>

No começo de maio de 1889, Claude Monet estava quase acabando de pintar a paisagem acima quando um carvalho (seria aquele no topo do morro?) resolveu acintosamente brotar suas folhas durante a primavera. Em vez de simplesmente continuar a pintura sem as folhas (ou de acrescentá-las), Monet começou a pensar sobre como deveria proceder. Poucos dias depois, ele tomou a decisão de procurar o proprietário do terreno onde estava aquele carvalho insolente. No dia 9 de maio, ele escreveu em seu diário:
Estou felicísimo — a permissão para remover as folhas de meu (sic) belo carvalho foi graciosamente acordada! Foi um trabalhão trazer grandes escadas para esta ravina. Enfin, está pronto: dois homens tem se ocupado disso desde ontem. Não é uma façanha conseguir terminar uma paisagem invernal a essa altura do ano?

Seria, Monet — se tivesse sido natural.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...