“Onde eu vou usar isso na minha vida?”

Durante minha vida acadêmica eu testemunhei em várias oportunidades alguns dos meus colegas reclamando das informações que recebiam dos professores, acusados de ensinar muita coisa desnecessária.

Preciso dizer aqui que concordo com tal observação. A escola tradicionalmente nos empurra informações que são completamente inúteis no mundo real e que em nada nos ajuda no nosso cotidiano (ou “na vida real”, como eu chamo o período de tempo que ocorre fora da Academia).

Por exemplo: quantos entre vocês sabem usar estatística? Arriscaria dizer que menos de 50% sabe usar porcentagem e menos de metade é familiar com o uso de frações.

Quanto mais eu estudava logaritmo, menos e menos eu aprendia. E também nunca precisei de matrizes para colocar um teto sobre a minha cabeça.

Quem precisou aprender sobre degradação de proteína nas aulas de Biologia ou sobre ligações iônicas nas de Química para colocar comida na mesa?

Para quê perder tempo aprendendo Física se toda a nossa informação hoje em dia vem pela Internet e TV (geralmente a cabo ou via satélite)?

Antigamente ninguém estudava História e em nenhuma parte do mundo as civilizações deixavam de existir por não saberem Geografia.

Filosofia e Literatura são duas coisas inúteis também, pois como já dizia Voltaire, “o valor dos grandes homens mede-se pela importância dos seus serviços prestados à humanidade“.

Ninguém nunca precisou estudar um segundo idioma para pedir uma long neck e uma pizza ao garçom, ou um croissant com cocktail de champagne no piano bar, nem para comprar tickets num site de Internet para um show de rock em turnê do CD de top hits, ou assumir que uma madame de batom e blush usa também spray de cabelo e gosta de buquê de tulipas e se veste como drag queen de prêt-à-porter. Nem para constatar que o layout de um ateliê de fashion design num shopping é igual a um camelô laissez-faire on-line que se acha chic por ser pink e não ter toilette. Por exemplo.

Ai, que chato...

Ai, que chato…

Eu estudei até quebrar a perna do óculos e até hoje nunca usei uma catacrese ou hipérbole em minha na vida. A escola acabou e jamais usei uma metonímia. Elipse, então…

Tirei muita nota ruim e horas da minha vida e, pá!, não aprendi o que é zeugma, onomatopeia, assíndeto, eufonia.

Alguém além dos alargados alambrados acadêmicos aprendeu a lidar com aliteração?

Eu, pessoalmente, olhei com meus próprios olhos para o livro até ele ficar com medo e não sei o significado de pleonasmo, perissologia, batologia ou prosopopeia.

A escola tentou me ensinar o que é tautologia porque a escola serve para ensinar.

Sabe-se lá o que significa ênclise! Tê-lo-ia aprendido se não me tivesse sido apresentado ao mesmo tempo em que mesóclise e próclise.

Não é excelente como a escola, excelente instituição de formação, nos fez aprender o que é diasirmo?

E de todas as figuras de linguagem, pelo menos uma delas eu domino plenamente. A rima!

Resenha: Guia Mangá de Biologia Molecular

Nunca li mangá na vida. Acho que essa é a melhor maneira de começar esta resenha.

Não posso dizer que estava preparado para a frenética variação emocional errática das personagens que conseguem, em uma página, passar por toda a gama de emoções que uma pessoa pode exprimir e mais algumas que só existem em desenho, mas acho que a juventude de hoje em dia entenda melhor que eu, manow. (Usei a gíria adequada?)

Passado o choque inicial, comecei a me divertir com a estória, que é de fácil imersão e abstração e o balanço entre ficção e conteúdo teórico é tão bem feito que minha suspensão de descrença ficou intacta praticamente o tempo todo.
E quando a informação fica difícil demais, o guia, um dos personagens da estória, liga o “modo fácil” que realmente ajuda na fluência.

O volume, apesar das quase duzentas e vinte páginas, pode ser facilmente lido em uma tarde, mas, a não ser que você tenha uma capacidade infinita de absorção de conhecimento (ou seja um biólogo molecular), não recomendo que o faça. Se você já não souber do que se trata, é muita informação prum dia só.

Por isso (eu acho, estou especulando aqui) o livro é dividido em cinco capítulos. Uma criança (para quem eu espero que o livro seja direcionado) poderia facilmente ler e aprender quase tudo ali no decorrer de uma semana de leitura.

Falando em criança, esse é o tipo de publicação que eu gostaria de ter lido vinte anos atrás.

Várias páginas ininterruptas de desenho, intercaladas com cinco ou seis de puro texto, aprofundando o assunto.
guia mangá de biologia molecular

Não que biologia fosse meu filão na infância, mas já se fosse um de física

Se bem que esse seria exatamente o tipo de livro que me faria querer virar técnico de PCR. Nasci para ser peão engenheiro mesmo

Uma coisa me decepcionou, no entanto: a falta de cores.

A capa é uma beleza e um desmantelo de informação multicromática, mas as páginas são todas em pretibranco, o que deve dificultar o interesse imediato de alguns estudantes.

Juventude de hoje em dia é acostumada com TVs digitais e suas mil milhões de cores. No meu tempo até as árvores eram em preto e branco!

Não, estou exagerando um pouco, o verde já tinha chegado na minha cidade naquela época.

Mas eu lembro de um livrinho com uma coletânea das tirinhas do recém-lançado Recruta Zero que demorei a ler porque era em tons de cinza.

Passando disso, o conteúdo é realmente muito bom e as explicações são fáceis de entender, especialmente quando o leitor é quem dita o passo.

Guia Mangá de Biologia Molecular
Nas bancas, por R$39, ou direto pela página da Novatec Editora com 20% de desconto.

A presença constante de ideogramas me deixou curioso, porque não tenho como saber se tudo aquilo está sendo traduzido ou não, no entanto eu não me importo muito em não entender tudo da primeira vez, pois quem sabe um dia eu não aprendo japonês, volto a ler a estorinha e descubro piadas novas depois de tantos anos? (Eu acho que entendi “peixes mortos no rio”, porém.)

Esse é um tipo bom de incitação à curiosidade.

Agora vamos ao desconto que eu sei que vocês adoram.

A editora, que foi gentil o suficiente para me mandar o volume resenhado aqui, abaterá 20% do preço de capa (que cairá de quase quarenta para quase trinta reais) para quem comprar direto da página informando o código “42” no carrinho de compras. E a promoção é válida por todo o site até 30 de junho!

Aproveitem!

Categorias

tempo

novembro 2019
D S T Q Q S S
« jun    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930

espaço

Locations of visitors to this page

desfrute e compartilhe

Creative Commons License
Esta obra de Igor Santos é licenciada sob Creative Commons by-nc-sa.

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM