocalipse de João se referia ao Imperador Nero NO PASSADO. Isso mata na raiz a “hexacosioihexecontahexafobia”, ponto.
    En passant, comentei que usamos na divulgação cientifica uma série de “mitos pedagógicos” (sim, eu me referia ao “Teorema de Pitágoras” que não é de Pitágoras, à “Banheira de Arquimedes”, à Galileu jogando duas bolas de cima da Torre de Pizza ou fazendo experimentos com planos inclinados, e que são apenas mitos, nunca ocorreram, Galileu apenas os propôs como experimentos de pensamento mas nunca os realizou… A razão de ser desses mitos é pedagógica, mas não tem base histórica, e isso pode ser verificado facilmente com uma breve consulta à Wikipedia.
    Ou seja, os meus comentários, que infelizmente você encarou como inconvenientes ou irrelevantes, visavam apenas a combater a ideologia do Cientismo e Positivismo Cientificista que anda grassando nos nossos blogs de ciência em geral, por exemplo a ideia de que “Não existe Verdade fora da Ciência” ou que “A Ciencia é a Estrada de Ouro para a Verdade”. Que verdade? A verdade sobre como conquistar uma mulher de modo científico? Como fazer poesia de modo científico? Não entendo esse tipo de Cientificismo…
    Não que o seu blog seja particularmente Cientificista (acho que é mais deliciosamente Anarquista-cientificista) mas, como eu tinha uns reparos a fazer sobre isso (por exemplo, o uso de “ad hominen” contra religiosos em posts de ciência, que não me parece exatamente adequado: afinal, você quer divulgar ciência ou divulgar o Ateismo, qual é a sua prioridade? O SBB é uma rede de blogs ateistas?
    Lembremos que se Ateismo fosse ciencia, o CNPq financiaria blogs ateistas, o que não é o caso. E olha que o CNPq financia nao apenas ciencia mas arte, ciencias humanas, mesmo as abordagens ideologicas como as de Marx e Weber.
    Tenho dúvidas se o Ateismo seja filosofia (pura): o CNPq talvez financiasse um projeto de pesquisa sobre “A Historia do Ateismo”, mas não financiaria um Portal de Blogs Ateistas, por exemplo, mesmo com a justificação que o Ateismo ajuda a espalhar a Cultura Cientifica… (ajuda mesmo? Onde estão as evidencias estatísticas? Meu chute é que o Ateísmo (militante, explicito) dificulta a divulgação e aceitação da cultura científica. por exigir do leitor ter “carteirinha de ateu” antes de ser seduzido pela beleza da Ciencia…
    Mas chega de Trollismo, não irei repetir nossas discussões do ano passado sobre o que é ciência versus o que é apenas ideologia científica. Eu tento fazer os meus comentários em blogs como se estivesse no papel de um referee, um parecerista de revista cientifica. Em geral, os pareceres sao bem duros, cortam na carne. Não é igual a um comentário de um amigo que fica elogiando o blog de outro amigo a fim de manter uma rede social azeitada (o que pode, sim, ser um objetivo nobre na Blogosfera Cientifica), mas que acaba evitando toda critica que poderia ser construtiva…
    Infelizmente, a Blogosfera Científica Brasileira (e não apenas o SBB, mas o ABC e o HAAAN também) parece que deverá sofrer a mesma implosão que o Science Blogs americano (devido ao Cientismo Ideológico descontrolado de alguns dos blogs daquele condomínio) antes de produzir uma autocritica consistente.
    Porém, acho que a janela de comentários públicos não é o melhor lugar de se fazer critica e auto-critica, porque questionar as opiniões (e não apenas as informações) de um blogueiro afeta nossa credibilidade como tais e temos a tendência de reagir de maneira defensiva (ou ironicamente ofensiva ao comentarista de nosso blog). Estou falando em relação ao SEMCIÊNCIA, não necessariamente em relação ao 42, OK?
    Mas sempre me lembro do conselho de jornalista do Reinaldo Lopes aos blogueiros de ciência: “Não confrontem os leitores que tem opinião diversa da sua!”
    Sim, eles são parte importante da sua audiência, produzindo critica e eventualmente autocritica. Por que afinal gostaríamos de ter leitores que apenas concordam conosco e são nossos amigos? Num blog pessoal talvez isso fosse justificável, mas num blog público como o SEMCIENCIA e o 42, (com a responsabilidade do autor pelo PODCAST do SBB, por exemplo), o nível acadêmico da discussão precisa ser preservada a todo custo. Afinal, “Um grande poder – de influencia na disseminação de opiniões na blogosfera – implica em uma grande responsabilidade… já dizia o mítico avô do mítico Homem Aranha…
    Prezado Igor, em todos os meus comentários no seu blog ou do pessoal do SBB, eu gostaria de que você apontasse algum que não fosse uma critica construtiva, para melhoria da qualidade dos posts… Por que se algum foi encarado como critica destrutiva, tenho certeza que o foi por um grande mal entendido…
    PS: Por favor, não comente sobre os erros e exageros do SEMCIENCIA, afinal eles são muitos. Mas um erro não justifica outro, não é mesmo? (isso se chama falácia do “Tu Quoque” = “mas você/ele também faz isso”…). Afinal, eu aceito que preciso tirar as “traves” existentes no meu blog antes de criticar os “ciscos” que aparecem no blog do meu vizinho… risos cordiais!

  21. Igor Santos disse:

    mas sim um post com um viés de propagação de idéias e opiniões iluministas
    Não. O post é puramente sobre elegância matemática. A citação bíblica do começo é apenas para mostrar a fonte do número que todos nós conhecemos mas poucos sabem exatamente o porquê da fama.
    As outras, quanto ao 42, são puramente humorísticas.
    Osame, se um dia você se encher de ensinar Física, pode mudar para Literatura fácil, fácil, pois você tem o dom dos professores desta, de enxergar sentidos ocultos em coisas escritas sem qualquer propósito mais profundo.
    Que verdade?
    O funcionamento da Natureza regida por leis.
    A propósito, eu já conquistei uma mulher através da Ciência.
    afinal, você quer divulgar ciência ou divulgar o Ateismo, qual é a sua prioridade? O SBB é uma rede de blogs ateistas?
    Minha prioridade é escrever. O assunto eu geralmente escolho na hora, abro o dicionário e desenvolvo a ideia.
    E o SBBr é uma rede de blogues independentes cujos autores escrevem, como eu, o que quiserem em suas plataformas. Tanto que temos pelo menos dois cristãos e um umbandista e ninguém se importa com isso. A escolha filosófica e religiosa de cada um aqui dentro é pessoal.
    Lembremos que se Ateismo fosse ciencia, o CNPq financiaria blogs ateistas
    Seria excelente se o mundo funcionasse assim, mas infelizmente não é o caso. Acupuntura e homeopatia não são medicina mas são protegidos pelo CFM. Espiritismo menos ainda mas é matéria optativa no curso.
    O fato do CNPq não financiar não imediatamente exclui de tal categoria. Seu argumento é inválido.
    emos a tendência de reagir de maneira defensiva (ou ironicamente ofensiva ao comentarista de nosso blog). Estou falando em relação ao SEMCIÊNCIA, não necessariamente em relação ao 42, OK?
    Não me pinte com outras cores. Eu tenho consciência das minhas atitudes.
    Num blog pessoal talvez isso fosse justificável, mas num blog público
    Todos os blogues são pessoais e públicos. Nós não somos uma instituição de ensino ou uma autarquia federal, tanto que temos blogues escritos por pseudônimos.
    o nível acadêmico da discussão precisa ser preservada a todo custo
    Onde? No meu não-acadêmico blogue?
    Ao entrar no Lablogatórios eu notei que não tinha cacife para ensinar, estando rodeado por professores, por isso me especializei em áreas diferentes. Estou mais para entretenimento do que para academia. Se isto não ficou claro, talvez esteja fazendo errado.
    PS: Por favor, não comente sobre os erros e exageros do SEMCIENCIA
    Óquêi.

  22. André disse:

    Eu to me sentindo muito burro por isso mas…
    Qual q é o erro ali no 2+2=5?
    Já tinha visto essa demonstração antes, mas não to conseguindo achar o erro.
    x=y=0?

  23. Igor Santos disse:

    André, não se sinta burro. Matemática visual costuma enganar se você não estiver prestando bastante atenção.
    Do passo 4 ao 5, aparentemente estamos “cortando” o (x-y) que aparece dos dois lados, mas isso não é possível porque ele está associado a termos diferentes dos dois lados.
    Se x=y, então o termo (x-y) vai ser zero.

  24. Sérgio disse:

    Não entendi o que o Tetragrama YHVH tem haver, poderia me explicar, ou só pôs para tipo, fixar, algo como: olha aí de novo!
    http://pt.wikipedia.org/wiki/Tetragrama_YHVH
    Obrigado.

  25. Sérgio disse:

    Ok, entendido. Cheguei a conclusão, rs.

  26. Igor Santos disse:

    Hein?

  27. […] 666, o mais besta dos números (LINK); […]

  28. Alex disse:

    So um detalhe talvez o numero ñ seja 666 e sim 999 saiba que a moeda q vai reger a terra ja esta ai que é o euro que foi lançado 1 de janeiro de 1999 mas cada um ve de um geito!

  29. […] e como estamos em 2014, vamos começar multiplicando este por aquele. 2014 * 33 = 66462. Notaram alguma relação […]

Deixe uma resposta para Wolfram Cancelar resposta

Seu e-mail não será divulgado. (*) Campos obrigatórios.

Categorias

tempo

julho 2011
D S T Q Q S S
« jun   ago »
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  

espaço

Locations of visitors to this page

desfrute e compartilhe

Creative Commons License
Esta obra de Igor Santos é licenciada sob Creative Commons by-nc-sa.

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM