Cospe ou engole?

ResearchBlogging.org


(Esta é uma postagem casada e você pode querer ler primeiro o post anteiror)

O que os especialistas não conseguiram, ou não tentaram, explicar, é o costume das fêmeas engolirem o sêmen dos machos. Em princípio, todas as informações necessárias poderiam ser obtidas com a manipulação e o contato oral. A deglutição inclusive impediria o importante exame visual. Qual o propósito então?

Não, não é porque é nutritivo, apesar de ser rico em frutose. Também não parece ser pelo gosto, já que apesar de ser um açúcar, a frutose não é doce. Uma lenda urbana que até já foi citada em um episódio de “Sex and the city” afirma que o gosto melhora se o homem tiver comido abacaxi no dia anterior, mas isso não foi comprovado cientificamente. Umas amigas afirmam que o gosto só é bom quando é do homem que elas amam. Apesar disso também não ter sido comprovado, essa teoria pode estar mais próxima da verdadeira razão: a ativação do sistema imune. Engolir porra é uma maneira da mulher desenvolver tolerância aos antígenos do seu macho.

Um artigo publicado no ano 2000 por um grupo holandês na revista de imunologia reprodutiva, mostrou que o sêmen é rico em uma série de compostos chamados de HLA, a sigla em inglês para “antígeno dos leucócitos humanos”. São as famosas proteínas do complexo de histocompatibilidade maior, aquelas proteínas específicas produzidas na superfície das nossas células e que ajudam o nosso corpo a reconhecer o que pertence a ele e o que é estranho. São as mesmas proteínas que fazem com que o organismo tente rejeitar um órgão transplantado, por exemplo.

E do que serviria essa ‘tolerância’ as partes do corpo do homem para uma mulher apaixonada que não precise de um transplante de coração? Bom, existe sim uma parte, na verdade uma célula, do homem na qual a mulher está interessada que seja transplantada para o seu corpo, e para a qual o corpo dela pode sim, apresentar algum tipo de rejeição: o espermatozóide.

A razão pela qual muitas mulheres não conseguem engravidar é a rejeição ao embrião, ou ao feto. Não é de todo insensato. Biologicamente, ele (o feto) é um ‘corpo estranho’, ou pelo menos 50% estranho, que se comporta como um parasita no corpo da mulher.

O estudo mostra que o sêmen rico em HLA ajuda a desenvolver a tolerância da mulher ao macho, fazendo com que na hora que o sistema imune for reconhecer as proteínas na superfícies das células do feto, aqueles outros 50% de moléculas estranhas, não sejam tão estranhas assim.

Você pode achar que é brincadeira, mas o fato é que existe uma correlação direta entre mulheres que tem contato oral intimo (engolem sêmen) com o parceiro antes da concepção e a frequência de eclampsia (uma doença da gravidez que pode levar ao aborto natural e até a morte da mãe). Mulheres que engolem, tem menos eclampsia. Quanto maior a freqüência da deglutição, menor a chance de eclampsia.

E não é só isso. O muco que preenche o cérvix feminino (mais conhecido como aquela babinha que geralmente escorre depois da relação sexual) é cheio de glóbulos brancos que defendem a entrada da cavidade abdominal contra bactérias e agentes infecciosos. Mas que também atacam os espermatozóides que nadam pelos canais do muco para chegarem nas trompas. A tolerância as células do macho também reduz o ataque desses linfócitos.

Abre parenteses: As mulheres ainda são capazes de ‘filtrar’ o esperma de um homem concentrando linfócitos no muco. Essa é uma resposta inconsciente que tende a favorecer a fecundação por um ou outro macho com quem ela tenha estado em contato (e que não é necessariamente o seu macho frequente), mas essa é uma outra história. Fecha parenteses

A natureza não dá ponto sem nó. Um comportamento pode aparecer por acaso, ou como um subproduto de outro (até cultural), mas para ele se tornar uma estratégia difundida por grande parte do reino animal, se ele não teve um propósito, acabou tendo alguma utilidade.

Então podemos corrigir a intuição das meninas, que tendem mesmo a confundir tudo com emoção. Não serve qualquer porra, mas ao invés de ser a porra do homem que elas amam, tem de ser a porra do homem com quem elas querem reproduzir. Considerando que nem sempre seja o mesmo.

Koelman CA, Coumans AB, Nijman HW, Doxiadis II, Dekker GA, & Claas FH (2000). Correlation between oral sex and a low incidence of preeclampsia: a role for soluble HLA in seminal fluid? Journal of reproductive immunology, 46 (2), 155-66 PMID: 10706945

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Discussão - 7 comentários

  1. Osame Kinouchi disse:

    Mauro, acho que se você reunir os dois posts em um artigo e submeter à revista Playboy, acho que eles aceitam para publicação. E daí você pode colocar no Lattes…rs

  2. João Carlos disse:

    Felatio Darwinianus! :D

  3. Leila disse:

    sexo oral é útil para sabermos se o homem é saudável (além de muito bom, vale ressaltar!) + engolir porra causa tolerência aos antígenos do homem em questão + mulheres se sentem mais atraidas pelo cheiro de homens que tem o HLA mais diverso dos seus (para gerar mais diversidade imunológica na prole) = temos mais é que seguir nossos instintos: “pegando” os caras que nos atraem, fazendo muito boquete e engolindo a porra, qdo acharmos conveniente…

  4. Marcos disse:

    Mas o material genético não é destruído na digestão? Como os linfócitos entram em contato com os espermatozóides?

    • Oi disse:

      Resumindo a resposta em baixo: antes ou depois da digestão o material de que são feitos os espermatozoides tem a capacidade de eestimular o sistema imunitário e estabelecer um estado de não resposta a esses antigênos.

      É uma boa questão. A verdade é que existem maneiras de as moléculas dos espermatozoides terem contacto com o sistema imunitário da mulher antes e durante a digestão.

      A cavidade oral é uma mucosa o que apresenta um certo grau de permeabilidade. Por exemplo existem metodos de vacinação que consistem em colocar o principio ativo da vacina por baixo da lingua e sabe-se que material não inflamatório administrado através da cavidade oral leva a um estado de tolerancia por mecanismos não completamente clarificados.

      Por outro lado a forma como o sistema imunitário funciona, particularmente o componente que lida com este tipo de tolerancia não é através do reconhecimento do espermatozoide (ou virus, ou bactéria ou orgão) num todo, mas sim no reconhecimento das moléculas de que é composto após estas serem processadas. Isto significa que os espermatozoides que são desfeitos na digestão (ou alguns que morram na cavidade oral) são recolhidos e digeridos dentro de células especializadas em limpar o “lixo” celular (celulas mortas e os seus restos). Desta maneira vão ser recolhidas estruturas de espermatozóides que são preparadas por estas células para serem apresentadas em pequenas partes ao componente do sistema imunitário que lidará com a tolerancia (e sobre isto poderia escrever outro comentário ainda mais longo :P ).

      Para mais, é produto natural gente.

  5. Umeidy disse:

    Muit grato a xte material,pela primeira vez minha namorada engoliu minha porra e ambos ficamos preucpadx,mx dpx d ak nx informarmx ela vai engolir muito mais,para o bem dela e da nossa relação,hehehehe

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. (*) Campos obrigatórios.

Contadores Sitemeter

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM