pinguim

Cadê os pinguins da Patagônia?

Estão aqui no Brasil, tirando uma onda. Afinal, nem os pinguins aguentam as temperaturas negativas da Patagônia Austral.

pinguimTodo mundo que vai para o Fim do Mundo espera ver pinguim, mas nem sempre eles estão por lá. Eu os observei na África do Sul, onde eles (Spheniscus Demersus, espécie parente dos sul-americanos) mantêm residência fixa – dá até para ajudar comprando uma casinha para eles, nós investimos no sonho da casa própria desses bichos. Na Patagônia, os famosos pinguins-de-magalhães (Spheniscus magellanicus) são avistados nos meses quentes, principalmente, no verão. Então, se quer ver aquelas colônias gigantes de pinguins, escolha entre eles ou a neve.

Segundo este site da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), principalmente os pinguins jovens migram para locais mais quentes em busca de alimento. Por isso, é comum no inverno ouvirmos notícias dessas aves encontradas no Sul do Brasil e até na Bahia e no Rio de Janeiro. A primeira vez que vi um pinguim no Brasil (e uma foca ou leão-marinho bebê!) foi no litoral do Paraná, há cerca de dez anos, perto da balsa que nos leva até a lindinha Ilha do Mel. Infelizmente, outros eu vi mortos nas areias do litoral de São Paulo. Muitos se perdem durante a volta, chegam exaustos ou sofrem com a interferência do homem no oceano e acabam morrendo. Triste.

Anote na agenda, se você pretende ver um monte de pinguim tudo junto ao mesmo tempo, vá à Patagônia no verão. Agora, se você ama a vida marinha, tem que ir à Península Valdés, na Argentina. Eu não conheço o lugar pessoalmente, mas é lá que podemos ver as orcas (<3) caçarem na areia da praia! Dica muito amiga: neste site, há um calendário da fauna de Puerto Madryn, região da Península Valdés. Parece ser imperdível! E super pertinho de nós.

IMG_1754Obs.: A primeira foto acima foi tirada pelo Gustavo Mendes, em São Sebastião (SP). A foto mais abaixo foi tirada no Ushuaia, Argentina.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

3 ideias sobre “Cadê os pinguins da Patagônia?”

  1. Hello Isis and Natalie,

    I just came across this blog post (thanks for featuring penguins, Isis!) and both of your comments. I’m actually the author of the book you’re speaking about, Natalie. Thank you for reading it – I’m very happy to know that you enjoyed learning about the Treasure oil spill rescue in South Africa. And to answer your question, Isis, the book was published in English by Simon & Schuster in the US under the title, THE GREAT PENGUIN RESCUE. It was published in Portuguese by Zahar in Brazil under the title 40.000 PINGUINS. It’s available in print or as an an e-book from both publishers. You might be interested in viewing my TED talk about this rescue effort on http://www.TED.com. (That talk is also titled THE GREAT PENGUIN RESCUE.)

    Warm regards,
    Dyan

    Dyan deNapoli – The Penguin Lady
    Penguin expert, TED speaker, Award-winning author
    http://www.thepenguinlady.com

  2. Pinguins! Infelizmente nunca tive a oportunidade de ver um em liberdade. Fiquei fascinada por eles depois que li 40.000 pinguins, livro sobre um resgate de proporções monumentais que foi realizado na África do Sul em 2000. Quem sabe um dos pinguins que você viu por lá não é um sobrevivente?
    Abraços!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *