É o fim do mundo!!! (parte 2) — Ou: Como se preparar para o apocalípse zumbi

.

Se ainda não leu a parte 1: “Sobreviveremos a uma epidemia zumbi?”, clique AQUI

Sobre o post anterior e algumas coisinhas que você [provavelmente] ainda não sabe

A ocorrência de um apocalipse zumbi é iminente. E quando ela ocorrer, a chance de sobrevivência é não é muito animadora, como eu já mostrei anteriormente. Só teremos chances se conseguirmos aplicar a tática do ataque impulsivo – apesar de eu ser um pouco pessimista em relação a conseguirmos aplicar a técnica, vou seguir o mote “a esperança é a última que morre”!

Eu ainda tenho algumas dúvidas que pretendo em breve achar a resposta — se você quiser ajudar, sinta-se a vontade:

  • Zumbis duram pra sempre ou tem “prazo de validade? Ou seja, se todos os seres humanos transformarem-se em zumbis, por quanto tempo eles ainda persistirão?
  • Um zumbi, que se alimentou, “sobrevive” por mais tempo do que um está fazendo regime de restrição alimentar? Em outras palavras: o tempo de persistência está relacionado à alimentação ou não?
  • Já que eles são corpos mortos, eles sofrem decomposição enquanto estão andando por aí? Caso negativo, o que permite que isso não ocorra?

Agora, se você não acredita nisso, eu diria que você deveria rever seus conceitos… Sim, a importância de estar preparado para essa epidemia é tão grande que, inclusive, o pessoal do CDC (Centros para Controle e Prevenção de Doenças, nos EUA) fizez um post sobre isso no seu blog. SIM, ONDE ESTÁ SEU DEUS AGORA?

Como utilidade pública, aqui vai a tradução/adaptação das partes essenciais dessa postagem! E não se esqueça, divulgue no twitter, facebook e por email… ajude seus amigos a se salvarem também!

PREPARANDO-SE PARA O APOCALÍPSE ZUMBI

Antes prevenir do que remediar…

Então, o que você precisa fazer antes que a epidemia zumbi realmente aconteça? Antes de tudo: tenha um kit de emergência em casa. Isso inclui coisas como comida, água e outros suprimentos para que você não passe necessidades enquanto tenta, rapidamente, localizar um abrigo livre dos mortos-vivos. [aqui vai um alerta… essas dicas além de valerem para esse caso específico, podem ser extrapoladas para alguma eventual fatalidade como um desastre natural: como furacões, ou alguma epidemia]. Abaixo, alguns itens que você DEVE incluir no seu kit [para uma lista completa visite a página para emergências do CDC].

Alguns itens do kit de sobrevivência

  • Água (1 galão por pessoa por dia)
  • Comida (faça um estoque com itens não perecíveis e que você coma regularmente)
  • Medicamentos (aqui, inclua remédios com e sem prescrição médica – consulte seu médico)
  • Ferramenta e acessórios (faca, fita adesiva, rádio a pilha, etc.)
  • Produtos de higiene (água sanitária, sabão, toalhas, etc)
  • Vestuário e roupa de cama (1 muda de roupa por pessoa e cobertores)
  • Documentos importantes (só para citar alguns: faça cópias de sua CNH, identidade, passaporte, certidão de nascimento – você nunca sabe do que poderá precisar)
  • Primeiros socorros (embora inútil em caso de uma mordida de zumbi, você poderá fazer curativos em eventuais cortes que podem ocorrer durante a fuga)
  • eu acrescentaria aqui um taco de baseball (pra dizer o mínimo) para ajudar na caçada!

Kit pronto!? Agora junte sua família e discutam o plano de emergência. Aqui vocês decidirão aonde vocês irão e como ocorrerá a comunicação entre vocês quando os zumbis começarem a aparecer! [novamente, isso também serve para outros tipos desastres].

  • Identifique os tipos de emergência que podem ocorrer na sua área. Além de um apocalipse zumbi, isso inclui inundações, tornados, terremotos…
  • Decidam por um local de encontro, onde a família se reunirá no caso de zumbis invadirem a casa. Escolham um lugar fora de casa para emergências repentinas, e um local mais afastado de seu bairro para o caso de você estar incapacitado de retornar rapidamente para casa.
  • Quem são seus contatos para caso de emergência? Faça uma lista de contatos como polícia, bombeiros e o responsável do time de combate aos zumbis. Inclua na lista alguns parentes que morem em outros locais para que você possa telefonar e deixar avisos para o restante da família caso seu telefone falhe/acabe a bateria.
  • Planeje a rota de evacuação. Quando zumbis estão com fome, eles não param até conseguir alimento (ou seja: cérebros!), o que significa: saia correndo da cidade [não literalmente, pode ser de carro]! Decidam para onde vocês irão, as múltiplas rotas que podem ser seguidas de forma rápida e sem que os comedores de carne consigam alcançá-los!

    2 meeting places: um perto e um afastado de casa!

[se você estiver nos EUA] Não tema – o CDC está preparado!

Aqui temos que considerar que é um trecho bem direcionado aos estadunidenses. Como você deve imaginar, não temos um CDC brasileiro, mas o órgão governamental brasileiro que mais se aproximaria, a Secretaria de Vigilância em Saúde, ainda não se manifestou sobre o assunto. Resta agora acreditarmos que os EUA vão nos avisar a tempo de tomarmos as providências [isso, é claro, se a epidemia não começar por aqui!].

Se as ruas forem tomadas por zumbis, o CDC conduzirá uma investigação muito parecida com a que acontece em qualquer outro surto de doença. O CDC prestará assistência técnica aos municípios, estados ou parceiros internacionais que estiverem lidando com uma infestação de zumbis. Aqui, incluímos consultas, testes de laborarório e análises, além de gestão e cuidado de pacientes, rastreamento de contatos e controle da infeção (como isolamento e quarentena). Num cenário como esse, pretendemos atingir vários objetivos: determinar a causa da doença, a fonte da infecção/vírus/toxina, aprender como ocorre a transmissão e quão rápido ocorre a propagação e, assim, tentar evitar novos casos e desenvolver possíveis tratamentos. Além dessas funções de laboratório, o CDC e outros órgãos do governo enviariam equipes médicas e socorristas para ajudar as pessoas em áreas afetadas.

Últimas considerações

A ideia é simples: Tenha um kit, Faça um plano e Esteja preparado!

E se topar com um zumbi, não se esqueça, da premissa básica de um contra-ataque aos zumbis:

 


Esse post faz parte da blogagem coletiva sobre o fim do mundo promovida pelo ScienceBlogs Brasil. Gostou da ideia? Tem um blog? Quer participar? Saiba mais clicando no banner abaixo.

Blogagem coletiva Fim do Mundo

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Discussão - 10 comentários

  1. […] a parte 2: “Como se preparar para o apocalipse Zumbi“, clique […]

  2. Rev.Breno disse:

    Muito bom!
    Mas de fato estar preparado requer bastante cautela, os TOPs de sobrevivencialismo garante que um ano focado nisso te ajuda em 90% dos casos.
    Mas é isso mesmo, no primeiro instante ficar em sua casa e utilizar os seus recursos e ter um plano de fuga,os termos técnicos são BoB(Bug out Bag- a mochila), Bug In (ficar entocado) e Bug Out (a saida até um ambiente mais seguro).
    Conversando com amigos, chegamos a conclsão que o melhor lugar para ir aqui de São Paulo é o Pantanal (Amazonia seria bom também), por um simples motivo: jacarés para todos os lados, e depois de umas gerações ja deveri aser o suficiente para reconquistar o litoral, o Brasil não é dos piores cenários para viver

  3. […] Nosso vizinho do Meio de Cultura, Samir trata da dinâmica epidemiológica de um ataque zumbi. E, na continuação, faz um guia de sobrevivência à epidemia! […]

  4. Carlos Magno disse:

    Hipótese: “Zumbis duram pra sempre ou tem “prazo de validade? Ou seja, se todos os seres humanos transformarem-se em zumbis, por quanto tempo eles ainda persistirão?”

    Minha opinião é de que eles têm prazo de validade sim, o que não considerado no modelo do post anterior.

    Considere o corpo humano: somos atacados 24 horas por dia por bactérias, vírus e outros elementos. Possuímos um sistema imunológico razoavelmente eficaz contra este tipo de ataque e o perderíamos no caso de nossa morte. Se o zumbi não perder o sistema imunológico, ele estaria sobrecarregado com os diversos ferimentos que o corpo poderia ter sofrido e partes faltando. Caso ele não se alimente, não teria como repor a energia necessária.

    Outro problema seria a sobrevivência normal do dia a dia. Sem um sistema consciente animal, iria tropeçar pelo caminho, se expor demais ao sol ou frio, tomar decisões estratégicas ruins (ser atropelado, cair em armadilhas simples, entrar em um beco cheio de soldados armados, etc.), entre outros. Ao perder membros ou capacidades sensorais, teria suas chances de sobrevivência bem diminuídas.

    Para ter chances de sobreviver, um zumbi teria que ter capacidade de regeneração e sistema imunológico superior ao do ser humano ou o humano estar bem conservado fisicamente ao ser zumbificado. No caso de um ataque, onde a pessoa já foi semi-devorada, o zumbi resultante teria um prazo de validade bem curto, não fosse pela possível regeneração.

    Outro fator importante seria o fator inteligência. Um zumbi de filme não duraria muito sem uma inteligência apurada (nível de rato ou maior).

  5. Carlos Magno disse:

    Hipótese 2: “Um zumbi, que se alimentou, “sobrevive” por mais tempo do que um está fazendo regime de restrição alimentar? Em outras palavras: o tempo de persistência está relacionado à alimentação ou não?”

    Hipótese 3: “Já que eles são corpos mortos, eles sofrem decomposição enquanto estão andando por aí? Caso negativo, o que permite que isso não ocorra?”

    Eu diria que sim. Não existe moto perpétuo e as leis da termodinâmica, assim como a da seleção natural, são implacáveis.

    Ele vai necessitar de alimento e um sistema digestivo (e imunológico) funcionando para poder “sobreviver”. Mesmo que não houvesse condições de vírus/bactérias/outros atacarem o organismo, ele ainda teria de ser capaz de regenerar tecido. Células que morrem têm de ser repostas, respiração, circulação e outras necessitam de energia.

    Não havendo respiração e circulação, ele tem que arrumar outro meio de levar energia aos músculos (para correr atrás dos humanos, pelo menos) e isso exigiria alimento.

    Se acabar o número de humanos à disposição, o número de zumbis iria reduzir drasticamente. Se os zumbis se alimentarem uns dos outros, além de facilitar para os seres humanos dominá-los, eles têm de lidar com o problema de que a oferta de alimentos é cada vez menor. Jogue 1000 homens no deserto com uma certa quantidade de água cada um, quantos terá após 10 dias? E 100 dias? e 1000 dias?

    Se a humanidade acabar, os zumbis acabam (e rápido) por falta de alimento. Logo a taxa de renovação de zumbis após muito tempo é diretamente proporcional à taxa de renovação de humanos.

    Se o zumbi tiver sistema imunológico, inteligência, circulação e todo o resto, praticamente deixou de ser uma anomalia e passou a ser apenas outra espécie de predador de seres humanos. Do contrário é um câncer que mata a si próprio ao fim de algum tempo.

  6. Cinira disse:

    Sobre estes dois posts (parte I e II), em uma palavra: sensacional. Parabéns!

  7. Luis Felipe disse:

    so tem uma pequena falha no kit uma arma tipo a assim faca, facão, machado, etc… so esses tipos de arma por que no Brasil nao e facil de achar armas de fogo mesmo se usar uma arma de fogo nao e bom so atrai a atençao deles pro ce

  8. Davi disse:

    Vou fundar um grupo de pessoas que sobreviverem e estão dispostas a acabar com a m**** desses zumbis.
    Algum candidato?

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. (*) Campos obrigatórios.

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM