Quem são os biofísicos?

Quando entrei no doutorado no Instituto de Biofísica da UFRJ em 1997, uma coisa me incomodava: eu não sabia direito o que era Biofísica! Eu enchia a boca para dizer “Faço doutorado em biofísica” e torcia para ninguém perguntar depois “Mas o que é biofísica?” Acho que o termo é tão ostentoso que ninguém se arriscava a perguntar. Até ontem. Na verdade a pergunta do João não foi exatamente o que é biofísica, mas sim se existem “biofísicos”? Sim João, existem.

Mas vamos voltar a biofísica. É claro que em algum momento, bem no início, eu procurei uma definição de Biofísica. E encontrei. Várias. Todas desse tipo: “Biofísica é a aplicação de princípios físicos, tanto clássicos como modernos, para a solução de problemas dos sistemas biológicos”
Nenhuma ficava guardada na minha memória. Com o tempo, fui eu mesmo construindo minha definição.

Acho que começou quando li “Genes, girls and Gamow” do James Watson (um dos descobridores da dupla hélice do DNA). O ‘Gamow’ do título é o físico nuclear George Gamow. Um cara de peso, não apenas pelos seus quilos em excesso, mas por toda sua influência na física e na política do século XX. Foi ele que cunhou o termo “big bang” para descrever a grande explosão que teria dado origem ao universo e trabalhou no projeto Manhatan, de onde saíram as duas primeiras bombas atômicas do mundo.

A física viveu seu auge no início do século XX. O modelo atômico de Neils Bohr, a relatividade de Einstein e a mecânica quântica de Max Planck, mudaram a forma de ver o mundo. Houve muitos outros físicos de destaque como Enrico Fermi, Robert Oppenheimer e Richard Feynman. Mas o (explosivo) sucesso da empreitada do projeto Manhatan, com a aplicação na pratica de toda a física teórica até então produzida, trouxe o vazio que costuma a acompanhar o alcance de grandes objetivos. O pós-guerra deixou então muitos físicos órfãos, para não dizer desempregados.

Por outro lado, a biologia era um campo de grande efervescência. Avery, MacLeod e McCarty tinham descoberto em 1944 que era o DNA que continha as informações genétics. Em 1952 Linus Pauling ganhou o Nobel pela descoberta da estrutura de alfa-helice e folhas-beta das proteínas, e em 1953 Watson e Crick descobriram a dupla hélice do DNA. Isso entre outras coisas. Não é de estranhar que os físicos desempregados e sedentos por novas idéias voltassem seus olhos para a biologia. E foi o que fizeram. No livro de Watson ele relata de como após a descoberta da estrutura da dupla hélice, Gamow se juntou a ele e Crick para tentarem entender como apenas 4 nucleotídeos poderiam dar origem aos 20 aminoácidos conhecidos. Eles precisariam estar em código e quebrar esse código se tornou o principal passatempo de Gamow, que continuava consultor do governo americano para assuntos de segurança nacional.

O próprio trabalho de Linus Pauling e de Watson e Crick não seria possível sem uma importante ferramenta da física aplicada a biologia, a difração de raios-X. A técnica utilizada por Bragg e Bragg para decifrar a estrutura cristalina dos materiais foi rapidamente incorporada a biologia para estudar a estrutura cristalina das moléculas biológicas. O fisiologista Neozelandês Maurice Wilkins e a biofísica americana Rosalind Franklin foram pioneiros na aplicação dessa técnica à biologia e competiam com Watson e Crick para ver quem determinaria primeiro a estrutura do DNA.

Parênteses para fofoca: Na verdade, foi ao ver uma palestra de Wilkins no Instituto de Zoologia de Nápoles, que Watson (que era muito, muito ambicioso) decidiu que deveria estudar a estrutura do DNA, um assunto que poderia levá-lo a fama (e ao sucesso com as garotas, que ele tanto almejava). Mas ele, além de muito feio e muito chato, não entendia nada de difração de raios-x, então foi para a Inglaterra, para os laboratórios Cavendish, onde essa técnica era amplamente utilizada (inclusive por Sir Laurence Bragg), com a desculpa de estudar a estrutura da mioglobina. Mas passava a maior parte do tempo conversando com Crick sobre hereditariedade, DNA e construindo os modelos de madeira e ferro que levaram eles a compreender corretamente a estrutura do DNA. Fecha parênteses.

Mas talvez o pai da biofísica seja Erwin Schrödinger. É, aquele que disse que ‘o gato dentro da caixa’ está vivo algumas vezes e morto outras, esse mesmo. Ele foi mais um daqueles brilhantes físicos do início do século XX, que já na meia idade, após uma distinta carreira científica, voltou seus olhos para a biologia.

A pergunta que perturbava Schrödinger era: “Como podem os eventos no tempo e espaço que ocorrem dentro dos limites espaciais de um organismo vivo, serem explicados pela física e pela química?” Ele estava convencido de que a inabilidade da física e da química daquela época para explicar esses eventos não era razão para duvidar que eles pudessem ser explicados por essas ciências. Assim, em 1948 ele publica o livro “What is life” onde dá uma abordagem revolucionária sobre o que é a vida e que influenciou em muito a biologia dai por diante.

Hoje em dia a definição que eu mais gosto, e mais uso, é a do professor Carlos Chagas Filho, fundador do Instituto de Biofísica da UFRJ, que leva o seu nome, e onde eu trabalho: “Biofísica é tudo aquilo que se faz no instituto de Biofísica”

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Discussão - 19 comentários

  1. Silvana disse:

    Mas Mauro, dia desses, lendo o blog da Lia, vi o link para o seu blog que fazia séculos que não acessava. Gostei de várias coisas que li e quis fazer pelo menos um comentário sobre as metáforas. Aí agora me sentei pra fazer o tal comentário e puxa, vc já escreveu dois temas mais!! Que produção! Como não sei se vc iria ler comentário de coisas mais antigas, resolvi te avisar que vou fazer um comentário sobre as metáforas. Vou fechar este agora e fazer o das metáforas no lugar devido.

  2. João Carlos disse:

    Na verdade eu nem deveria ter dúvidas sobre a existência de biofísicos… Eu fui colega de juventude de dois, os gêmeos Arnaldo e Paulo Paes de Andrade (ao que me consta, foram da primeira turma da UFRJ a fazer esta pós-graduação). Paulo atualmente está no Departamento de Biologia da UFPE e nos comunicamos de modo bissexto (com Arnaldo eu perdi o contato).Mas o último parágrafo de seu artigo é particularmente esclarecedor: “Biofísica é tudo aquilo que se faz no instituto de Biofísica”… Ou seja, o campo que se descortina, é tão vasto que não apresenta, ainda, limites precisos.Mais abrangente do que isso, eu só conheço a graduação do Daniel Ferrante na USP: “Ciências Moleculares”… Parece que estamos voltando aos velhos Filósofos Gregos, só que com nanotecnologia e computação quântica… Da Vinci deve estar querendo saltar da cova!…

  3. Alcione Torres disse:

    Queria te convidar para a comunidade Blogs de Ciência, recentemente criada no Orkut!http://www.orkut.com/Community.aspx?cmm=51659033Ensino de Química

  4. Mauro Rebelo disse:

    João, muito legal o seu comentário. é isso mesmo! Filosofia instrumentada por computação quântica e nanotecnologia. Será que vamos deixar nossas marcas na história?!Um abraço,

  5. Mauro Rebelo disse:

    Silvana, sempre que um comentário é postado eu recebo um e-mail, assim posso ir até o texto e comentar de volta. Vou lá agora ver o seu. Beijo,

  6. professor lasneaux disse:

    Bom dia, Mauro. Sou Marcello Lasneaux e tenho um blog sobre biologia em que tento transformar os assuntos que estão em voga de forma acessível para meus alunos e muitos outros de outros Estados. Tenho tido um retorno significativo, com algo em torno de 200 visitantes por dia mas uma ajuda é sempre bem-vinda. Dê uma “olhadinha” e quem sabe pode ajudar-me a também divulgar nossa ciência? Quem sabe podemos até trocar textos? Muito obrigado pela atenção! Bom trabalho!O blog é http://lasneaux.blogspot.com

  7. bernard n. shull disse:

    i did a little research after you told me about your “thing”, and if you want a way to make more money using your your blog you can enter this site: link. bye.

  8. Leandro disse:

    Ola! Tenho uma dúvida simples e ao mesmo tempo complexa.
    Dizia um professor meu que se você fizar uma cocada bem feita você vai ganhar dinheiro com ela!
    Ou seja, qualquer profissional bem qualificado e competente não falta emprego para ele! Mas uma dúvida um biofísico além de ser professor universitário pode trabalhar em que setores do setor privado e público?

  9. Pedro disse:

    Estou visitando o blog pela 1° vez e achei bem interessante o texto acima. Bem, estou me preparando p/ o vestibular e li na revista da UFRJ a respeito do curso ciências biológicas modalidade biofísica e achei bem legal pelo que eu entendi. Gostaria de saber como é exatamente o curso, aonde posso atuar, salário médio inicial e também a qualidade do curso na UFRJ. Desde já agradeço.

  10. Mauro Rebelo disse:

    Pedro, são muitas dúvidas… eu recomendo que você procure direto a coordenação do curso, já que eles são os mais indicados para te esclarecer. Procure em http://www.biof.ufrj.br. Um abraço, M

  11. joao carlos caldardo disse:

    gostaria muito de saber se esiste uma particula subatomica inteligente, alem das fundamentais,que cheia de energia magnetica gerada pela energia escura aos bilhoes viajando a velocidade da luz em todas as dimençoes atingindo um campo magnético fisico ou corpo fisico póssa desenvolver vida inteligente. desculpem sou leigo, mas digo sobre nós o que somos.

  12. Mauro Rebelo disse:

    João, não há nenhuma evidência da existência de partículas como essas. Mas veja que a beleza da vida pode estar justamente nisso. Somos vida inteligente feita das mesmas partículas que as pedras, árvores e ostras.

  13. Higor Monteiro disse:

    Gostei muito mesmo … não sei se ainda está em tempo de perguntar, mas quero muito ir para área de biofísica e estou em época de vestibular, aí me vem uma pergunta, com o quê eu começo? Biologia ou Física? sendo que gosto muito das duas, principalmente a primeira. Qual me daria um suporte mais completo para ir, enfim, à Biofísica? Se eu começar pela biologia acha que eu teria problema para me adaptar às disciplinas de física? muitas dúvidas …

    • Mauro Rebelo disse:

      Higor, você ainda tem a opção de cursas a graduação em Biofísica da UFRJ. Mas a verdade é que tanto faz, desde que você se dedique muito ao curso. Um abraço

  14. Marcos Vinícius disse:

    Olá Mauro, tudo bem? Bom, sou vestibulando e estou com muita vontade de cursar biofísica na UFRJ mas gostaria de tirar uma dúvida: Os formandos em biofísica tem encontrado bom mercado de trabalho? Se sim, onde?
    Me desculpe o incômodo mas estou muito em dúvida quanto a minha escolha de curso e desde já agradeço sua resposta.

    • Mauro Rebelo disse:

      Oi Marcos, o curso é jovem e ainda não temos estatísticas representativas. Nas primeiras turmas formadas a maior parte dos alunos resolveu seguir a carreira acadêmica e está fazendo mestrado e doutorado. Venha nos visitar na UFRJ. Abraço, Mauro

  15. Cheng disse:

    Conheço uma moça que faz biofisica e ganha 20mil limpinho todo mes. Compensa pra quem sabe atuar na area que escolheu 🙂

    • Paulo Barbosa disse:

      Mano do céu, sou biofísico de formação e de pós e to desempregado hahaha me conta como q ela ganha isso? Rs

  16. edilene da cunha disse:

    Eu gostaria de fazer um pequena entrevista com um biofísico, estou fazendo um seminário sobre esse profissional, alguém pode me ajudar?

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. (*) Campos obrigatórios.

Contadores Sitemeter

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM