Este blogue é a favor do aborto

É muito fácil para alguém que não tem útero ser contra o aborto. Da mesma forma, é extremamente conveniente para alguém já nascido apontar o dedo e julgar a opção alheia.

Se uma mulher não quer sofrer a violência ao seu corpo que é uma gravidez nem está mentalmente preparada para enfrentar o mundo de incertezas debilitantes que será a concepção e criação de outro ser humano, por que você, sem útero e já nascido, é contra? Você se acha realmente tão importante assim a ponto de ditar o comportamente e o futuro de outrém?

Ah! Você teve um filho não-planejado e deu tudo certo? Parabéns. Você é minoria.

Sabe aquele assalto que ocorreu semana passada? Provavelmente o bandido foi fruto de um acidente e cresceu como uma criança indesejada (esclarecimento rápido: alguns já nascem ruins independente da criação. Felizmente porém, são poucos).

Talvez, uma adolescente com opções seguras e não-condenáveis preferisse interromper o processo, para, em outra ocasião, já tendo ela condições emocionais (e financeiras), levasse uma gravidez ao seu desfecho. Como ela não tem o direito de escolher o destino do próprio corpo, ou corre o risco de morrer (seja tomando um remédio abortivo, seja após usar os serviços de uma clínica clandestina), ou terá um filho com grandes possibilidades de virar marginal (link em PDF).

E, me adiantando aos xingamentos, ameaças e acusações gramaticalmente incorretas infanto-retro-fictícias de “era bom que sua mãe tivesse abortado você”, digo aqui que, antes de ter ficado grávida de mim, minha mãe sofreu um aborto espontâneo. Então, ao invés de me desejar a morte no pretérito imperfeito, ache bom e saiba que você escapou. O mundo correu o sério risco de ter dois de mim.

Saiba também que, mesmo você esperneando, agitando seus punhos cerrados ao vento e amaldiçoando a parte da humanidade que discorda da sua insignificante opinião, brasileiras fazem abortos todos os dias. Elas são muitas. Provavelmente uma é até alguém da sua família de quem você gosta bastante.

Sabe quando você está falando mal de uma pessoa sem perceber que ela está atrás de você, ouvindo tudo? Pois é. Da próxima vez que você vocalizar suas ideias quanto à temperatura do mármore do inferno destinado àquelas que abortam, lembre que você pode estar ferindo seriamente os sentimentos de alguém muito próximo a você.

Drauzio é pró, Ratzo é contra.

Acho que escolhi o lado certo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Discussão - 90 comentários

  1. Leonardo disse:

    As pessoas pró-aborto sempre batem na tecla que a religião é um argumento ridículo, o que eu concordo. Eu só me pergunto onde fica o direito do bebê e o Art. 5 da Constituição Federal de 88 nessa história (sim, eu gostaria que o Estado protegesse meu direito a vida enquanto eu estava no útero da minha mãe).

    • Igor Santos disse:

      O mesmo artigo que também defende a liberdade e em cujo parágrafo primeiro sancionada a igualdade entre homens e mulheres? Sei qualé.

      • Leonardo disse:

        Cadê o botão curtir comentario. =D
        O post e o vídeo já dizem tudo que deve ser dito. Eu não era 100% a favor do aborto, (se minha namorada engravidar sou contra esse aborto), porém agora acredito ser o direito dela decidir sobre o corpo dela, mas claro ficaria grato se no caso de… me desse ouvidos. Mas sou 100% a favor da legalização do aborto.

    • tarcila felix disse:

      eu sei que é muito errado mais acho uma ipocresia a igreja defender meios de preservçao ..

    • Pedro Medeiros disse:

      Leonardo, aí é que está: o estado não vai conseguir garantir direito a vida se a mãe não quiser ter o filho de jeito nenhum. Como as pesquisa sobre aborto apontam, ela arranja um jeito. Além do mais, não é melhor ser filho de uma gravidez desejável e ser amado desde antes de nascer do que servir de eterno lembrete de ter sido um filho indesejável que só sobreviveu porque o estado obrigou a mãe a pari-lo?

      Aliás, só por curiosidade: você acredita que toda gravidez deve seguir até o fim, independente das circunstâncias, ou acredita que estupro e gravidez de risco são situações em que o aborto é permitido?

      No primeiro caso, você tira toda a liberdade da mulher e pode estar condenando-a a morte caso a gravidez seja de risco. No segundo caso, gostaria de saber como você lida com a inconsistência de proteger a vida da “criança” apenas em algumas situações.

    • Duda disse:

      Enquanto você estava no útero da sua mãe, você dependia dela para viver, então é direito dela decidir se quer ou não te ter, quando você conseguisse sobreviver sozinho, sem a ajuda de ninguém, ai sim você deveria passar a ter algum direito.

    • liliany disse:

      eu tenho qui falar a verdade tem muinta e muintas pessoas querendo arrumar filhos e nao arruma, pq /aborta uma criança que é inoscente que nao pedi p/ vim ao mundo eu tenho 16 anos e nao só pq eu tenho essa idadi eu nunca abortaria uma criança sabem pq porque uma criança nao pedi p/ vir ao mundo .eu vou dizer mais uma coisa quem faiz isso nan tem coraçao.as.liliany

    • liliany disse:

      eu tenho qui falar a verdade tem muinta e muintas pessoas querendo arrumar filhos e nao arruma, pq /aborta uma criança que é inoscente que nao pedi p/ vim ao mundo eu tenho 16 anos e nao só pq eu tenho essa idadi eu nunca abortaria uma criança sabem pq porque uma criança nao pedi p/ vir ao mundo .eu vou dizer mais uma coisa quem faiz isso nan tem coraçao.as.liliany eu nao sou e nunca vc a favor do aborto/

    • Matheus Mello disse:

      O Art. 5 diz que todos temos direito a vida, mas não diz quando propriamente se é considerado vida, então ai abre-se um precedente de discussão, é preciso interpretar corretamente a lei e entendê-la.

  2. Luciane disse:

    O moralismo dogmático religioso põe em xeque-mate a vida das mulheres e das crianças. É como se houvesse uma maldade intencional pra manipular o comportamento delas a fim de que sofram muito durante suas vidas.

    Uma mulher sem condições de ter filhos ser obrigada a ter só se rala, a criança cresce cheia de problemas, e quem está sempre de portas abertas quando eles vão procurar ajuda? Igrejas.

    E as religiões ainda põe a culpa da gravidez indesejada na mulher que não se segurou, não segui o dogma e fez sexo antes do casamento. Eles manipulam direitinho nossas vidas.

    • Luciano disse:

      Facil resolver vamos a criança antes de nascer…

    • Goiaba disse:

      “É como se houvesse uma maldade intencional pra manipular o comportamento delas a fim de que sofram muito durante suas vidas.”

      Meu Deus do céu, como você é bem informado, meus parabéns. Não é qualquer um que consegue inventar uma coisa dessas.

      • Igor Santos disse:

        Você já demonstrou seu grau de inteligência, Goiaba. Não queira fingir que é esperto agora.
        Se você não sabe discutir, sugiro que não o faça.

    • Glindson disse:

      As pessoas culpam muito a religião, mas esquece que se praticasse as coisas contidas da bíblia, não estaríamos discutimos estas coisas, pois na hora de praticar o ato, só querem se satisfazerem e na hora que a criança está formada querem jogar fora como se fosse um saco de lixo!

      • Igor Santos disse:

        Se a humanidade (uma minoria considerável, aliás, já que sua religiãozinha mal se destaca em qualquer parâmetro) vivesse segundo preceitos bíblicos, não estaríamos discutindo coisas assim, realmente, pois todos estaríamos mortos por infecções e afins.
        Você quer que uma religião tacanha, mesquinha e preconceituosa mande no mundo só porque (talvez!) você seria um dos opressores ao invés de um dos oprimidos. Só isso.

  3. Emanuel disse:

    Hipocrisia é não colocar a vida em primeiro plano!
    Ter a camisinha como solução p aids, e outras doenças sexualmente transmissíveis é q é a verdadeira hipocrisia!
    Hipocrisia é não resolver realmente o problema, é atacar pelas “beiradas”, enquanto a igreja defende uma vida sexual ordenada, esse é o problema! Se as pessoas amassem seus verdadeiros parceiros não precisariam buscar outros, e se utilizar do outro para se satisfazer de modo irresponsável! Colocando em risco o parceiro real! Seria licito o aborto num caso em que os 2 foram irresponsaveis? Meu povo, ninguem é criança, todos sabem as consequencias de seus atos. É justo que o inocente que foi gerado seja penalizado? Todos nao falam do direito a expressao, quem pratica o aborto da esse direito? Ainda da tempo voce pensar mais um pouquinho e defender a vida! Vc ja pensou no milagre q vc é, vc conheceu todas as maravilhas da terra, defenda a vida, para q outros tb conheçam. Qualquer um de nós poderiamos ter sido vitimas do aborto, não fomos pq existem pessoas que defendem a vida, que sabem o seu valor inestimavel!

    • Igor Santos disse:

      Emanuel (nome bem relevante, aliás), acho que você está confundindo “hipocrisia” com alguma outra palavra.
      Meu povo, ninguem é criança, todos sabem as consequencias de seus atos. <= Você realmente pensa assim? Se um dia você vier a criar descendentes, eles serão dignos de pena.

      Qualquer um de nós poderiamos ter sido vitimas do aborto, não fomos pq existem pessoas que defendem a vida <= Não. Os que nasceram o fizeram por meios naturais e não porque existe alguém defendendo o nascimento.
      O nascimento não precisa de defesa, ele já é algo bem estabelecido com pelo menos alguns bilhões de anos (ou você acha que o Universo tem pouco mais de oito mil anos?), bem como o aborto, igualmente natural. Talvez você não tenha lido o texto todo e tenha pulado a parte onde eu digo que quase tive um irmão, perdido espontaneamente. Ele foi vítima de aborto natural sem precisar de nenhuma defesa. Por que você não pensa nas maravilhas da terra que ele deixou de conhecer? Eu digo porquê: porque não faz sentido.

  4. André Souza disse:

    Igor…

    O que é mais condenável: Assassinato ou tortura?

    Depois eu explico (a não ser q vc já tenha “pescado”)

    • André Souza disse:

      Continuando

      Eutanásia ou …(não sei o q chamar o ato de deixar alguém vegetando em uma cama, sem chance de melhora e/ou sentido dores horríveis)?

      Aborto ou gravidez forçada?

      Quem merce mais o mármore do inferno? Quem pratica um ou outro?

    • Igor Santos disse:

      Isso não é o tipo de pergunta cuja resposta é preto ou branco. Se um for mais condenável, segue o outro é “menos condenável” e eu não acho que assassinato ou tortura possa ser classificado como tal.
      E com o segundo comentário você criou uma falsa analogia. Deixar alguém vegetando não é o mesmo que torturar (especialmente porque quem vegeta não sente muita coisa) e eutanásia não é o mesmo que assassinato por sua própria definição de “corrente de pensamento que defende o direito a uma morte sem dor nem sofrimento a doentes incuráveis”. O contrário, “cacotanásia” (morte dolorida e com sofrimento) pode ser considerada tortura? Talvez mais do que o deixar-vegetar, mas mesmo assim eu acho que não, já que tortura implica em intento consciente de causar o mal (a quem não já o sofre, talvez?).

      Aborto também não é assassinato pois não se está tirando uma vida. Um feto é uma vida potencial, mas enquanto permanece dependente, é pouco mais que um atributo do corpo da mulher.
      Já a gravidez forçada (por falta de liberdade para aborto) é um cerceamento dos direito individual da mulher. Também não compararia à tortura (o Estado pode torturar alguém sem usar de algoz?).

      • André Souza disse:

        Igor,

        Só pus estas analogias pra jogar mais gasolina.
        Um dos principais “argumentos sentimentais” do grupo contra o aborto é que ao abortar a mulher estaria cometendo um assassinato. Já o contrário (a proposta de levar uma gravidez indesejada até o fim), eu usei o termo “tortura” para criar um exagero no mesmo nível do argumento. Embora não haja um algoz,considerei o fato da mulher ser obrigada a fazer algo com o próprio corpo, de modo que seu próprio útero deixe de pertencer a ela mesma, e pagando sozinha por todos os riscos e incômodos da gravidez. Pra homem é muito fácil: para “abortar” basta não ligar no dia seguinte.
        A mesma coisa com a eutanásia,visto que o grupo radicalmente contra normalmente diz que só o amigo imaginário deles é que tem o direito de decidir sobre a vida e a morte e que qq coisa diferente disto é um assassinato.
        Eu, no âmbito pessoal, não sou a favor do aborto mas deixaria minha mulher decidir e a apoiaria em qualquer decisão q ela tomasse, mesmo contra a minha opinião.
        Sou a favor da mulher ter o DIREITO de escolher se quer ou não manter a gravidez e não da mulher ter o DEVER de levar a gravidez até o fim. Qq lei sobre este assunto no máximo deve limitar o direito (aborto aos 20 anos de “gestação” não pode, por exemplo), mas nunca deve obrigar um dever (toda mulher deve ter um filho aos 15 anos, sob pena de [coloque seu absurdo aqui]).
        Acho q a decisão de abortar é uma decisão a ser tomada no âmbito familiar (o futuro pai pode opinar, mas é a futura mãe quem dá a palavra final sobre este assunto) e q o estado deve apoiar qq decisão tomada, com médicos e hospitais decentes para ambas.

        • Igor Santos disse:

          Concordo.
          O título do artigo é mais um artifício para chamar atenção, já que eu não acho que faça sentido eu ser “a favor” do aborto. O que eu defendo incondicionalmente é o direito individual. O corpo é de X, então X deve fazer o que quiser dele e só X pode dizer o que pode ser feito dele.

          • marcella disse:

            acho que a mulher tem sim o direito de escolher c quer ou não ter um filho, ela pode não esta preparada para ser mãe acho que todas nos poderiamos ecolher sim….a gravides pode ter sido um acidente mais pq não ter o direito de interromper este acidente….pq depois de um filho nunca mais vc sera só vc sempre terá que penssar no seu filho……
            todas as mulheres deveriam fazer um protesto para terem o direito de escolher c quer ou não ter um filho….

  5. Por que não colocam em letras garrafais: “SOMOS A FAVOR DA EUGENIA E DA LIMPEZA ÉTNICA! QUE NÃO NASÇAM MAIS POBRES E NEGROS!”?

    A fundadora da IPPF, Margareth Sanger, era defensora da eugenia, assim como Adolf Hitler e Drauzio Varella. Queriam que só nascessem pessoas boas, limpinhas, que não dariam trabalho pra sociedade! Eram deterministas, assim como esse blog: “Nasceu pobre, será marginal e me assaltará. Logo, deve ser morto antes de nascer. Total liberdade ao indivíduo”.

    “Uma das motivações principais de Margaret Sanger, evidenciada durante toda sua vida, foi a obsessão por uma espécie de retorno à “seleção natural “dos habitantes dos bairros pobres “que, devido a sua natureza animal, reproduzem-se como coelhos e logo poderiam ultrapassar os limites de seus bairros ou de seus territórios, e contaminar então os melhores elementos da sociedade com doenças e genes inferiores” (9).

    “O ato mais piedoso que pode realizar uma família numerosa por um de seus filhos menores, é matá-lo” (1920).

    “Os serviços de maternidade para as mulheres dos bairros miseráveis são prejudiciais para a sociedade e para a raça. A caridade não faz senão prolongar a miséria dos inaptos” (1922).

    “Nenhuma mulher e nenhum homem terá direito de ser mãe ou pai sem uma licença de procriação ” (1934).”

    • Igor Santos disse:

      Olha, um homem que é contra o aborto! Que original!
      Giovanni, acho que você confundiu meu blogue com outro que acha normal seu radicalismo religioso afetado e aceita suas ofensas infantis e descontroladas.
      Eu sou tão a favor da eugenia quanto você (que diz que yoga não deve ser praticada por cristãos por ser do Satanás, um dos seus amiguinhos imaginários[1]) é a favor da desgraça alheia por esta facilitar o estado mental que permite que você roube dinheiro dos miseráveis sob forma de dízimo.

      Não discuto com indivíduos da sua laia porque, se você acha que eu (ou Drauzio, que nem aqui está para se defender) estou apoiando a eugenia, claramente você tem alguma deficiência mental ou é ruim de caráter mesmo.

      [1] “O yoga é uma prática pagã e oculta, ou seja, é uma religião do anti-Cristo (o homem que se faz Deus) e pela primeira vez na história é praticada despercebidamente no mundo ocidental e na América.”
      Giovanni M. Lovato, líder da “Juventude Masculina” (ui!)

  6. Vinicius Garcia disse:

    Aos que crimilalizam o aborto, só tenho uma pergunta, assistiram ao vídeo? Entenderam a sua mensagem?
    Existem pessoas que leem a Bíblia, e mesmo estando claro o contexto do escrito não entende a mensagem e deformam as mensagens.
    Aliás a condenação do aborto é sempre fruto das religiões, principalmente as cristãs, que não dão nenhum tipo de solução plausível para o problema, só busca condenar o ato, e não as causas que levam a ele.
    Basta ver como ela se comporta com denuncia de pedofilia de seus membros.

    • Glindson disse:

      Isto sempre ocorrerá em todas os lugares e independentemente de religião e um membro praticar uma atrocidade não significa dizer que Deus aceite este ato insano, é tão condenável como qualquer outro pecado. Volto a ressaltar que se praticasse o que estão contido na Bíblia, não estaríamos discutindo estes assuntos!

      • Igor Santos disse:

        Pois é, porque se praticássemos o que é lei na Bíblia ainda estaríamos vivendo no que hoje é considerado condição subumana. Não teríamos medicina, não teríamos eletricidade nem viveríamos além dos 40 anos.
        Você vem cheio de razão defender sua mesquinharia tentando usar conceitos absurdos e idiotas como o de “pecado”, que só se sustenta na ficção que é a Bíblia e, convenientemente, esquece das outras coisas que seu livrinho de contos manda fazer mas que são desconfortáveis para você.

  7. Fernanda disse:

    Sou a favor do aborto em caso de estupro, principalmente quando são crianças de 9, 10 anos grávidas de seus pais, padrastos, irmãos, é um absurdo que permitam que uma criança seja violentada e ainda tenha uma gravidez fruto de um crime repugnante, tá na hora do Brasil acordar e aprovar punições radicais contra pedófilos e estupradores! Agora aborto por que foi uma gravidez inesperada? não existe mais isso, tem muita camisinha, anti concepcional, métodos que já estamos cansados de saber que existem e ainda tem isso? Eu penso da seguinte forma: Fez por que quis agora tem que cuidar!

  8. Rodrigo disse:

    Outro dia eu fiquei sabendo de uma menina de 12 anos que engravidou…
    se o aborto fosse legalizado, e aí…? Ah, engravidou? Não tem problema não, aborta!

    Sou a favor do aborto somente em casos de estupro e riscos à mãe.

    Se fosse legalizado, os hospitais ficariam ainda piores do que estão hoje…
    As pessoas tem consciência do que estão fazendo e, se não tem, é o que está faltando, programas de ensino.

    Com relação a religião ser contra o aborto, deve-se ao fato do livre-arbítrio. Se uma vida foi gerada, mesmo que seja um bebê sem consciência alguma do que está havendo, ela tem o direito de escolha.

    “Espera! Você tem camisinha?”
    “Putz…”
    “Ah, relaxa, se eu engravidar, mês que vem eu aborto!”

    É isso o que irá acontecer. Acredite.
    O aborto legalizado se tornará apenas um meio de “resolver o problema”.

    • Igor Santos disse:

      Fernanda, Luciano e Rodrigo, vocês são muito ingênuos em achar que não existe gravidez acidental inocente. Nem todo mundo é pervertido como vocês pensam.
      E vocês estão confundindo, como Josiléia apontou, permissão com obrigação. Existir a opção de abortar não implica em obrigar o aborto em todo mundo.

      • Rodrigo disse:

        De nenhuma maneira eu disse que o aborto se tornaria uma obrigação. É como foi dito, uma opção.

        Ingenuidade? Veja denovo o que eu disse:
        As pessoas tem consciência do que estão fazendo e, *SE NÃO TEM*, é o que está faltando, programas de ensino.

        Acredito que antes de considerar algo deste tamanho, deve-se levar em consideração a cultura da população. O brasileiro é um povo ignorante, a ponto de eleger pessoas como Tiririca, Romário e Popó.

        Eu não me sentiria bem sabendo que a cada dia centenas, e quiçá, milhares de vidas estariam sendo jogadas no lixo, por causa dessa inocência.
        Não quer a criança? Existem muitos casais que não conseguem ter um filho e querem adotar. Não precisa criar a criança sem ter condições, nem jogar ela na rua, muito menos tirar a vida dela.

        Com o aborto legalizado, as pessoas se preocupariam muito menos do que estão se preocupando hoje, com o problema da gravidez indesejada.
        É como eu disse, o aborto se tornaria um “solucionador de problemas”.
        Não seria uma obrigação, mas sim a opção mais fácil…
        “Não tem problema não, aborta que tá tudo certo!”

        • Igor Santos disse:

          Rodrigo, você continua sendo ingênuo. Deixe-me explicar melhor: abortos acontecem e continuarão acontecendo, sendo legal ou não. Nenhuma mulher aborta porque gosta, mas por necessidade. Criminalizar o procedimento só prejudica.
          As mulheres ricas vão continuar abortando em clínicas caras e dando entrada no hospital com um atestado falso de “apendicite” ou algo semelhante e as pobres vão abortar em ^clínicas^ (que sequer merecem a denominação) e dando entrada no hospital como “aborto mal sucedido” e correndo o risco de processo. A criminalização do procedimento prejudica não só a saúde física como a mental.
          Novamente, abortos acontecem e vão continuar acontecendo. Ninguém faz porque gosta.

          Você diz que vai virar um “solucionador de problemas” mas isso ele já é! Não tem como fugir dessa realidade. Aborto é uma violência e a uma mulher só se submeteria a uma violência desse nível espontaneamente como último recurso. A criminalização da prática não muda o número de vezes que ele ocorre, só cria pressão psicológica nas já abatidas (pela escolha) mulheres.

          Vários países desenvolvidos com alto grau de escolaridade têm educação sexual, prevenção e etc, e mesmo assim têm o aborto como uma opção legal que é procurada (em último caso, como aqui) pela população esclarecida.

          Rodrigo, o buraco é bem mais embaixo do que você pensa.

  9. Josiléia disse:

    É uma questão simples de lógica, se eu sou contra alguma coisa, eu simplesmente não pratico, mas daí a querer proibir que uma pessoa pratique algo que só diz respeito ao corpo dela, a vida pessoal dela, é um absurdo, é querer ter poder de controle sobre as decisões alheias. A maioria dos homens é contra o aborto porque pra eles é fácil pular fora quando a mulher engravida, mas a mulher não tem como fugir, os homens podem sempre abandonar não só a esposa como a prole, aí fica bem mais fácil ser contra o aborto. Sem contar com a qualidade do atendimento às gestantes na rede publica, os mecanicos na oficina tratam os carros com mais humanidade que a maioria dos profissionais de saude tratam a parturiente. Eu não acredito que seria capaz de praticar um aborto, mas não quero sobre os meus ombros o fardo de crianças indesejadas, abandonadas ou mal tratadas ,que só existem devido à minha arrogância em determinar o que é certo ou errado pra vida das pessoas. Falei, pronto!

  10. Malvadeza disse:

    A legalização do aborto não é obrigatoriedade do aborto. O Estado tem que confiar no discernimento de seus cidadãos. Hoje o Estado obriga suas cidadãs a levar sua gravidez até o seu final, independentemente de sua vontade. A legalização do aborto não faz com que o aborto deixe de ser um pecado abominável, não haverá interferencia na religiosidade. Se a mulher condenará sua alma ou não, não será por Deus decidido por uma lei mundana. Religião não deve se misturar com o Estado. O Estado precisa garantir acompanhamento adequado para suas cidadãs, principalmente as pobres. Pq na minha época de colegial, qdo corria boato de que “fulana” estava grávida, automaticamente ganhava “uma viagem para Disney”, e como por mágica não se falava mais em sua gravidez, e nem se via sua barriga crescer. Enquanto que as filhas das empregadas, além de serem “biscatinhas” pq tinham engravidado, eram obrigadas a levar a gravidez até o final pq “o Pastor” encarnava na familia, obrigando a menina a ter o tormento do julgamento, e o tormento crescer na medida que sua barriga crescia.

  11. Jota disse:

    Tudo esbarra no “onde começa a vida”. Se achar que o que está no útero não é vida, é um “apendice” apenas, então é decisão única da mulher. Se considerar que ali há um vida em progresso, então não é decisão apenas da mulher, mas cabe proteção do Estado também.
    Mas que se o aborto for legalizado pode se tornar em mais um “método anticoncepcional”, isso pode. Vai ser a pílula do “mês seguinte”…

    O vídeo fala de mulheres que vão à igreja. Muito subjetivo. Ir à igreja não é necessariamente professar a fé integralmente. Está cheio de católico ou evangélico por conveniência (“sou católico mas não praticamente”, “oro pra Deus, não precisa ir à igreja”, etc). Mais ou menos como ser corintiano mas não gostar de assistir os jogos do time. Enfim, para estes “cristãos” fica fácil fazer aborto.
    Finalmente, o vídeo fala de planejamento familiar. Se isto fosse feito ANTES talvez o aborto nem precisaria ser discutido.

    E sobre os padres, não adianta vcs ficarem exigindo punição rigorosa deles para com eles mesmo. Quem tem que punir é a Justiça (eles são cidadãos comuns). A igreja prega o perdão (70 vezes 7 mediante arrependimento). Tudo bem que os críticos não gostem, mas é a lei deles. Portanto, se o MP ou a Justiça não processarem e botarem na cadeia, não vai ser o bispo que dará uma surra no padre pedófilo. Vão sempre citar Jesus: “quem de vcs não tiver pecado, atire a primeira pedra”. Em seguida: “mulher, onde estão os que te acusam? Eu também não te condeno. Vá e NÃO PEQUES MAIS”. Para eles isto garante o perdão.

  12. Antonielle disse:

    Oi Igor

    Seu texto foi muito esclarecedor, apoio totalmente.

    Minha dúvida é: essa questão que nós defendemos e levantamos sobre “cada um cuida do seu corpo, faz o que quer”, criminalizar não ajuda a mulher e que mesmo proibindo haverá abortos… Cabem os mesmos argumentos para discutir a política de drogas? Ou as “culatras” dos “tiros” são diferentes? O que você acha? Gostaria de saber sua opinião!

    Abraços

    • Igor Santos disse:

      Antonielle, excelente questionamento.
      Em primeiro lugar, eu sou contra a hipocrisia. Acho que ou deve-se liberar tudo ou proibir cigarro, álcool, chocolate e cafeína. No entanto, numa discussão dia desses, ouvi uns argumentos muito interessantes contra a liberação irrestrita de entorpecentes.
      Realmente, o problema é completamente diferente do do aborto, especialmente no que diz respeito à saúde pública (vide o preço que pagamos pelo cigarro e a bebida dos outros).

  13. Erica disse:

    É inacreditavel que as pessoas ainda tem esses pensamentos ridiculos,infelizmente vivemos em um país onde pai mata filhos e filhos matam os pais. E pessoas com mentes tão pequenas enchem a boca para dizer que são contra a legalização do aborto e ainda se orgulham dissu, vc ser a favor da legalização ñ quer dizer que vc fez ou faria um aborto,mais sim deixar que uma mulher dona do seu proprio corpo tenha liberdade de escolher se quer ou ñ ter um filho. Falam que existem varios modos de evitar uma gravidez,né? É claro que existe,mais podem falhar por algum motivo,e cabe a mulher a decisão de ter ou ñ um filho.Eu passei por issu a um tempo atras,me descuidei e acabei engravidando,ñ era o momento de ter um filho,eu estava passando por um momento muito dificil,tanto psicologicamente quanto financeiramente.Fiz minha escolha e acabei abortando.Hoje eu ajudo e apoio pessoas que tomam essa decisão.
    Quem prescisar de ajuda é só add [email protected]

  14. maikon disse:

    estou fazendo um trabalho sobre o aborto e tenho q por minhas ideias
    a favor da legalizaçao mas sou totalmente contra pois sou a favor da vida
    o que estou percebendo na minha pesquisa é que as maiores causas que levam ao aborto são os estupros a pobreza risco de vida para a mulher e a gravidez nao planejada
    tambem estou vendo muito que as pessoas sao a favor da legalizaçao + nao sao a favor do aborto porque a mulher dona do seu corpo tem, que ter a libertade de escola de ter ou nao um filho eu sou contra qualquer tipo de aborto pois todas essas causas q levam ao aborto, nao minha opiniao quem tinha q garantir esses direitos sao os governantes que dizem q investem em educaçao pois os jovens sao o futuro
    mais o nosso metodo de ensino de 2011 eh igual ao mesmo metodo de ensino desde a criaçao da escola publica

  15. Goiaba disse:

    Ao autor do post: tua mãe deveria ter te abortado, seu merda.

    • Igor Santos disse:

      Goiaba, é bom você perguntar a um adulto responsável se ele acha seguro você visitar o meu blog. Eu faço o máximo para que ele seja censura livre, mas nunca sei se ele é realmente apropriado para crianças.

  16. Goiaba disse:

    Igor Santos, é a última vez que visito seu inestimável brogue. Venho aqui singelamente e com toda a minha criancice pedir para que assista esse vídeo:

    http://www.youtube.com/watch?v=7cBA9Be9fDs

    Para assisti-lo, no entanto, é preciso tempo, principalmente por causa de seu comprimento, mas também pela reflexão que ele sugere. Assista-o em um momento apropriado, sem se preocupar com outras coisas.
    Obrigado pela oportunidade.

    PS: Trate melhor os visitantes de seu blog; só por que alguém discorda da sua opinião (e não foram poucos neste post), não precisa se achar melhor e superior a esta(s) pessoa(s); respeito às opiniões é bom e todo mundo gosta, principalmente em um Estado Laico a que você é tão aficcionado.
    PS 2: para de se achar o Sábio dos Sábios, ou o Corretor dos Incorretos; não é bom para o seu blog, os novos visitantes não quererão retornar a ele.

    • Igor Santos disse:

      Goiaba, obviamente você vai voltar aqui para ler porque é exatamente esse tipo de comportamento que é esperado de pessoas do seu nível intelectual, que usa a Internet de madrugada escondido dos pais. Provavelmente você está de castigo.

      Outra: se quiser ser respeitado, palhacinho, sugiro que respeite os outros. Todas as opiniões discordantes aqui foram tratadas com o mesmo respeito dirigido a mim, ao contrário de você, que faz parte da escória da Internet e não passa de um vândalo que tenta a qualquer custo desvirtuar uma discussão séria com ataques infantis.
      Quero ver você fingir que não leu minha resposta. Será melhor para você.

    • luluzinha disse:

      Concordo Goiaba, o Igor trata muito mal seus visitantes, além de ser totalmente contraditório com as suas próprias palavras, como pode viver em um mundo como esse se nem ele próprio aceita a opinião alheia?!

      • luluzinha disse:

        Temos que valorizar mais a vida, acima de tudo!! Nada justifica um aborto!!
        A mulher pode até decidir agora, mas mais tarde ela poderá perceber como poderia ter sido diferente se ela tivesse tomado uma outra decisão, é bom que não deixem que uma decisão como esta, as prejudiquem pelo resto da vida, POIS UMA VIDA NUNCA VAI DEIXAR DE SER UMA VIDA, apenas porque ainda não nasceu!

        • Igor Santos disse:

          Eu até tento mas não consigo ser tão arrogante assim e achar que eu sei mais do destino das pessoas do que elas próprias. E com antecedência!
          Me diga, luluzinha, como é viver nesse mundo autocentrado de fantasia que você criou para si e como é tentar varrer para o debaixo do tapete da sua mente todas as decisões erradas que você tomou na vida. Porque eu realmente estou curioso para saber como funciona uma mente doente como a sua.

      • Igor Santos disse:

        Correção, luluzinha: eu só trato mal os idiotas que merecem.
        E me mostre aí, por favor, onde eu fui contraditório.

  17. […] 10 – Este blogue é a favor do aborto (LINK); […]

  18. […] 10 – Este blogue é a favor do aborto (LINK); […]

  19. Jorge disse:

    Eh muito facil defenderem o aborto depois que voces ja nasceram.

  20. Jorge disse:

    Me parece que o termo hipocrita se aplica melhor aqueles que defendem que seja negado a outrem aquilo de que se beneficiam.

    CADA MOVIMENTO RESPIRATORIO DO ABORTISTA EH UMA PROVA CABAL DA SUA HIPOCRISIA

    • Igor Santos disse:

      Me diga só como eu estou me beneficiando da legalização do aborto.
      Provavelmente você não vai conseguir, extrapolando pelo que você tentou escrever aqui, mas tente sempre. Estou curioso.

  21. Mosy disse:

    Querida Érica, entendo sua “revolta” sobre alguns comentários. E voce tem todo o direito de ser a favor ou ser contra, assim como todo mundo aqui.Mas vamos conversar de mulher para mulher.Na legislação atual já permite-se o aborto judicialmnete “aceito” em casos de estupro,de bebes anencéfalos e quando a gestação e/ou bebe oferecem risco de morte a mãe. Apenas nesses 3 casos sou a favor.Repito.APENAS nesses 3 casos.E ainda digo mais:sou totalmente contra a legalização do aborto.Mesmo sendo mulher, mesmo tenho útero(como o dr.Drauzio Varella falou).E como voce disse que a mulher tem o direito de escolher o que acontece com o seu corpo,tem o direito de decidir se quer ter um filho ou não.Concordo plenamente com voce.E justamente por ela,por nós, termos o direito de tal escolha deveriamos ser as primeiras a ser contra.Afinal,quem sabe do nosso periodo fertil?Quem sabe o nosso periodo de ovolução?Quem sabe mais sobre nosso corpo que nós mesmas?Voce disse que engravidou porque se “descuidou” certo?Então o problema não foi dos metodos anticonceptivos que falharam, e sim do seu descuido. Talvez para voce essa tenha sido a unica solução encontrada,mas talvez(digo talvez) existiriam outras,não tão fáceis e rapidas como um aborto,mas com certeza mais humanas.E mesmo sem conhecer voce, tenho certeza que sua decisão foi tomada na base do desespero,do medo,não foi algo pensado e medido.Não julgo voce nem as outras que fizeram,longe de mim,até mesmo porque já vivi isso de perto com uma irmã minha que também abortou.Voce expôs sua opinião como mulher e eu a minha.Espero que ñ me leve a mal.

  22. Mosy disse:

    E se formos pelo pensamento de que deve ser legalizado porque diz respeito a UMA ESCOLHA E A UM DIREITO de uma mulher, então outras coisas também deveriam começar a legalizadas. O tráfico por exemplo,afinal ninguém obriga voce a vender muito menos a usar drogas.Isso é uma ESCOLHA SUA e o SEU DIREITO de usar,afinal a vida sua e o corpo é seu.Então deveria ser legalizado também.
    Essa justificativa (?) para mim não funciona.Já pensou se todas as nossas escolhas(sendo certo ou errado),de algo pessoal nosso,um direito começassem a ser “legalizadas”,permitidas?Que bagunça que iria virar?
    Para cada ação há uma reação,para cada decisão,uma consequencia.É como o ditado diz:mas fácil previnir do que remediar.Decidir se quer ter um filho ou não depois que esse filho já foi feito????
    Gente, vamos analiar né?

  23. Thais disse:

    @Leonardo art 5 da Constituição Federal fala somente que o “brasileiro e o estrangeiro residente no país” tem direito à vida. Porém, vc sabe em que momento a vida realmente começa? Eu sei que vc não sabe, os cientistas não sabem e ninguém mais sabe. O espermatozóide já deve ser considerado vida? Pq se for então aqueles homens que se masturbam no banheiro ou que vendem o esperma estão matando “vida” todos os dias. Então, somente é seguro afirmar somente que as pessoas que já nasceram e que, portanto, possuem vida sem dúvida nenhuma é que são detentoras do direito à vida. É claro que a jurisprudência diz que a CF protege inclusive a vida intra-ulterina. Aqui está escrito a minha humilde opnião sobre porque a interpretação da CF deveria ser diferente.

  24. Ane Coelho disse:

    Sou a favor do aborto, ate pq já fiz um! crime? cada um sabe do que sua consciencia te acusa e acho que ela acusa menos do que eu ter uma criança e nao poder criar dignamente, no meio da minha faculdade de engenharia no qual muita gente julgou(dá sim ter a criança e continuar a faculdade) não, não dá! ate pq a engenharia dá mais trabalho que criar uma criança, eu preferi meu futuro e agarrar a oportunidade que meu avô me deu ,já que meus pais nao me criaram pq nao quiseram, nao quero ter um filho pra meus avôs criarem novamente pq eu nao tenho condições, fui burra? sim, mais eu resolvo meus problemas do jeito que eu achar melhor.. arcar com as consequencias? bom senso, nao vou fazer com meu avô como minha mãe fez, vou antes entregar um canudo na mao dele e falar q foi por ele, nao um pacote de fraldas e avisa-lo que vai ser bisavô,

    • Glindson disse:

      Sorte que vc não foi abortada! E agora pode cursar engenharia, bom pra ti que não te jogaram na lata do lixo!

      • Igor Santos disse:

        Sorte sua que sua mãe não sofreu um aborto espontâneo, mais comum do que você gostaria de pensar.
        Sorte sua que sua mãe e seu pai não sofreram do mesmo fim. E assim por diante.

        Alegar, retroativamente, que ser contra aborto é lógico e racional porque não se foi abortado é simplesmente burrice, da mais franca e catastrófica. Ou então, como no exemplo que eu dei, desonestidade intelectual.

  25. CIBELE disse:

    JA FUI CONTRA, MAS QUANDO FIZ EM SAO PAULO, VI O OUTRO LADO,,, ( O LADO DA MINHA ESCOLHA ) E NAO ME ARREPENDO, VIVO BEM.

    [email protected]

  26. leticia disse:

    eu engravidei aos 14 anos do meu primeiro filho. nao me arrependo e hoje com 18 anos, ja estou com 2 filhos. eles são tudo pra mim, e sou totalmente contra o aborto.
    acho q as mulheres tem q proteger se não querem um filho. e parar de sair com qualquer homem sem os conhecer.
    meu marido queria muito q eu tivesse abortado, mas fui forte e não fiz. pois quem iria pagar o preço de assassinar um ser humano seria eu., DEUS não é a favor disso e eu por mais q estou pecando por não ter tido meus filhos depois do casamento, não tenho o dirito de decidir se um ser pode ou não vir ao mundo. se DEUS me deu eles é pq sou capaz de cria los e de ensinar a eles td q for necessário. se hoje eu engravidar de novo, terei meu filho com todo amor do mundo.

    • Igor Santos disse:

      As mulheres tem que se proteger, não é? Assim como você se protegeu?
      E de estupro, como é que se protege? Ensina aí, já que você está de mãos dadas com esse deus aí.

  27. Maria disse:

    Acho graça como tem gente que insiste julgar as escolhas das pessoas ainda… quando a mulher descobre a gravidez indesejada, ela procura o pai, pois ambos sao responsaveis de forma igual… alguns assumem, acham a melhor coisa do mundo… outros nao querem e somem, e porque so o homem tem esse direito e a mulher nao?, ai depois de todo trabalho que a mae passou sozinha, ele resolve aparecer e dizer nossa meu filho… isso é certo? é justo? outros nem aparecem… outros ate falam que querem, que estaram ali pra que a mulher precisar, mais nunca deram as caras.
    A mulher resolve ter a criança pois a cultura, religiao prega que isso é um pecado, que nao se deve fazer uma barbaridade dessa… mae sofri para criar, educar, dar comida, e o pai? ja sei o pai paga uma pensao e acha que ira resolver o problema… ai o filho chega pra mae e pergunta por que meu pai nao me quiz? por que minha familia nao é completa?
    A mae resolve tomar a decisao de tirar, ai ela nao presta, ela é um monstro… e o pai, o que ele é? do mesmo jeito que o pai nao quer, ela tambem tem o mesmo direito.Usam sempre o argumento que tem farias maneira de previnir, com certeza tem, tem os gratuitos ate os mais caros que ate estavam na moda… mas acidentes acontecem.

  28. karolaine disse:

    e infelizmente no brasil ocorre muitos abortos eu sou a favor e contra e eu dizer q eu adoreii esse blog xau

  29. karolaine disse:

    adoreiii esse blog eu sou contra e a favor e esses argumentos sao muitos bons xau bjs de karoll jb

  30. Pattex disse:

    sou portuguesa (em portugal o aborto é legalizado) e sou a favor da legalizaçao do aborto, não porque a mulher tem direito ao proprio corpo e coisas do género como costumam dizer mas sim porque acontece e sempre acontecerá
    Não será muito melhor para todos se as mulheres tiverem a oportunidade de faze lo em segurança ao inves de tomarem medicamentos que se consegue comprar numa farnacia qualquer com a desculpa de serem para uma gastroentrite (é real se virem em qualquer pesquisa os medicamentos abortivos são para problemas de estomago) e depois vão parar a hospitais publicos e em ultima analise a consequencia será a morte da mulher, acho preferivel que o possam fazer em ambiente seguro
    Tive uma filha aos 18 anos e nao tive escolha simplesmente porque a minha medica era contra o aborto e nunca me disse que a minha filha nasceria com problemas graves cardiacos, resultado por acaso sou teimosa achei que algo nao estava bem e obriguei o pediatra a fazer um check up do qual a resposta que me foi dada foi ou é operada ja ou morre, vivi 10 anos de sofrimento em hospitais e ela acabou por falecer talvez tivesse sido diferente se a estupida da minha medica me tivesse dado a opçao de abortarprovavelmente nao o teria feito mas saberia do problema e quando ela nascesse existiria uma equipa á espera para a tratar
    Para que falsos moralismos nao entendo é verdade que a prevençao deve de ser o caminho mas existem e sempre existirao descuidos para quê camufla-los e obrigar que nao so a mulher mas todo a familia tenha que ter uma vida que nao a sonhada porque nao pode optar
    sou a favor da legalizaçao porque apesar de responsavel pelos meus actos tambem sou responsavel pela minha vida
    é errado pensar que a legalizaçao aumenta o numero de abortos e em portugal de ano para ano existem menos intervençoes simplesmente porque as mulheres deixaram de pensar que so acontece aos outros e passam a cuidar se mais quem o faz uma vez normalmente nao cai no mesmo erro
    sou a favor da legalização do aborto, tal como sou da prostituiçao ou das drogas pura e simplesmente porque são situaçoes que existem e sempre existiram e se forem legalizadas podem ser controladas em ambiente seguro e assim deixar tambem a sociedade mais segura não so para quem pratica como para quem nao o faz
    Essa historia de onde começa a vida mais parece aquele de quem vem primeiro o ovo ou a galinha porque se começa no esperma entao vamos proibir os homens de se mastrubarem (coisa alias que qualquer sexologo diz ser saudavel pois permite o conhecimento do proprio corpo)
    Acho bem existir discussao sobre o assunto pois somente assim podemos tomar consciencia das nossas decisoes só nao acho correto o fundamentalismo que abunda nesta questao

    • Igor Santos disse:

      Belas palavras, Pattex.

      • Pattex disse:

        Pena serem só isso mesmo palavras, porque infelizmente acho que o que abunda demasiado nesta questao é a falta de respeito que impera
        Os chamados pró vida que não respeitam a decisao de uma mulher em tomar uma atitude radical (porque o é sempre) os a favor que acham que ninguem tem o direito de julgar ninguem é verdade mas eles próprios julgam quem é contra
        Tenho neste momento uma menina linda e graças a Deus saudavel com dois anos no enatnto quando engravidei pensei seriamente em abortar e vi os dois lados do fundamentalismo da questao
        Por um lado aqueles que me diziam tens de ter porque pode nao vir com o mesmo problema ( apesar das consultas de genetica terem dado 50% de hipoteses de tal acontecer) a esses que diziam que seria uma assassina se fizesse um aborto coloquei somente uma questao ” já enterraste algum filho é que eu já e não sei se quero correr esse risco novamente)
        Do outro lado supostos amigos que me chamaram louca por pensar sequer em avançar uma gravidez que podia resultar em mais uma criança doente, alguns deixaram de me falar quando disse que nao faria um aborto
        Cheguei ao centro de saude e quando disse que estava gravida a enfermeira sem me dizer nada começou logo a reunir papeis para o aborto achei demasiado divertido que nem soubesse a minha opiniao e ja tivesse uma ideia da minha decisao
        Nao abortei porque antes de tomar a decisao pesei pros e contras e na altura foram muitos os pros e porque a minha medica (outra que nao a da primeira gravidez obvio) garantiu-me que poderia fazer os exames e ter a certeza de nao existirem problemas clininicos e ai sim avançar a minha decisao
        no entanto se neste momento engravidasse provavelmente abortaria pura e simplesmente porque os contra neste momento seriam maiores
        Acho incrivel que toda a gente tenha opiniao porque uma mulher faz isto ou aquilo, costumo dizer aos radicais nas suas opinioes que devem de ter uma vida demsiado monotona para viverem em funçao das decisoes dos outros
        alem disso sao meras questoes de estatistica senão vejamos varios casos reais:
        – desde a liberação do aborto em portugal existem menos intervençoes pedidas e neste momento sao raros os casos de aborto clandestino que chegam as urgencias hospitalares
        -quando a prostituiçao foi legal em portugal (no tempo do salazar) existiam casas proprias para essa pratica em que as mulheres tinham medico de familia, faziam analises obrigatorias como qualquer emprego na medicina de trabalho, e descontavam para o estado, resultado nao se via prostitutas em quase todas as esquinas de lisboa e a taxa de doenças infectocontagiosas nao era elevada como hoje em dia
        -em paises onde as drogas são liberalizadas (tal como a holanda) a taxa de viciados nas camadas mais jovens é mais reduzidas e os jovens que dizem nao querer nem experimentar fazem-no porque estao informado e nao porque tem medo do que pode acontecer
        alem disso já diz o velho ditado o fruto proibido é o mais apetecido
        existem nesses paises casas onde quem quer pode se drogar tem acesso a seringas esterilizadas, resultado menos infectados com o virus da sida e da hepatite

        Somos para todos os governos seja qual for a naçao somente numeros de estatistica entao abram os olhos vejam as taxas e apliquem leis que podem ate ser controversas no entanto respeitam a liberdade individual de todos os cidadaos, direito fundamental em qualquer estado de direito

        • Igor Santos disse:

          Pattex, não é questão de julgamento e sim de liberdade. Os que se autodenominam “pró-vida” são, na verdade, antiliberdade feminina e pró-dogmas religiosos. Já os que se dizem “pró-escolha” não julgam os outros, só seus motivos.
          E sobre as drogas, não é nem tanto que o fruto proibido seja mais gostoso, é pura desinformação mesmo. Num país como o Brasil, onde todas as drogas são propagandeadas como em pé de igualdade, um garoto que fume maconha vai achar por bem fumar crack, já que a informação que ele tem é de que são drogas equivalentes, o que nunca foi nem nunca será o caso. Um país que mente para seus cidadãos sempre causa mais mal que bem.

          costumo dizer aos radicais nas suas opinioes que devem de ter uma vida demsiado monotona para viverem em funçao das decisoes dos outros” <= Isso! Não poderia colocar mais claramente o tipo de mentalidade que deixa que decisões alheias causem algum transtorno em suas vidas.

          E quanto ao governo aplicar os números; acho bem difícil. Sempre vão preferir continuar aplicando o dogma com o qual todos já estão acostumados

          Obrigado pela visita e muito obrigado pelos comentários.

  31. vanessa disse:

    Sou contra o aborto pois é uma vida sendo tirada……..

  32. Cláudia disse:

    É fácil falar que a mãe tem direito sobre o corpo dela, mas ela carrega uma vida distinta da sua. A criança não tem direito à vida???? Uma pessoa que é a favor do aborto não pode achar ruim se um filho seu (já nascido) for assassinado por alguém, afinal se uma mãe pode matar o próprio filho porque uma outra pessoa não poderia matar seu filho, mesmo este já tendo nascido? Só porque este já é amado pela mãe? É crime do mesmo jeito. É fácil condenar as pessoas à morte né? Afinal, você já nasceu. Acho que os casais deveriam ter mais responsabilidade, se não querem filhos, não os façam. Se aconteceu, assuma. Afinal de contas, sexo sem proteção leva à gravidez, e fazê-lo sem os devidos cuidados tem consequências, infelizmente trágicas para o feto quando os pais acham que são senhores de uma vida que os pertence. Lamentável.

    • Igor Santos disse:

      Cláudia, não vou nem comentar a sua comparação (“Uma pessoa que é a favor do aborto não pode achar ruim se um filho seu (já nascido) for assassinado por alguém“) porque ela já é ridícula o suficiente. Mas me diga uma coisa: você acha que todos os métodos contraceptivos são 100% eficientes e que toda a população tem acesso a eles e, principalmente, que todos os cidadãos foram educados para usar tais métodos?

      • Cláudia disse:

        Olha Igor, eu não vou usar o termo “ridículo” como você usou porque a intenção não é te ofender. Afinal, cada um tem seu jeito de ver o mundo. Então vou usar o termo “terrível”. É terrível achar que um não seja crime (aborto) e o outro seja (alguém assassinar alguém).É a mesma coisa. Em ambos os casos alguém está tirando a vida de alguém, certo? Então, ambos são assassinatos. Claro que os métodos contraceptivos não são 100% eficientes, mas você acha que a solução para isso é a morte? Eu conheço mulheres que estão sempre abortando e não é nem por um motivo que os “em cima do muro” dizem ser justo, é simplesmente porque sabem que se engravidarem não precisam se preocupar, é só tirar, é fácil, é banal. A vida humana não tem valor. Você já deve ter ouvido a história da mulher que chega apavorada no consultório de seu ginecologista e diz:
        – Doutor, o senhor terá que me ajudar num problema muito sério… Este meu bebê ainda não completou um ano e já estou grávida novamente. Não quero filhos em tão curto espaço de tempo, mas num espaço grande entre um e outro…
        O médico então perguntou:
        – Muito bem. O que a senhora quer que eu faça?
        A mulher respondeu:
        – Desejo interromper esta gravidez e conto com a sua ajuda.
        O médico então pensou um pouco e depois de algum tempo em silêncio respondeu-lhe:
        – Acho que tenho um método melhor para solucionar o problema. E é menos perigoso para a senhora. A mulher sorriu, acreditando que o médico aceitaria seu pedido.
        Ele então completou: Veja bem minha senhora, para não ter que ficar com dois bebês de uma vez, em tão curto espaço de tempo, vamos matar este que está em seus braços. Assim, a senhora não terá dois filhos pequenos. Se vamos matar, não há diferença entre um e outro. Até porque sacrificar este que a senhora tem nos braços é mais fácil, pois a senhora não correrá nenhum risco…
        A mulher apavorou-se e disse:
        Não doutor! Que horror! Matar um criança é um crime.
        – Também acho minha senhora, mas me pareceu tão convencida disso, que por um momento pensei em ajudá-la. O médico sorriu e, depois de algumas considerações, viu que a sua lição surtira efeito. Convenceu a mãe que não há menor diferença entre matar a criança que nasceu e matar uma ainda por nascer, mas já viva no seio materno.

        O CRIME É EXATAMENTE O MESMO!!

        Igor, essa é a minha opinião e a intenção é só argumentativa e não com o intuito de ofender a você ou a quem quer compartilhe da sua opinião.

        • Igor Santos disse:

          Cláudia, eu não tentei ofender você, apenas me referi ao argumento como ridículo. Preciso admitir que isso realmente não me é característico.

          A definição de “crime” é “violação grave punida por lei”. No momento em que o aborto for legalizado, ele deixará de ser crime, você concordando ou não com o ato. O que você não pode esperar é que toda a sociedade se dobre à sua maneira de enxergar o mundo. Se você não gosta de abortos, não os faça, mas também não tente impor sua vontade em pessoas que não tem condições de criar uma criança que ainda não nasceu, seja por qual for o motivo.

          Essas mulheres que você conhece estão realmente fazendo pouco de uma situação séria, é bem verdade. O problema é quando isso aflige aquelas que não podem ter filhos, por um motivo sério e não simplesmente por vontade. E estas são justamente as pobres, que não podem pagar os abortos que já são executados, como você bem sabe, por serem pobres e saber que vão sofrer as consequências penais de um ato desesperado.
          É bem fácil ser católica, esclarecida, de boa família e boas condições de vida e querer impor a sua própria realidade em pessoas que nem de perto sabem como é ter segurança pessoal e social.

          Essa anedotinha já me é familiar e igualmente ridícula. Ela deixa de considerar a situação da mãe, como esse futuro filho será tratado, que impacto isso terá na criança já nascida, a saúde da mulher, do pai, etc, etc. E se ela não puder dar condições dignas para as duas crianças? Irão todas passar fome? E por que matar uma criança já nascida e fisica e mentalmente independente é igual a abortar um feto ainda sequer formado?
          Essas perguntas são contundentes demais para uma anedotinha responder. É mais fácil aceitar a pseudomensagem do que pensar a respeito. Principalmente quando se é bem nascida e tem-se dificuldade é colocar-se no lugar de outros menos favorecidos.

          E não se preocupe em me ofender, de verdade. Dificilmente algo me ofende (especialmente pelo impessoal meio da Internet) e mesmo que isso viesse a me acontecer, você continuaria sem motivos para me pedir desculpas por apenas expor suas ideias. Pontos de vista existem para serem defendidos e atacados.

          • Cláudia disse:

            Igor,você se importando ou não, jamais o ofenderia, não somente por você mas por mim, mas não é o caso aqui. É realmente fácil uma pessoa esclarecida, de boa família e com boas condições dizer não ao aborto, mas não é o meu caso. Sou de família pobre, infância cheia de privações, cresci sem mãe, aos 14 anos não sabia nem o que era menstruação. Fui aprender na rua, onde aprendi verdades e mitos. Mas a gente aprende, querendo ou não. Engravidei aos 23 anos, solteira, não sabia nem se meu namorado iria assumir a mim ou à criança. Eu arranjei um emprego e fui à luta. Meu namorado arranjou um emprego num estado vizinho, numa obra onde ele trabalhava e morava. Foi mais fácil com a ajuda dele, mas eu teria seguido em frente mesmo sem ele. Foi difícil? Claro que foi, mas foi a melhor coisa da minha vida. Não quero com isso impor a minha opinião aos outros, claro que não. Cada um faz da própria vida o que bem entender, afinal, só nós é que podemos responder por nossos atos. O que eu tento mostrar é que vale a pena lutar pela vida e quando uma pessoa que não apoia o aborto mostra sua opinião, não é para tentar mudar a cabeça dos que já tem opinião formada e sim dos que ainda estão formando sua opinião a respeito. Se conseguirmos mudar a opinião de pelo menos uma pessoa já vai ter valido a pena, será pelo menos uma vida salva. Vivemos uma época em que matar um animal é crime e matar uma criança não. Não que eu seja a favor da covardia com os animais, sou radicalmente contra isso, adoro bichos. Mas convenhamos: é uma tremenda contradição.

  33. Flavia disse:

    Boa noite,
    Em meio há tanto preconceito ¨politica¨e ¨religião¨envolvidos em debate,Venho relatar minha historia.
    Sai de uma empresa na data de 29/08/12apos um periodo de 5 meses,sendo que só assinaram minha carteira 2 meses depois,Sendo assim sai no contrato de experiencia…Após 10 dias senti muitas dores no seio,Minha mesntruação atrasou. Como já tinha uma filha de 12 anos e conhecia os sintomas,decidi fazer o bhc. Não deu outra gravida!!!Meu mundo caiu,primeira coisa que pensei: Não tenho seguro desemprego,e agora esperar mais 26 semanas e morrer de fome até lá,para ter direito a algum beneficio?Sim,já que ninguem me contrataria GRAVIDA!
    Não nego,sempre fui contra o aborto e qualquer pratica que negasse a vida humana,Bem feito!Tomei chás de tudo que possam imaginar…Comprei na internet remedios falsos e por ai vai…Quando vi,estava de 16 semanas comprovadas atraves de um ultra,perguntei a Deus-Porque meu Pai?Tenho me sentido cansada,não consigo mais trabalhar,tudo dói,Meu cerebro dói detanto pensar que trarei um filho ao mundo tirando o mundo de minha filha…Eu chorava demais.
    Um dia,mes de novembro conheci **** uma iniciante na vendas de ***,me disse que achava arriscado me vender,Implorei-Senti tamanha confiança,e parece que na noite anterior rezei tanto a Deus que dei de cara com ela na internet. Me mandou 12 comprimidos…Ai sim começou minha tortura de dor,Inicei as 16hs da tarde,quando foi 2 horas da manha tives as piores dores e as piores visoes que um ser humano pode ter!Agora eu pergunto-Porque num Pais onde padres estrupam,politicos roubam e onde a fome a miseria é artigo comum não podemos optar em não ter um fiho e não depender de bolsa Familia?Me digam o porque?Eu não queria ter um filho indesejado e coloca-lo a vender doces em um semaforo,enquanto a igreja e os politicos levam milhoes.
    Sinceramente não me arrependo,e tambem não me sinto assasina. Me sentiria hoje sim se tivesse aquela pobre criança e como herança lhe desse uma vida de infortunio e privações,Tanto na saude publica como em geral. Deixo meu relato pois quero que entendam que isso é um problema de saude publica!!!Sou Catolica,Acredito em Deus e não na igreja,e muito menos em politica…Não julguem antes de passarem pelo que passei.Tomei todos metodos contraceptivos,mas iria processar a quem?Há uma grande empresa co renome?Por favor,eu sei meu lugar!
    *** meu anjo,te digo mil vezes que vc me salvou e não só a mim,a minha filha e a pobre criança que abortei.
    Att,
    Flavia

    ——
    COMENTÁRIO EDITADO – REMOVIDAS REFERÊNCIAS NOMINAIS JURIDICAMENTE IMPLICANTES

  34. Miminha disse:

    Não admito que um estado porco, que mal funciona, meta o bedelho na escolha do futuro do meu corpo. Desde pequena nunca quis ter filhos, e continuo não querendo, se acontecer algum acidente, tiraria sim… sem culpa. Não conseguiria ser uma pessoa feliz, e realmente não cuidaria bem dessa criança, alem disso não conseguiria conviver bem com ela durante os 9 meses. Engraçado como só homens estão discutindo, o quão o aborto é monstruoso e mimimi, falam isso por que nunca seriam obrigados a conviver com algo que tu não quis; não planejou. E outras mulheres reacionárias que acham que são corajosas por que aceitariam isso, mesmo que fosse acidente, meus parabéns. Sou a favor do aborto e de que a mulher tem sim O DIREITO DE ESCOLHA DO QUE FAZER COM O PRÓPRIO CORPO.

  35. fernanda disse:

    NA MINHA OPINIÃO A MULHER É QUEM DECIDE O QUE FAZER COM O PRÓPRIO CORPO.
    EU JÁ FIZ ABORTO, HOJE EU ME CUIDO MAS SE O MÉTODO FALHAR FARIA DE NOVO EU JA TENHO UMA FILHA E NÃO QUERO MAIS FILHOS, FILHO É MUITO BOM MAS GERA CUSTOS: BOA ALIMENTAÇÃO, BOA EDUCAÇÃO ETC…
    OUTRO FILHO EU NÃO TERIA AS MESMAS CONDIÇÕES QUE JA TENHO. ENTÃO É MUITO FÁCIL PARA ALGUÉM QUE TA DE FORA JULGAR A OUTRA NOSSA! ELA É UM MONSTRO MAS NENHUM FILHA DA P… VAI TE AJUDAR COM NADA ENTÃO PARA AQUELES QUE GOSTAM DE JULGAR OS OUTROS SE OLHEM NO ESPELHO PORQUE SANTO SÓ TEM NO CÉU…..

  36. Suellen disse:

    Hipocrisia!
    na verdade essas pessoas que estão discutindo,
    só vão entender realmente a importância do aborto qd estiverem em uma situação em que ele será a melhor saída

  37. tete Ribeiro disse:

    Boa noite. ..eu tenho 16anos i axo qi estou gravida por favor mim falem um remédio pra aborto pelo amor de Deus

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. (*) Campos obrigatórios.

Categorias

tempo

outubro 2011
D S T Q Q S S
« set   nov »
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

espaço

Locations of visitors to this page

desfrute e compartilhe

Creative Commons License
Esta obra de Igor Santos é licenciada sob Creative Commons by-nc-sa.

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM